Boa tarde,

No último fim de semana atropelei um ciclista enquanto eu estava trabalhando em entregas, ele também estava. Foi em uma via de mão única, na qual ele estava vindo na contramão, não tinha movimento porém me avistou de longe e justamente quando fui passar perto dele, então ele quis cruzar de um canto ao outro.

Então não consegui evitar, atropelei o mesmo, já que o erro foi dele, o próprio admitiu e disse que bike estava com varios problemas. Porém prestei atendimento a ele perguntei várias vezes se ele queria que levasse no hospital disse que não, porque estava com a bicicleta do trabalho e tinha que ir lá primeiro para depois ir no hospital.

Então pedi o valor do dano que teve na moto, porém das peças que eu vi que tinham quebrado eram 4, mas só pedi de uma no valor de 100 reais ele disse que estava sem celular e que o restaurante do local que trabalhava iria pagar. Me passou seu contato, disse o lugar aonde trabalhava. Após ele ir embora, eu fui tentar ir para casa vi que a moto amassou várias outras peças na qual não me deixava ir embora, como a moto tem seguro chamei o reboque e fui para casa.

Daí fui mantendo contato com ele perguntei como estava ele disse foi apenas uma luxação que o médico disse, falei com ele que fui de reboque e que iria na oficina passar o valor a ele do reparo da moto, passei mas agora não quer pagar e nem me responde mais, o valor ficou em 800 reias porém pedi a metade para resolver isso. Mas o restaurante no qual ele trabalha liguei para lá e eles se negam a pagar esse valor, disseram que está muito caro e que ele não deveria pagar pois "eu que atropelei" e que estou querendo ganhar "vantagem" em cima da situação está me chamando para resolver na delegacia ou em processo.

Querem que eu leve a moto lá no restaurante que é uma distância de 40km aonde eu moro para eles verem e comprar peças mais baratas possíveis, sendo que as peças da minha moto são originais e o valor do orçamento nem coloquei originais mas paralelas para sair mais em conta.

O que eu posso fazer nessa situação? de fato o ciclista/restaurante tem que pagar o prejuízo ou terei que ficar no prejuízo?

OBS: enviei fotos da moto com as peças quebradas/amassadas, da moto no reboque a vítima para repassar ao restaurante, mesmo repassando se negam a pagar e a vítima não me responde mas. Ele está com mensagens temporárias ativida ou seja elas desaparecem após 24h, só consigo contato com o restaurante, porém eles desligam quando vê que sou eu. Estou gravando as chamadas para tentar reunir provas posso fazer isso?

Respostas

5

  • 0
    I

    ISS// Quarta, 08 de dezembro de 2021, 14h15min

    Acione o seu seguro e ele com certeza vai pagar muito maiis que 800 reais pague a franquia e cobre dele no juizado especial civel

  • 0
    R

    Roberto Moura Quarta, 08 de dezembro de 2021, 14h18min

    Meu seguro é somente contra roubo, que da direito a 3 reboques ao ano, primava ve que utilizei. Não é completo incluindo colisões, perda total... esse é o problema!

  • 0
    H

    Hen_BH Quarta, 08 de dezembro de 2021, 14h28min

    Então acione o ciclista e o empregador dele na justiça. É o que resta.

  • 0
    R

    Roberto Moura Quarta, 08 de dezembro de 2021, 14h36min

    Mas eu preciso ter provas para entrar na justiça sim? estou filmando as ligações e foi perto de um condomínio será que eles liberaram as filmagens sem precisar ter um mandato? Se eu consertar a moto, o ideal seria guardar as peças antigas para ter mais embasamento correto? Alguém sabe me dizer quanto tempo demora um processo nesses casos?

  • 0
    H

    Hen_BH Quarta, 08 de dezembro de 2021, 14h43min Editado

    Todo e qualquer processo desse tipo demanda provas. Quem alega ter sido lesado deve prová-lo.

    As ligações comprovam que você está ligando para os supostos responsáveis, mas não que o ciclista seja o culpado pelo evento.

    Só saberá se o condomínio irá liberar as imagens perguntando ao síndico/administrador. Mas sem mandando judicial ou requisição do delegado, eles liberam se quiserem.

    E duração de processo judicial no Brasil, em época de pandemia, só Deus sabe. Na melhor das hipóteses, de 4 a 6 meses para começar uma movimentação efetiva.