No artigo é abordado com precisão o que é Short Selling, as características desse produto, que vem sendo muito utilizado na bolsa de valores. Nessa modalidade, o investidor lucra com a queda dos ativos.

1 – O QUE É VENDA DESCOBERTA E SUAS CARACTERÍSTICAS

Muita gente não sabe, mas há o modo de operar vendido na bolsa de valores. E o que é isso? Isso significa que podemos vender na bolsa o que nós não temos e podemos entregar, depois, o que teremos. Nesse caso ganhamos em uma operação invertida. Há configurada a venda e depois a compra.

Para quem irá operar dessa forma, deverá observar se o ativo está em tendência baixista, que se caracteriza através de rompimento de fundos. Com a ação em baixa paga-se a mesma, aloca garantias e a vende. Diante disso, a credora por você escolhida, vai identificar que você está vendendo a descoberto.

Como funciona o lucro dessa operação? Como exemplo, você oferece um celular para uma conhecido, por R$ 2000,00, sem possuir o aparelho em mãos. O mesmo repassa o valor para sua conta e diante desse contrato firmado entre as partes, o comprador fica diretamente responsável a entregar o aparelho em alguns dias. Nesse período, supomos que o aparelho está com preço mais baixo, R$1400,00 nas lojas. Você o adquire e repassa ao vendedor por R$2000,00, concretizando um lucro de R$600,00. Isso em uma perspectiva positiva. Contudo, podemos ter a surpresa de que o aparelho aumentou e está sendo vendido por R$4000,00. Nesse caso pelo contrato firmado o vendedor irá repassar o aparelho por R$2000,00 e ter consequentemente um prejuízo de R$2000,00.

Diante do exposto, para quem quiser surfar, por um curto espaço de tempo, vendo oscilações, percebendo que a bolsa vai cair ou que alguma ação, em específico, vai cair, você tem que fazer com ações que não são da sua estratégia ou de sua carteira de ações. Para que possamos fazer isso, devemos pegar emprestadas, estas ações, que não possuímos, com alguém, e é aí que adentramos no campo de aluguel de ações.

No aluguel de ações procuramos um terceiro para que possamos vender a descoberto, apostando que a ação cairá ao longo do tempo e esperando recompra-la no futuro mais barata. Para tanto, além de pagar uma taxa de aluguel ao doador das ações, pelo tempo que precisemos ficar locado, a bolsa vai exigir um depósito como margem de garantia, que irá variar irá variar de acordo com a volatilidade histórica daqueles papéis.

Operar em short ou a descoberto, é preciso ser muito cuidadoso. Esse tipo de operação é uma faca de dois gumes e para se proteger, precisamos ter um gerenciamento de risco, que pode ser lançado, e tem como nome Stop Loss, que significa ordem automática que possibilita limitar prejuízos ou seja limitação de perda.

Vantagens de se operar em Short
 

Possibilidade de lucrar com mercado em queda: Sem essa possibilidade teríamos a opção de sentar e esperar ou arriscar a sorte, o que é pouco recomendado.

Agilidade: Um investidor (Trader) poderá estar em uma posição comprada, e percebendo que em determinado momento, o mercado mudou e voltou a cair. O mesmo pode iniciar uma posição vendida. Caso fique na posição até o dia seguinte, o mesmo irá recorrer ao aluguel de ações.

Velocidade: Percebendo que sua análise sobre a queda de um ativo está concreta, provavelmente a operação será bem rápida. Se não se comprovar rapidamente, aplica-se o Stop Loss.

 
Desvantagens
Riscos Altos
Muita burocracia no processo
Mais taxas da CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) e taxas de aluguel.
Risco ilimitado.
2- O QUE É ALUGUEL DE AÇÕES E SUAS CARACTERÍSTICAS

O QUE É ALUGUEL DE AÇÕES E SUAS CARACTERÍSTICAS

 

                         O QUE É ALUGUEL DE AÇÕES?

O aluguel de ações pode ser um bom investimento, funciona como uma forma de empréstimo, quem detém a posse das ações podem disponibilizá-las para aluguel, recebendo em troca uma taxa pré determinada, geralmente definida pelo mercado, abrangendo duas partes que é o doador (proprietário das ações) e o tomador (quem aluga as ações).

Como faz para alugar ações? Por exemplo, João(doador) tem uma ação da PETR4 e decide emprestar para José (tomador), sendo assim José deverá pagar uma taxa estabelecida para João e verificar quais são os ativos disponíveis para o aluguel.

Podem realizar aluguel de ações: as pessoas físicas, jurídicas e instituições financeiras.

                      

CARACTERÍSTICAS

Existem diversas vantagens no aluguel de ações, uma delas é que alugando uma ação o doador tem um lucro maior com um ganho de adicionais e com a taxa de aluguel recebida, além de um ganho maior de ativos que ficariam parados caso não alugasse. Já para os tomadores, uma das vantagens é que eles lucram com a oportunidade da queda das ações e com a venda a descoberto (que é operar sem ter os ativos na carteira).

Entretanto, há grandes riscos nos empréstimos de ações, como por exemplo caso o tomador não cumpri com a obrigação do pagamento do aluguel, a responsabilidade de remunerar o doador é da corretora e é aplicado uma sanção ao tomador.

Já para o tomador há grandes riscos de mercado como por exemplo, durante o empréstimo de ações o tomador fica proibido de vender as ações do doador, fica proibido de participar da assembleia de acionistas e o preço do ativo alugado pode variar muito de acordo com o mercado.

Assim sendo, para a operação Day trade não é necessário o aluguel de ações, basta vender a ação e recomprar ela no mesmo dia. 

Agora se a ação for durar mais de um dia, é necessário alugar a ação e pagar uma taxa determinada pelo mercado, assim poderá vender ela no mercado e recomprar ela mais barata futuramente, podendo devolvê-la ao proprietário. (Itaú Corretora, 2020)

 

3 – COMO LUCRAR COM A VENDA DESCOBERTO

O lucro com a venda descoberto se dá de uma forma bastante simples. O investidor que visa lucrar com a venda descoberta, ou o chamado Short Selling, está sondando a queda do preço de ações de uma empresa. Um exemplo claro disso, se dá quando ao final do dia, um investidor dá uma ordem para no início do pregão entrar vendido, significa que ele alugou as ações de alguém e no início do pregão, entrará vendendo aquelas ações, cogitando a queda da mesma, para recompra-la ao final do dia, ou ao final de um período, de modo que ele possa devolver a ação ao proprietário dela e lucrar a diferença do valor da venda que ele pagou, que necessariamente precisa ser superior ao valor da recompra daquele ativo.

Com a venda em descoberto, o investidor consegue lucrar, mesmo com o mercado em queda, diferentemente do mercado tradicional que o investidor aposta apenas na alta das ações. Por outro lado, é importante o investidor acionar o stop em sua operação, evitando grandes perdas, haja vista que, quando o investidor entra vendido, ele precisará recomprar aquelas ações para devolver ao proprietário da ações, no prazo estipulado no contrato de locação firmado no site da corretora, ou seja caso o preço das ações suba, o tomador da ação deverá ainda sim restituir a ação paga arcando com a diferença e o prejuízo. Destaca-se ainda que a B3 exige em garantia um valor que o tomador das ações em aluguel, deva dar em garantia, de modo que estes ativos possam garantir a operação, caso dê tudo errado, sendo possível ainda sim garantir a recompra das ações, para que possam ser devolvidas ao seu titular. (Itau Corretora, 2020).

4 – COMO ESPECULAR EM QUEDAS DA BOLSA DE VALORES

Especular é, basicamente, comprar ativos com a mentalidade de vende-las, tendo como objetivo, quase que único e exclusivamente, obter lucro numa possível e provável variação de preço. Insta salientar, que essa obtenção de lucro se dá num curto prazo de tempo, sem que haja o recebimento de dividendos ou proventos. Dito isso, para especular em quedas da bolsa de valores, parafraseando o blog do rico (página da internet) você deve possuir algumas características essenciais: Experiência no mercado, conhecimento técnico, autocontrole emocional, paciência para ganhar dinheiro.

Com essas características, você deve ser capaz de identificar com clareza o que é uma baixa e o que é uma alta no mercado (topos e fundos que definem a tendência do preço).

Ademais, segundo Thiago Salomão, analista da Rico investimentos, em se tratando de momentos de queda da bolsa de valores “Estes momentos são bons para comprar ações, com certeza, mas desde que você tenha horizonte de longo prazo e vá colocar aquela parcela de dinheiro de que não precisará no curto prazo, pois os preços podem cair ainda mais. Tão simples quanto isso.” Por fim, a especulação financeira exige lógica e bom senso. (JOSÉ, OLIVEIRA, 2020)

5 – QUAIS SÃO OS PERIGOS DA VENDA DESCOBERTO

 

 Riscos da venda descoberta:

Ao realizar uma venda descoberta, o investidor está sujeito a diversos resultados, não sendo todos eles resultados positivos. Resume-se os pontos negativos da venda descoberta nos riscos de perdas ilimitadas, no risco de pagar a taxa de aluguel e a operação contra a tendência natural do mercado. (IHODI, 2020)

Em determinado momento, o investidor que realiza uma venda descoberta deve devolver as ações ao doador. Caso as ações não sofram uma queda, o investidor, neste caso, deve recomprar as ações à um preço maior do que o da venda para devolvê-las e, consequentemente, terá um resultado pior do que o planejado previamente. (IHODI, 2020)

Outrossim, as vendas descobertas são feitas por um investidor que recebe as ações de um doador e, para este, deve-se pagar um aluguel. Desta forma, a ação em questão deve cair o suficiente para cobrir os custos com o aluguel da ação e gerar lucro ao investidor. Caso a ação siga um caminho contrário ao esperado pelo investidor, os custos com a recompra e o aluguel devem ser arcados, gerando um prejuízo não planejado.

Apesar de existirem períodos de fortes baixas, a tendência natural do Mercado é subir. Ou seja, o investidor que pratica uma venda descoberta está agindo de forma contrária à natureza do mercado.

Nestes casos, o investidor deve estar certo de que a empresa em questão não prosperará e apresentará um resultado suficientemente baixo para, ao menos, cobrir os custos com o aluguel da ação e o necessário para devolvê-las ao doador. Caso contrário, o investidor amargará prejuízos graves.

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Página da Internet:

 

IHODI https://pt.ihodl.com/academy/trading/riscos-da-venda-a-descoberto/ Acesso em 19/05/2020

 

(ITAU CORRETORA) https://www.itaucorretora.com.br/nossosservicos/short-ou-venda-a-descoberto.aspx   Acesso em 13/052020

(EconomiaUOL)

 

UOL https://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2020/03/12/queda-da-bolsa-nao-acaba-o-que-investidor-deve-fazer.htm   Acesso em 17/052020

 

JOSÉ OLIVEIRA, JOÃO, UOL https://www.bol.uol.com.br/noticias/2020/03/12/queda-da-bolsa-nao-acaba-o-que-investidor-deve-fazer.htm Acesso em 18/05/2020



Informações sobre o texto

Trabalho realizado mediante um trabalho acadêmico da disciplina de Direito Empresarial II

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso