Perícia grafotécnica: impugnação à coleta remota ou virtual de assinaturas

23/11/2023 às 17:12
Leia nesta página:

Apesar de conveniente, a coleta remota de assinaturas pode apresentar riscos, devido a problemas de conexão, qualidade do equipamento utilizado e dificuldade na verificação dos grafismos produzidos.

Apesar de maior facilidade da coleta remota/virtual, há riscos. Por se tratar de um ambiente virtual, é passível de falhas decorrentes do equipamento, conexão, facilidade para dissimulação, impossibilidade de verificação acurada e de variados ângulos. Portanto, o perito deve observar alguns cuidados:

Quanto à conexão, a coleta remota demanda uma boa conexão de todos os participantes (principalmente, do periciando e da perita judicial), a fim de evitar que haja riscos na certificação de quem está produzindo os grafismos.

Quanto à câmera, é adequado que o equipamento que será produzida a filmagem seja limpo e de boa qualidade, caso contrário, a verificação dos grafismos produzidos e a identidade do periciando, poderá ser questionada.

É necessário que haja cuidado da perita em verificar o material produzido, a fim de certificar que o material produzido na sessão seja o mesmo apresentado/enviado à perícia, trata-se de um cuidado com a custódia dos padrões produzidos.

O recebimento do auto de colheita na via original também é necessário, pois a digitalização feita pelo periciando pode restar ineficiente. Também, deverá ser confrontada a fim de verificar se foi, realmente, o documento produzido na coleta.

Um ponto que corroborou com a coleta remota foi o assédio dos cursos rápidos que alegavam que o perito poderia se inscrever em qualquer Tribunal do país e fazer a perícia apenas com imagens digitalizadas, colocando uma expectativa arriscada para os profissionais despreparados.

O fato é: Por não ter um conselho de Grafoscopia/Documentoscopia, não há um consenso sobre as coletas de assinaturas remotas. Há apenas uma possiblidade, que depende da aceitação do juiz do referido processo.

Tendo em vista a popularização do ato e o receio quanto a equívocos, a autora desde texto, que produz conteúdo digital sobre a matéria, publicou um vídeo1 no seu canal do youtube, exemplificando os problemas que podem ocorrer em uma coleta remota e é coautora no artigo científico COLETA DE GRAFISMOS REMOTA RISCOS E POSSIBILIDADES2.

No referido artigo, as autoras evidenciam que a coleta por meio de videoconferência deve observar alguns requisitos para a sua segurança. Apesar de não haver sequer um livro que disponibilize critérios para o ato. Dessa maneira, o artigo disponibiliza requisitos para deixar o procedimento mais seguro:

1. Gravação do ato

Um primeiro ponto é que a coleta de grafismos deve ser gravada e a gravação deve ser disponibilizada no processo. Esse procedimento auxilia à verificação se a coleta foi procedida da maneira adequada.

2. Solicitações do perito na videoconferência

Como o documento será impresso pelo periciando, e este terá contato antes e após a coleta com o auto de coleta, é necessário que o perito verifique se a coleta está sendo procedida no referido formulário enviado, se este está sem qualquer outro preenchimento e após preenchido, deve ser mostrado à câmera para que o perito possa conferir o documento que virá para o seu escritório.

3. O envio do auto de coleta de grafismos

O envio do formulário de coleta é um ponto importante e que deve ser conferido pelo perito. O periciando vai enviar o formulário para o escritório pericial, quando do envio, deve enviar o número de rastreio para que seja possível a sua localização.

Quando o documento for recebido pelo perito, este deve filmar o recebimento, visando certificar o que foi recebido, é possível o recebimento de documentos com avarias.

4. Conferência dos documentos do Periciando

Ao iniciar o procedimento, o perito deve conferir se é mesmo o periciando, bem como, sua documentação deve ser mostrada na câmera.

5. Posicionamento da câmera

A câmera deve ter um posicionamento que possibilite a verificação da cabeça ombro e braços do periciando, bem como, do material que está sendo fornecido, para que o expert possa verificar o modo que o periciando escreve, e conferir se se trata do mesmo possuidor do documento (reconhecimento facial).

6. Oscilações da rede de internet

Nem todo mundo tem uma boa rede de internet, isenta de oscilações. Caso a videoconferência seja cortada ou oscile muito, o expert deverá avaliar se tal oscilação não trará riscos à segurança do ato, se não há a possibilidade de terceiro ter fornecido padrões ao invés do periciando. Cumpre ao perito judicial zelar pela segurança do ato, já que este é o auxiliar da justiça. Lembrando que o perito judicial é pago para desconfiar!

7. Plataforma

Não existe uma plataforma obrigatória. Pode ser o Microsoft teams, zoom, entre outras que sejam seguras e permitam a gravação do ato. Lembrando que a coleta pode se estender a mais de uma hora, é importante que a ferramenta suporte o tempo de gravação e de reunião. Portanto, a utilização de ferramentas pagas traz qualidade e profissionalismo ao ato.

No referido artigo, há a apresentação de um Procedimento Operacional Padrão (POP) para garantir a segurança do ato:

https://drive.google.com/file/d/1KclWUVDwMfTIhJ8_D-BH4tOP0yO_N4ES/view?usp=drive_link

A perita assistente recomenda a coleta presencial, sendo, inclusive, recomendada pelo Manual de Boas Práticas nos Exames Grafoscópicos3. Ademais, cumpre esclarecer que a coleta presencial não demandará acréscimo de trabalho à perita, visto que precisará buscar o documento questionado na via original na Vara Cível, caso depositado. Portanto, o deslocamento será imprescindível.

Afinal, perícia é coisa séria, que exige cautela e muito cuidado para que não haja brechas para equívocos, bem como, um dos critérios de admissibilidade dos padrões é a sua autenticidade, qualquer fragilidade nesse elemento pode prejudicar a perícia.

Nos quesitos a perita assistente faz a requisição do ato presencial, conforme: 5) Requer que a coleta de padrões seja procedida presencialmente, em Brasília, a fim de manter a boa condução do ato.

Contudo, a perita judicial apenas expressa que o ato será remoto, sem justificar a razão de sua preferência. Nesse sentido, requer que a expert esclareça o motivo e justifique o motivo, visto que, conforme demonstrado, não se trata do melhor ato para a efetivação da perícia.


Notas

1 https://youtu.be/jga4ihWtxS4 e https://youtu.be/WQ-FrRPyGBk

2 Autoras: J. M. TIROTTI e I. A. PIMENTA – Congresso Nacional de Criminalística/2022

3 https://www.sbcf.org.br/arquivo/downloadpublic?q=YToyOntzOjY6InBhcmFtcyI7czozNDoiYToxOntzOjEwOiJJRF9BUlFVSVZPIjtzOjM6IjMwNyI7fSI7czoxOiJoIjtzOjMyOiJmYjk0YWFlMzNmODZmMjQ4ZjhjNDMwNTU1MDgzNjMzYyI7fQ%3D%3D

Assuntos relacionados
Sobre a autora
Jacqueline Tirotti

Perita Judicial, Perita Particular e Assistente Técnica. Whatsapp. 61.9 8130-0097. [email protected], @peritatirotti

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!
Publique seus artigos