este artigo traz um breve resumo da importância de se manter um diálogo entre pais e filhos, evitando possíveis confrontos tão presentes na fase de adolescência.

Conflitos; quando o melhor remédio é o diálogo

img_20080613_083103.jpg

A sociedade moderna vive em constante mudança exigindo igual capacidade de adaptação de nossa parte seja, por influência tecnológica, econômica ou cultural entre outros fatores.

O fato é que, mudanças sempre ocorreram e assim continuaram a acontecer de modo que, entendermos como elas modificam nossos pensamentos, por exemplo, é fundamental para percebemos por que pais tem uma perspectiva, e, filhos tem outro modo de ver e entender o meio onde vivem. É ai que começam os conflitos entre pais e filhos, sim, pelo simples fato de cada um ter uma opinião e opção diferente. Os pais tendem a ser mais conservadores e realistas, se preocupam com o que acontece na sociedade e como isso vai influenciar na vida de sua família como um todo. Jovens pensam um pouco diferente, por ainda não terem experiência de vida não consideram tanto as possibilidades futuras.

Talvez a melhor maneira de minimizar a instalação desses conflitos seja o diálogo, pois uma boa troca de idéias e conselhos podem ajudar e muito. Os pais trazem uma “bagagem” de vida, experiências , e, por isso podem dar bons conselhos, enquanto jovens não dispõe de experiência mas tem uma capacidade de aprendizado maior já que estão em desenvolvimento físico e mental.

Entenda que seu filho cresceu!

 Faz parte do ciclo da vida, agora ele tem vontades e pensamentos próprios, enxerga o mundo com seus próprios olhos. Entenda que agora ele deve começar a fazer suas escolhas e a melhor maneira de ajudar é ouvindo seu filho.

Seja mais que pai, seja amigo

A chance de sucesso nessa relação é muito maior quando existe laços de amizade. Sejam grandes amigos e confidentes, isso reforça a harmonia e gera mais confiança e respeito mútuo.

Saber ceder

É importante essa flexibilidade entre pais e filhos, os dois lados devem conversar e ouvir uns aos outros respeitando suas diferenças e assimilando pontos em comum afim de trazer satisfação à todos.

Não imponha regras; dê princípios

Princípios norteadores dão uma maior independência e autonomia. Impor regras só gera mais dificuldades, discordâncias e confrontos. Dessa forma fica mais fácil de um pai participar das escolhas que seu filho tomará daqui pra frente.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria