Entenda quais são seus direitos diante da rescisão de contrato junto a loteadora.

Nos últimos anos observamos grandes incentivos para a aquisição de imóveis, os quais levaram muitas pessoas a adquirir terrenos junto às loteadoras para a construção da tão sonhada casa própria.

Ocorre que, com a chegada da crise econômica no país, alguns compradores que antes cumpriam o compromisso do pagamento de suas parcelas, passaram a não ter mais condições de honrá-las e, por esta razão, se viram obrigados a renunciar ao imóvel adquirido, para não se endividarem.

Entretanto, ao ter que desfazer o negócio com a vendedora, os compradores são surpreendidos com inúmeras cláusulas contratuais abusivas, as quais fazem com que várias perguntas surjam. Com este texto vamos esclarecer algumas delas! 

Posso desfazer o negócio?

Inicialmente, o contrato de compra e venda realizado com a loteadora pode ser desfeito a qualquer momento,  pela falta de recursos para cumprir o pagamento das parcelas ou até mesmo por mera vontade em desfazer a compra.

Assim é proibido à loteadora negar a rescisão contratual.

Tenho direito de receber os valores pagos de volta?

Sim! Muitas vezes o comprador já realizou o pagamento de inúmeras parcelas do imóvel e os valores pagos, devem a ele serem restituídos, desde que respeitadas as cláusulas contratuais quanto a incidência de multas, desde que estas não sejam abusivas.

Tenho que pagar todas estas multas previstas no contrato?

As loteadoras incluem inúmeras cláusulas contratuais no contrato de compra e venda, as quais, se cumpridas, fazem com que o comprador deixe em favor da vendedora aproximadamente metade do valor já quitado, a título de multa, pelo desfazimento do negócio. Mas atenção: muitas vezes estas são abusivas e ilegais!

As multas abusivas são inclusas no contrato de compra e venda como forma de desestimular o comprador a não desfazer o negócio, considerando que este, ao se deparar com a retenção de grande parte do que já foi pago, desiste de desfazer a compra e, em consequência disso, sua dívida se torna uma bola de neve até que perda tudo o que já foi pago.

Assim, é importante observar que nem sempre as cláusulas inclusas no contrato são válidas, e devem ser revistas por um profissional, para não trazer maiores prejuízos ao comprador.  

 

Já estou com as parcelas atrasadas, posso desfazer o negócio e receber o que foi pago de volta?

Sim. Ainda que haja inadimplência do comprador no pagamento das parcelas, este tem o direito de receber o que já foi pago, desde que deduzidas as multas contratuais legais. Entretanto, quanto menos parcelas atrasadas, maior será o valor restituído.

Ademais, em situações que haja débitos que dê ensejo à ação judicial movida pela vendedora contra o devedor, no mesmo processo é possível que o comprador inadimplente requeira indenização pelos valores já quitados.

Para esclarecer estas e outras dúvidas, o comprador poderá consultar o advogado de sua confiança e verificar se as condições para rescisão contratual estão condizentes com a realidade, para evitar prejuízos em razão de pagamento de multas abusivas e ilegais.


Autor

  • Jéssica Ribeiro de Castro

    Bacharela pela Universidade Estadual de Maringá. Pós-graduada em Direito Previdenciário e Do Trabalho, pelo Instituto de Constitucional e Cidadania (IDCC). Pós-graduanda em Direito processual Civil, pela Faculdade Maringá. Advogada na empresa Consultoria jurídica Errerias advogados & associados.

    Textos publicados pela autora

    Fale com a autora


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso