Jair Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada durante manifestação em apoio ao governo, tem criticado medidas de restrição de circulação.

Todo o mundo "literalmente", já sabe dos efeitos deste novo vírus sobre a humanidade. Da mesma forma, todos vem acompanhando a devastação que vem causando na humanidade, assim como, sob a mesma força, está o não conhecimento do com o "quê" estamos lidando de fato. Temos provas irrefutáveis, quanto ao número de mortes. E, está a humanidade ainda, de mãos atadas. Aí, um chefe de Estado, o qual tem influência direta sobre muitas pessoas tentar demonstrar o contrário. Ironizando sobre tudo o que vem acontecendo. Inclusive, absurdamente, achincalhando publicamente as medidas restritivas tomadas pelos governadores e prefeitos consecutivamente, para tentar amenizar de forma preventiva o que ainda iremos enfrentar lá na frente. Já que vírus tem efeitos mutacional e, pode ficar inoculado e/ou permanecer no organismo humano sem dar nenhum sinal... Trata-se, de parasitas intracelulares obrigatórios Em muitos casos os vírus modificam o metabolismo da célula que parasitam, podendo provocar a sua degeneração e morte. E, não podemos esquecer de falar da janela imunológica, que é o intervalo de tempo entre a infecção pelo vírus e a produção de anticorpos. E, que fica fragilizada com a queda da imunidade, fazendo com que o oportunismo favoreça o vírus. Mas, nosso organismo ainda, não produz anticorpos para este vírus. E, ninguém ainda no mundo, sabe qual de fato é sua forma, como age, reage e como devemos tratar a(s) doença(s) causadas por ele. Nosso chefe maior, insufla as pessoas negativamente. E, de uma forma direta ou indireta, colocando-a em risco a saúde daqueles que o seguem. Contudo, saindo de uma análise mais na área da saúde e, nos remetendo a área jurídica, podemos dizer que o chefe de estado tem atentado contra a saúde pública. Pois, ao orientar e encorajar as pessoas a não cumprirem com as orientações sanitárias preventivas, atenta veementemente, contra essas normas. E, o papel de um líder de uma nação é proteger seus patriotas. Dando exemplo, fazendo respeitar a lei e a ordem. Bem como, protegendo a integridade física, emocional, social, econômica, educacional, etc., de todos os nacionais. Fazer uma crítica contrária a realidade, as normas sanitárias, a ciência e a todos os fatos, é brincar de forma irresponsável com a saúde da nação. Pois, a partir do momento que se expõem passa a falsa impressão de que está tudo bem. Quem sabe ele também acha que o vírus é fake news ? A atuação de um chefe de estado é promover a paz, é promover a saúde e, fazer por meio do seu exemplo a mola mestra para a atitudes dos cidadãos. Ao agir de forma contrária, contraria também a lei e a ordem, assim como, aos mandamentos da própria constituição federal. Não é possível entender como ainda não fora tomada nenhuma medida contra as atitudes e falas do presidente, as quais deixam um questionamento sobre sua conduta na condição de chefe maior de uma nação.

Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0