Um ensaio sobre como a assunção da tecnologia renova os debates sobre a eficiência dos serviços públicos e de como a intervenção Estatal pode dificultar a implementação do produto ou serviço que utiliza metodologia inovadora.

                     Em tempos que grandes empresas investem pesado em tecnologia para proporcionar melhores bens e serviços aos indivíduos (e a outras empresas) a pauta continua sendo os entraves burocráticos e regulatórios no mundo pós-globalizado.

                 

 



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0