Um balanço do governo de São Paulo informa que seis das sete famílias dos mortos no massacre na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, já receberam as indenizações pagas pelo estado.

Um balanço do governo de São Paulo informa que seis das sete famílias dos mortos no massacre na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, já receberam as indenizações pagas pelo estado. Quanto aos 11 adolescentes feridos, todos já receberam diretamente as indenizações.

Um adolescente e um jovem encapuzados atacaram a escola no dia 13 de março e mataram sete pessoas, sendo cinco alunos e duas funcionárias do colégio. Em seguida, um dos assassinos atirou no comparsa e, então, se suicidou. Pouco antes do massacre, a dupla havia matado o proprietário de uma loja da região.

De acordo com Lia Porto Corona, procuradora-geral do estado, a primeira indenização aconteceu em menos de 30 dias após o massacre. Ela informou, que foram usados os parâmetros presentes nas decisões dos tribunais, principalmente do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A Secretaria de Educação de São Paulo informou que a escola segue com o mesmo número de alunos. Embora 20 tenham pedido transferência para outras escolas, outros se matricularam. Também afirmou que cinco professores e três funcionários estão afastados em licença-saúde.

Segundo a Defensoria, cinco dias depois, 11 estudantes feridos no ataque passaram por avaliações física e psicológica de peritos do Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo (Imesc). Os laudos embasaram a definição de valores e acordos indenizatórios.

Fonte: Agência Brasil


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0