Atualmente, o Brasil está entre os países que estão lutando para vencer a pandemia e é perceptível o descumprimento de muitas medidas apresentadas pela OMS e pelos governadores dos estados.

Atualmente estamos vivenciando um momento em que o país (Brasil) e o mundo se encontram lutando para combater um inimigo invisível, o novo coronavírus. Sabemos que o país tem tentando encontrar todos os meios necessários para conter a Covid-19 e tem tentado passar para a população sobre a necessidade e eficácia de ficar em casa para evitar que esse vírus se propague de forma rápida, tendo em vista que ele é muito contagioso. Por isso, o Brasil tem orientado que devemos atender às solicitações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem orientado de forma incisiva para que as pessoas fiquem em casa e que só saiam de casa tomando os cuidados em relações ao uso de máscara, ao ato de lavar as mãos com frequência e ao de uso de álcool em gel.

No entanto, é perceptível ainda que muitas pessoas não estão atendendo às orientações da OMS, que é também as de quase todos os Governadores de Estados no Brasil. Ou seja, os Estados brasileiros decretaram o isolamento social e o fechamento de quase todos os estabelecimento comerciais, permitindo que fiquem abertos apenas os que são considerados essenciais, como por exemplo, farmácias, supermercados e postos de combustíveis, dentre outros. O descumprimento das orientações de forma intencional, isto é, de forma dolosa, não seguindo as orientações e, portanto, descumprido os decretos e as medidas para evitar a proliferação do Covid-19, implica em alguma medida prevista em lei brasileira? 

A resposta é sim, pois o Código Penal Brasileiro, no Art. 268, que trata sobre os crimes contra a saúde pública, diz que “Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa: Pena – detenção, de um mês a um ano, e multa”. O presente artigo é a representação e positivação de que as medidas impostas pelo Estado devam ser cumpridas e que atitudes de descumprimento sejam impostas às sanções previstas na Lei.

Logo, o descumprimento de tais medidas de forma intencional configura crime doloso, configurando como fato típico. Sendo assim, a intenção em descumprir medidas do governo – o descumprimento de leis e decretos do Estado – configura tipo subjetivo de crime. O crime apresentado pode ser majorado quando se refere a sujeito ativo da ação. A pena é aumentada em um terço (1/3) se o crime for praticado por funcionário da saúde, a exemplo de médico e enfermeiro, entre outros profissionais da área.

Também configura crime a desobediência à ordem legal de funcionário público – crime previsto no artigo 330 do Código Penal Brasileiro, tendo em vista que estamos diante do bem jurídico que deve ser protegido, que é a administração pública. Isso está para o caso das entradas de algumas cidades em que se encontram algumas barreiras sanitárias, que têm a pretensão de impedir a entrada de pessoas de outras localidades que possam estar contaminadas com o vírus, de modo a impedir que o vírus se propague naquela localidade. Nesse caso, o descumprimento pode ser de qualquer pessoa, inclusive do funcionário público.

Atualmente, o Brasil está entre os países que estão lutando para vencer a pandemia e é perceptível o descumprimento de muitas medidas apresentada pela OMS e pelos Governadores dos Estados. É certo que é muito delicado tratar de um tema tão atual, presente nas nossas vidas, mas é possível analisar o que vem sendo discutido e apresentado pela mídia e inferir sobre os aspectos jurídicos e as implicações no descumprimento de medidas sociais. O presente texto é apenas para alertar sobre possíveis implicações em crimes pelo não atendimento às orientações da OMS e aos decretos governamentais, que são para o bem comum e para a saúde pública.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0