Sanção presidencial ocorreu no fim do mês de setembro. Estudos demonstram correlação entre abusadores de animais domésticos e lares com relatos de violência doméstica.

No dia 29/09/2020, o presidente Bolsonaro sancionou o projeto de lei que altera a legislação de crimes ambientais. Agora é lei: o executivo confirmoua resposta dada pelo legislador aos apelos da sociedade brasileira, que vem se revoltando e protestando diante de registros de crueldade a cães e gatos viralizados na web.

Isso quer dizer que as práticas de abuso, maus-tratos, mutilação e ferimento aos cães e gatos serão punidas de forma mais severa, com pena de reclusão de 2 a 5 anos, além de multa e proibição de guarda. Antes as penas eram muito mais brandas: multa e apenas 1 ano de detenção.

Há alguns estudos interessantes acerca de uma possível correlação entre a crueldade aos animais domésticos e o registro de violência doméstica. Ao que parece, quando se fala em desrespeito à vida, não há mesmo especismo: a dignidade dos seres é nivelada para baixo. 

Para além do âmbito doméstico, estende-se a seriedade da discussão para os inúmeros criatórios ilegais, em que as fêmeas são reduzidas a máquinas reprodutoras em massa, em ambiente de completa insalubridade. A alteração pontual na lei de crimes ambientais reflete uma evolução cultural da sociedade no que se refere à percepção sobre o direito dos animais.

Claro que a resposta punitivista estatal não é a mais adequada, já que não atua no formar-se do cidadão consciente, mas lhe imprime certa coação a fim de inibir a prática do ato condenável. Enfim, a rigidez da pena, embora medida de culturas em transição, neste momento, deve ser entendida como positiva e necessária – e que o Brasil nunca se esqueça de que a melhor medida contra atitudes abusivas é sempre a educação.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso