O coronel Nivaldo Restrito participou indiretamente pelo caso do Massacre do Carandiru

O que esperar agora já que Doria chamou ex-comandante da PM para administrar superlotados presídios de SP, o Coronel Nivaldo Restivo será responsável pela gestão de 171 unidades prisionais, com capacidade para 140 mil presos e população atual de cerca de 227 mil presos, em seu curriculum está o comando de tropas de elite como a Rota e também a participação indireta no emblemático caso do massacre do Carandiru ocorrido em 92 que foi responsável pela morte de 111 presos, o atual secretário Lourival Gomes, trabalha no sistema prisional há 47 anos e um dos maiores conhecedores do assunto no país.

Desde que assumiu cargos em março de 2006, após os ataques do PCC pelo estado, Lourival vem tentando estancar a crise nos presídios, apesar da super lotação e das precárias condições dos encarceradas que vivem em circunstâncias medievais e desumanas, mesmo com tudo os índices de rebeliões são consideravelmente menores 

O nome de Restivo para a SAP agradou a setores do MP da própria Polícia Militar que defendem que o Estado amplie a ofensiva contra o PCC.

Manter o controle dos presídios será, inclusive, um dos grandes desafios para o futuro secretário dos presídios já que deverá herdar o sistema com o Marcola transferido para um presídio federal e com isso a reação dos outros presos e incerta

A permanência de Lourival Gomes era dada como certa até o início desta semana mas Doria tem projetos que não foram do acordo de Lourival o que frustrou o novo gestor


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0