Para todas as fases e organização, mostra-se indispensável a atuação legal experiente.

Muitos são os passos a serem respeitados em uma importação.  Eles abrangem uma série de questões administrativas, cambiais e fiscais.

Assim, “partindo do zero”, a empresa que almejar dar início às suas importações deve se atentar para os seguintes passos:

1º Passo – Habilitação – OBS.: Serão necessárias possíveis adequações contratuais, ao exemplo da alteração do contrato social, incluindo-se no objeto social a atividade de importação;

2º Passo – Classificação Fiscal da Mercadoria – OBS.: A correta escolha de NCM gerará impacto direto na alíquota dos tributos;

3º Passo – Pesquisar Fornecedores Estrangeiros – OBS.: O importador deve garantir uma boa escolha de fornecedor, evitando escassez de produtos e principalmente problemas fiscais;

4º Passo – Contato com o Fornecedor – OBS.: Os contratos entre exportador e importador devem conter as condições de venda, formas de pagamento, transporte, dimensões, especificações técnicas, prazos de entrega, dentre outros. Assim, o importador se resguarda e garante a  comprovação da licitude do seu negócio;

5º Passo – Licenciamento de Importação (LI) – OBS.: Antes de iniciar uma operação de importação, o importador deve verificar se há a necessidade de controle administrativo interno, uma vez que, normalmente, tal análise deve ser efetuada anteriormente ao embarque da mercadoria no exterior, sob pena de pagamento de multa;

6º Passo – Embarque da Mercadoria e Contratação de Transporte – OBS.: O embarque ocorrerá logo depois da emissão da LI, quando necessária. Já o frete propriamente dito será conduzido por cia. transportadora ou agentes de carga. Para o desembaraço aduaneiro, serão indispensáveis o conhecimento de embarque, a fatura comercial, o certificado de origem e outros certificados que se mostrarem necessários;

7º Passo – Contratação do Câmbio e Pagamento ao Exportador – OBS.: tais pagamentos serão controlados via Banco Central, a depender das tratativas realizadas entre importador e exportador;

8º Passo – Liquidação do Contrato de Câmbio – OBS.: Ocorrerá de forma imediata (em até 2 dias úteis da data do fechamento do câmbio) ou futura (até 360 dias contados da data da contratação);

9º Passo – Liberação da Mercadoria/Despacho Aduaneiro – OBS.: O ato que determina o início do despacho aduaneiro de importação é o registro da DI no Siscomex, salvo nos casos de Despacho Antecipado, quando ocorre o efetivo pagamento dos tributos inerentes à importação.

Para todas as fases e organização, mostra-se indispensável a atuação legal experiente.

É indispensável o acompanhamento de profissionais especializados.

Fonte: RECEITA FEDERAL

Em caso de dúvida consulte nossa equipe para que possamos te ajudar. Nosso escritório é especializado em Direito Aduaneiro e Tributário !

Notícia comentada por Fabricio Norat, Advogado, Formado em Direito em 2014 pela FMU/SP. Área de Atuação: Direito Aduaneiro, Direito Tributário. OAB: 431.023.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0