Ao navegar, você aceita que o Jus use cookies e parcerias para personalizar conteúdo e anúncios. Política de Privacidade

Símbolo do Jus.com.brJus.com.br

JUIZ DETERMINA ARQUIVAMENTO DE PAD CONTRA SERVIDOR DA SAÚDE QUE ESTARIA ACUMULANDO DOIS CARGOS

O magistrado verificou que há previsão legal, que não há incompatibilidade de horários e que o profissional atua com eficiência e responsabilidade em ambas ocupações.

 

A Vara Cível e Fazendária de Viana ordenou o arquivamento imediato de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado pelo Estado contra um servidor público que estaria supostamente acumulando dois cargos na área da saúde, de forma ilegal. O juiz entendeu que não há ato ilícito, já que a própria Constituição prevê essa acumulação.

 

A CF, no art. 37, inciso XIV, excepciona a regra da não‐acumulação remunerada de cargos públicos quando se tratam de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas e com horários compatíveis, ressaltou o magistrado.

 

No pedido liminar, o autor que é técnico laboratorial, afirmou que já trabalha há dois anos com empenho e total compatibilidade de horários em um hospital estadual, por escala, totalizando 40 horas semanais e, diariamente, em um laboratório do município de Vitória, totalizando 30 horas semanais.

 

Em defesa, o Estado alegou que o somatório de 70 horas nas duas esferas ultrapassa o limite estabelecido pelo Decreto n. 2.724‐R/2021, que é de 65 horas semanais. O juiz, entretanto, levou em consideração depoimentos prestados por testemunhas e superiores hierárquicos, comprovando a dedicação e a eficiência do profissional.

 

O estado desconsiderou aquela que talvez tenha sido a principal motivação que levou o legislador Constituinte a criar a permissão: a prestação do serviço sem geração de prejuízo à qualidade e eficiência. Existem declarações atestando que ele vem cumprindo pontualmente sua carga horária, sem apresentação de atestados ou cometimento de faltas, além de depoimentos afirmando sua assiduidade, comprometimento, disposição e coleguismo no ambiente de trabalho.

 

Ainda, segundo o magistrado, em casos semelhantes a esse, em que não há prejuízo às jornadas, nem às atividades exercidas, o STJ, acompanhado pelos tribunais estaduais e federais brasileiros, já possui entendimento predominante de que eventual carga horária máxima, fixada a nível infraconstitucional, pode e deve ser flexibilizada.

 

Fonte: Tribunal de Justiça do Espírito Santo

 

CRISTIANA MARQUES ADVOCACIA

Sobre a autora
Imagem do autor Cristiana Marques Advocacia
Cristiana Marques Advocacia

ADVOGADA ESPECIALISTA EM DIREITO ADMINISTRATIVO - DO CONCURSO A APOSENTADORIA Advogada Especialista em Direito Administrativo e Público – CONCURSO PÚBLICO (nomeação, posse, reprovação, estágio probatório) & SERVIDOR PÚBLICO (aposentadoria, licenças, transferências, PAD) . Atua no atendimento a pessoas físicas e jurídicas, o cliente será atendido desde a entrevista até a decisão final pela advogada. Mantendo – se assim a confiança entre advogado e cliente. Prestamos acompanhamento jurídico diário aos nossos clientes. A Experiência faz toda diferença! Advogada especialista em clientes exigentes que sabem dar valor ao direito que têm.

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos
Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!