Dados da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) indicam que o presidente deveria propor correção para cobrir a inflação dos anos de 2018 e 2019, reduzindo a carga tributária do brasileiro.

Informações detalhadas pelo jornal O Estado de São Paulo (Estadão) dão conta de que o presidente Jair Bolsonaro deveria atualizar a tabela do Imposto de Renda 2020 em 7,39% para não elevar a carga tributária do brasileiro.

Na prática, isso representaria uma redução de até R$ 13 bilhões na arrecadação federal, segundo um levantamento feito pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco).

O percentual de 7,39% corresponde ao acúmulo da inflação dos dois últimos anos. Essa, inclusive, foi uma promessa de campanha do então candidato Jair Bolsonaro, de reduzir a carga tributária brasileira.

Atualmente, está isento do IR 2020 o trabalhador que teve renda de até R$ 1.900/ mês.

A Unafisco destacou que a falta de correção da tabela, defasada no comparativo entre os anos de 1996 e 2019 em 95%, afeta mais de 11 milhões de trabalhadores, já que eles estariam livres da mordida do leão.

Faltam poucos dias para que a Receita Federal libere o acesso aos documentos relativos a declaração deste ano. Os brasileiros devem declarar o IR 2020 entre os dias 03 de março e 30 de abril. Fique atento ao prazo!


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0