O 2º Juizado Especial Cível de Brasília condenou uma empresa de organização de festas a pagar indenização, no valor de R$ 1,5 mil, por danos morais a uma consumidora que teve seu réveillon frustrado.

O 2º Juizado Especial Cível de Brasília condenou uma empresa de organização de festas a pagar indenização, no valor de R$ 1,5 mil, por danos morais a uma consumidora que teve seu réveillon frustrado. Ela adquiriu ingresso para um evento mas não houve cumprimento das atrações que foram anunciadas.

O caso

No dia 31 de dezembro de 2018, a consumidora foi para o evento, onde ficou no camarote. A festa prometia open bar, open food, lounges e acesso a todos os shows. Também a divulgação informava que o ambiente seria montado em uma área especial dentro da estrutura do Nossa Praia, oferece banheiros, bares exclusivos e serviço de buffet, além de pista de dança própria com atrações especiais.

Entretanto, o fornecedor não cumpriu a oferta, como foi constatado em fotografias e matérias jornalísticas feitas na época.

Visão jurídica

A juíza titular constatou que a prova produzida revelou que o fornecedor não cumpriu a oferta. Assim, a magistrada entendeu que a situação vivenciada pela autora extrapolou o mero descumprimento contratual e atingiu direito fundamental passível de indenização, ao frustrar legítima expectativa da consumidora e por isso estabeleceu o pagamento de indenização n

Fonte: TJDF


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0