Tenho um cachorro de porte médio, um buldogue campeiro, que pesa 41kg. Ele não pode circular pela áreas comuns do prédio, segundo convenção. É extremamente educado, não late e só faz suas necessidades na rua. Sai de duas a três vezes por dia. Mas a distância do prédio a rua é de 50m e o condomínio me fornece um carrinho de supermercado para fazer o transporte. As patinha do cachorro fica machucada e é MUITO complicado colocá-lo e retirá-lo do carrinho, devido a seu peso. Acho razoável que pelo menos o condomínio adeque o carrinho ao tipo de animal que existe no prédio. Existe outro buldogue no prédio e sua dona, que estava grávida, passou por problemas devido a falta de adequação do tipo de transporte. Estou certa em querer reivindicar uma solução melhor para esse problema? O que posso fazer para amenizar isso?

Respostas

10

  • 0
    I

    Insula Ylhensi Suspenso Quarta, 14 de março de 2012, 1h04min

    Se o condomínio permite a presença de animais, é ilógico que não permita que eles entram e saiam.
    Tente conversar com o Sindico para propor uma mudança de modo a atender os objetivos da tal proibição (circular) sem que isso leve aos maus tratos aos animais, coisa que é contra a Lei Ambiental. Argumwento vc já tem, os machucados causados ao cão.

    Sugira o uso de mordaça e uma fralda. Assim ninguém vai alegar que o cão poderá morder alguém ou sujar o ambiente.

    Uma vez no portão de seu condomínio poderá retirar a fralda. É um incoveniente mas, ao menos, não prejudica a saúde do animal.

  • 0
    M

    Marisa Quarta, 14 de março de 2012, 9h49min

    No meu condomínio os pets entram e saem no colo ou com a guia de contenção, nem exigimos a fralda porque, bem entendido, se ele sujar, o dono limpa.

    E desculpe a sinceridade, eu acho uma tremenda falta de higiene o animal no mesmo carrinho de compras de supermercado, sabe-se lá se esse carrinho será bem limpo? Mas as suas saídas: discutir mudanças na assembleia ou comprar um carrinho para o seu pet. Nem é tão caro e você resolve ao menos o problema dele, sem precisar que outros condôminos desembolsem "essa fortuna". Porque em condomínio tem chato pra tudo.

    Boa sorte

  • 0
    ?

    Desconhecido Quarta, 14 de março de 2012, 13h05min

    Oi a todos, obrigada pelas respostas e conselhos!
    A vizinha que tem um buldogue pesadíssimo e estava grávida tentou esse recurso da fralda, mas mesmo assim proibiram. Ela hoje em dia paga uma fortuna a um passeador, para não ter que pegar o cachorro no colo para colocá-lo no carrinho. Esse custo não posso assumir no momento. E também acho injusto o condomínio inserir essa norma na convenção e não fornecer o transporte adequado. Eu ter que arcar sozinha com o custo do carrinho também não acho justo. Todos usam. Talvez se juntar com os donos dos outros cães...
    O carrinho de supermercado é utilizado somente para o transporte de animais, tem um só para compras. Mas é que vocês não fazem idéia do que é colocar meu cachorro de 41kg dentro desse carrinho...
    Eu como inquilina posso participar de uma assembléia para discutir esse tópico? Acho que seria melhor juntar os donos dos cachorros de porte médio e grande para conseguir mais votos né?

  • 0
    M

    Marisa Quarta, 14 de março de 2012, 13h37min

    Eu faço ideia sim. Já vi um gatinho quase ter a perna arrancada num carrinho de feira. Maior judiação. Por isso que eu falei que compraria um apropriado, mesmo que tivesse que pagar por ele sozinha. Porque sempre vai ter um chato do contra. Mas se existem mais donos de animais fica mais fácil tanto para mudar o RI como para fazer o rateio.

    Minha resposta se baseou no entendimento de que seriam só dois pets no prédio.

    tchau

  • 0
    E

    Eduardo Domingo, 18 de março de 2012, 19h09min

    Acho que a Insula te respondeu muito bem, e se tal acontecesse no meu prédio, deixava eles irem para o pau. Como pode exigir que uma pessoa levante um bicho de 41 kg por conta de 50 metros.

  • 1
    O

    online Segunda, 19 de março de 2012, 15h37min

    Oi, tenho um poodle e levo ele sempre lá fora do condomínio para fazer suas necessidades e coloco tudo num saquinho e jogo no lixo algo que nem todos fazem.Acontece que levei ele no estacionamento para fazer e levei o saquinho,o local é aberto e cheio de pedras,eu fiz tudo como sempre faço mas observei a pessoa da limpeza ligando para,acho, a administradora será que é proibido! nem sempre dá tempo e tanto lá fora como dentro deixo limpo.

  • 0
    J

    Junior57 Segunda, 19 de março de 2012, 17h28min

    Penso que a questão que poderia existir é a de ser ou não permitida a presença de animais de maior porte. Pelo seu relato, há permissão ou ao menos tolerância. Em havendo, não podem determinar de que modo físico você deve levar o animal para fora. Leve-o andando e, se sujar, limpe. Simples assim. Mande passear (sem coleira) os que não têm o que fazer na visa e só vivem de encher o saco alheio. É isso aí. Fui.

  • 0
    D

    Desconhecido Quinta, 02 de fevereiro de 2017, 18h48min

    Oii, tenho um shih tzu que levo sempre para passear fora do condomínio , mas agora descobri que a minha cachorrinha tenha problema de pele e ela esta com uma mania que só faz suas necessidades na rua . Meu condomínio proibido transitar com os cães, mas conversei com a veterinária e ela disse que não poderia levar mais minha cachorra para passear na rua pública , somente no condomínio , pois na rua a doença de pele dela só piora e assim nunca vai melhorar , e ela não se acostuma mais , fazendo em casa.O que eu posso fazer para conseguir que a minha cachorra possa passear dentro do condômino ? Não há nem um jeito para eu conseguir isso ? Ou é melhor tentar , com que ela faça suas necessidades em minha residência ( como conseguir que ela faça isso ) ?

  • 0
    H

    Hen_BH Sexta, 03 de fevereiro de 2017, 12h58min

    Em hipótese alguma o animal pode fazer suas necessidades nas áreas comuns do condomínio. O fato de ele estar doente, e ter recebido contra-indicação de sair a rua não transfere aos demais moradores o ônus de ter a propriedade defecada/urinada pelo fato de o animal não ter se acostumado em outro lugar que não a rua. Se existe regra condominial proibindo que animais transitem em áreas comuns, ela deve ser respeitada. Se ela não pode fazer na rua, você é que terá de providenciar outros meios e locais para tanto. Pode procurar um adestrador para ensiná-lo a fazer dentro da sua casa, lembrando ainda que mesmo nesse caso o odor não pode incomodar os demais moradores, sob risco de multa e até mesmo a retirada do animal

Essa dúvida já foi fechada, você pode criar uma pergunta semelhante.