Jus Dúvidas

Perguntar

Qual é a sua dúvida?

Respostas

3

  • 0
    J

    João Celso Neto Sexta, 01 de fevereiro de 2002, 20h27min

    Não vejo por que não poderia ser arguida.

    Observe-se, no entanto, que tal exceção, em princípio, somente seria cabível, por exemplo, após a existência de uma sentença no processo de conhecimento, ou seja, teria havido uma condenação e, CUMPRIDA A SENTENÇA, a parte credora viesse a promover a execução (descabida, por conseguinte).

    Aquele instituto pretende mostrar, ou demonstrar, que não havia (mais) dívida a saldar.

    Em outras palavras, não vejo como contestar a ação de cobrança (fase de conhecimento, inicial do processo nos JEC) com exceção de pré-executividade, mas, tendo havido uma condenação e satisfeita "voluntariamente" e em tempo hábil (antes do trânsito em julgado), se advier um pedido de execução, este seria oponível pela dita exceção.

    Espero haver contribuído.

  • 0
    J

    juliano gil alves pereira Segunda, 16 de setembro de 2002, 20h07min

    A exceção de pré-executividade é o veículo próprio para discussão, nos próprios autos, da validade da atividade executiva. É que, inexistente qualquer das condições da ação, não vislumbra o doutrinador o porquê da garantia do juízo, para então, somente em sede de embargos, avaliar-se as condições da lide.
    Nada impede, ressalte-se, que o devedor, caso queira, garanta o juízo para nos embargos discutir também as condições da ação, conjuntamente com a matéria de mérito, o que traria maiores delongas à máquina judiciária.
    E foi pensando desta forma que a doutrina reconheceu a possibilidade do executado, antes de garantido o juízo, demonstrar a inviabilidade do prosseguimento da demanda expropriativa se ausente uma das condições da ação, até como forma de economia processual.
    E nossos tribunais, seguindo a inteligência doutrinária, teve oportunidade de se manifestar acerca do tema:
    "EXECUÇÃO POR TÍTULO EXTRAJUDICIAL - Impossibilidade jurídica da execução - Exceção de pré-executividade - Possibilidade de sua arguição nos próprios autos da execução e não somente em embargos do devedor - Deferimento - Recurso provido para que o juiz decida fundamentadamente a ação." 1º TACivSP - AI nº 628.88-1 - Mauá - 11ª Câm. Rel. Juiz Ary Bauer - vu - j. 17.08.95
    Entendo que a exceção é cabível também no âmbito da Justiça Especial Cível, porque, por ser criação doutrinária, não fez o legislador referência a competência desse ou daquele tribunal.
    Espero ter correspondido as expectativas.
    atenciosamente,
    juliano gil alves pereira
    advogado

Essa dúvida já foi fechada, você pode criar uma pergunta semelhante.

Receba os artigos do Jus no seu e-mail

Encontre um advogado na sua região