Tanto as gratificações como as bonificações são valores pagos a título de reconhecimento e devem ser lançadas na folha de pagamento

Segundo a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), tanto as gratificações como as bonificações, integram o salário do trabalhador como “gorjetas”. Ambas configuram-se um pagamento feito por liberalidade do empregador, sem um limite de valor previamente estipulado ou mesmo instruções sobre como essas devem ser pagas, cabendo a livre escolha da empresa e podendo vir como forma de agradecimento ou reconhecimento por serviços ou tempo do mesmo prestado para a empresa.

É importante salientar que todas as gratificações ou bonificações concedidas deverão obrigatoriamente ser lançadas em folha de pagamento, sujeitando-se à incidência dos encargos sociais de INSS e FGTS. Ainda, dentro dos parâmetros da Lei ou por meio de documento coletivo sindical, as duas formas podem ser ajustadas a fim de obrigar o empregador ao seu efetivo pagamento.

No âmbito jurídico é entendido que esses valores deverão ser debitados a título de reconhecimento e caso seja pago por habitualidade, tão quanto a sua integração nas verbas trabalhistas como férias, 13° salário, passa a ter natureza salarial. Para a designação da habitualidade, a qual não possui previsão legal ou prazo fixado, não é necessário haver um ciclo diário, semanal, mensal ou anual. Daí conclui-se que o pagamento efetuado sem relação direta com o desenvolvimento da relação empregatícia não poderá integrar as verbas trabalhistas.

Contudo, vemos que as gratificações e as bonificações podem ser classificadas pela periodicidade do pagamento (mensais, bimestrais, trimestrais, semestrais ou anuais), pelo valor que poderá ser fixado ou variável, pelos tipos de ajuste classificados como verbal, escrito e tácito, tanto como devido à fonte da obrigação autônoma ou heterônoma, quanto à causa podendo ser essa: gratificações de função específica, quando a gratificação só é dada enquanto o empregado permanecer na função; gratificações de balanço pagas de forma fixa, por porcentagem do salário ou a critério da empresa e; gratificações de eventos específicos na empresa.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria