Ao navegar, você aceita que o Jus use cookies e parcerias para personalizar conteúdo e anúncios. Política de Privacidade

Símbolo do Jus.com.brJus.com.br

Artigo

O Uso da Tecnologia e a Pobreza das Decisões Judiciais

A tecnologia deve ser usada para melhorar a qualidade das decisões judiciais, daí o uso de robôs.

O USO DA TECNOLOGIA E A POBREZA DAS DECISÕES JUDICIAIS! 

A tecnologia que deveria ser usada para melhorar a qualidade das decisões judiciais vem sendo implantada para empobrecê-las.

O uso do robô pelos tribunais, como ferramenta de inteligência artificial, vem sendo implantado como meio de impedir o acesso às Cortes de Justiça.

Se queremos acabar com o volume de recursos, será mais honesto reformar o sistema processual e eliminar os recursos do que permiti-los, sem chances de conhecimento e, menos ainda, de provimento.

Nos dias que correm, os juízes de primeiro grau e os tribunais prolatam decisões juridicamente pobres, em duas a três laudas.

Nesse caminhar, em breve, com o uso da inteligência artificial, a petição inicial será transformada em formulário e a decisão prolatada por juiz-robô, em um único parágrafo, com o clássico: “defiro ou indefiro”!

Na involução que estamos experimentando, os juízes serão transformados em administradores de cartórios, sem atividade jurisdicional.

Aliás, não será de todo ruim porquanto veremos cumpridos três princípios fundamentais: 1) o fim da corrupção no Judiciário; 2) o fiel cumprimento da imparcialidade do julgador; e 3) a prestação jurisdicional célere.

Ufa! Atingiremos o ideal de Justiça! 

Que assim seja!

Professor Luiz Guerra

Página 1 de 1
Sobre o autor
Imagem do autor Professor Luiz Antônio Guerra - Advocacia Empresarial
Professor Luiz Antônio Guerra - Advocacia Empresarial

1. Advogado com 38 anos de experiência profissional 2. Professor de Direito Empresarial 3. CEO na Acto Invest 4. Parecerista 5. Conselheiro 6. Palestrante e Conferencista. 7. Jurista (Autor de livros e artigos jurídicos) 8. Doutor em Direito. 9. Membro Benemérito (ex-Presidente) do Instituto dos Advogados do Distrito Federal. 10. Advogado com atuação no Direito Empresarial & Comercial, Corporativo & Societário, Econômico & Financeiro, Recuperação Econômica de Empresas & Falência, Contratual Civil & Comercial, Direito Tributário e Planejamento Fiscal. Direito Penal Econômico & Financeiro, Tributário-Administrativo & Ambiental, Família e Planejamento Sucessório. 11. Evangelista, Servo & Pregador da Palavra de DEUS

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos
Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!