Símbolo do Jus.com.br Jus.com.br

5 Pilares de diferenciação entre Periculosidade e Insalubridade

22/06/2022 às 13:26

As empresas e os seus colaboradores precisam se resguardar, trabalhar com o máximo de segurança possível. Em algumas situações existem adicionais de Periculosidade e Insalubridade para o funcionário, leia e entenda melhor esses pilares.

Com certeza você já ouviu falar em periculosidade e insalubridade, mas você sabe a diferença desses dois termos? como se qualifica cada um desses termos? O que os diferencia?

Para entender essa diferença vamos ver o conceito de cada uma delas.

Os termos insalubridade e periculosidade constantemente causam dúvidas em empresas e profissionais que exercem ofícios que os expõem a agentes nocivos à saúde. 

Apesar de ambos terem a possibilidade de pagamento adicional para  trabalhadores, cada um possui legislação e regulamentação próprias. Pensando nisso, trouxemos as diferenças entre insalubridade e periculosidade no ambiente ocupacional.

A legislação trabalhista protege, por meio de normas, todo trabalhador que executa suas funções em atividades insalubres ou perigosas, de forma a amenizar o impacto destas atividades na saúde do trabalhador.

A ideia é que o trabalhador exposto a perigo tenha em seu salário um aumento na medida da gravidade do risco. A seguir, você confere como funcionam os adicionais de insalubridade e periculosidade.

1 Locais de trabalho

Os locais de trabalho insalubres são aqueles em que o ambiente de trabalho pode causar lesões, doenças ou morte. A insalubridade pode resultar de muitos dos diferentes aspectos do mundo do trabalho, incluindo equipamentos, materiais, práticas de trabalho inseguras e comportamento das pessoas.

2 CONDIÇÕES DE INSALUBRIDADE

Insalubridade: a lei define a insalubridade através do art.189 na CLT da seguinte forma:

Serão consideradas atividades ou operações insalubres aquelas que, por sua natureza, condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus efeitos.(Art 189)

Dessa forma, podemos entender que insalubridade significa tudo o que leva a doença ou acidente. 

Podemos entender a insalubridade como sendo algumas condições de trabalho que afetam de maneira diretamente a saúde do trabalhador, levando o mesmo a problemas de saúde ou até mesmo um acidente.

Quando um trabalhador é exposto a insalubridade ele tem que receber um valor adicional, que tem como intuito recompensar por possíveis danos à saúde que ele terá em decorrência do trabalho.

 

Foto de Gunshe Ramchandani: https://www.pexels.com/pt-br/foto/alvorecer-amanhecer-aurora-crepusculo-5615117/ (Eletricistas trabalhando em rede de alta tensão).

3 profissões consideradas insalubres pelo INSS:

  • Eletricista (acima de 250 volts);

  • Maquinista de Trem;

  • Motorista de caminhão (acima de 4000 toneladas);

  • Técnico em laboratórios de análise e laboratórios químicos;

  • Operador de Raios-X;

  • Operador de Câmara Frigorífica;

  • Soldador;

  • Bombeiro;

  • Químicos Industriais;

  • Toxicologistas;

Dos eletricistas que realizam serviços de baixa tensão é exigido a certificação em NR 10.

Para eletricistas que realizam serviços acima de 1000 V, ou seja, de alta tensão, além do curso NR 10 básico é exigido o NR 10 Sep (Sistema Elétrico de Potência).

Esses são somente alguns exemplos, mas existem diversas atividades que são consideradas insalubres.

4 DEFINIÇÃO DE PERICULOSIDADE

Por outro lado, periculosidade é assim definido por lei: São consideradas atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem risco acentuado em virtude de exposição permanente do trabalhador. (Art. 193)

Da mesma forma, a palavra "perigoso" refere-se a algo ou uma condição que gera perigo.

Enquanto a insalubridade expõe o trabalhador a algo que realmente o prejudica (em curto e longo prazo), a periculosidade apenas o expõe ao risco de que algo possa acontecer por causa da natureza da atividade.

Na visão jurídica, a periculosidade é definida por atividades dos empregados que colocam sua vida ou integridade física em risco. Dessa forma o empregador fica obrigado a pagar o bônus correspondente.

A periculosidade tem artigo específico na CLT, Consolidação das Leis de Trabalho (Artigo 193 da CLT), ao buscar adicional de periculosidade em casos não previstos na lei deve-se procurar uma empresa de advocacia.

5 - Exemplos de atividades que têm grau de periculosidade no seu exercício:

  • Transporte de Inflamáveis;

  • Transporte de materiais explosivos;

  • Serviços elétricos;

  • Serviços com uso de moto;

  • Atividades sujeitas a roubo;

  • Exercício de Segurança pessoal ou patrimonial.

    No Brasil, as relações trabalhistas e empregatícias, que abrangem também os empregados da pedreira, são atualmente regidas pela CLT, conforme a Ordem Executiva 5.452 de 1º de maio de 1943 (Ordem Executiva 5.452/43). 

    A caracterização e classificação legal das situações de insalubridade, nos termos do artigo 189 da CLT, segue atualmente o que preconiza a NR-15 1º a 14º anexos (Norma Regulamentadora 15), aprovada pelo Decreto Governamental 3.214, de 8 de junho de 1978 (Portaria 3.214/ 78), na forma da Lei 6.514/77, que define os agentes físicos, químicos e biológicos que podem provocar uma doença ocupacional, uma vez presentes no ambiente de trabalho. A avaliação desses agentes pode ser tanto:

a) quantitativa, onde são necessárias medições com o emprego de instrumentação adequada - medidores de nível de pressão sonora e termômetros, entre outros, quanto

b) qualitativa, onde os limites de tolerância legais são geralmente monitorados por inspeção do trabalho.

No caso de situações perigosas, sua caracterização e classificação legal, de acordo com o artigo 193 da CLT, atualmente segue o estabelecido pela NR-16 1º e 2º anexos (Norma Regulamentadora 16), aprovada pelo Decreto Governamental 3.214, de 8 de junho de 1978. para explosivos e materiais inflamáveis. 

Também estão em vigor as exigências estabelecidas pela Portaria 1.078, de 16 de julho de 2014 (Portaria 1.078/14) para energia elétrica, e pela Portaria 1.885, de 02 de dezembro de 2013 (Portaria 1.885/13) para atividades relacionadas à segurança patrimonial . 

Por fim, a Portaria 518 de 4 de abril de 2003 (Portaria 518/03) regulamenta as radiações ionizantes.

Diferente da insalubridade, a periculosidade tem caráter qualitativo, ou seja, existe a verificação detalhada da atividade exercida pelo empregado e o seu local de trabalho.

 

Sobre o autor
Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!
Publique seus artigos