As fiscalizações in loco não deixarão de acontecer com o advento do eSocial, e as empresas de pequeno e médio porte, poderão se tornar alvos fáceis, por motivo de inadequação.

A atenção precisará ser redobrada, quando as informações exigidas pelo esocial tiverem que ser enviadas, isso porque, os erros ou inconsistências nessas informações, fará com que a empresa em questão se torne alvo das fiscalizações presenciais ( In loco) !

Cerca de 75% das empresas legalmente constituídas no país, nunca receberam qualquer tipo de fiscalização, devido a defasagem no efetivo de fiscais do extinto Ministério do Trabalho.

Mas a partir de agora, a dificuldade em fiscalizar e autuar estão com os dias contados, porque o eSocial vai tornar mais assertiva, a identificação de ilegalidades cometidas pelas empresas..

Os fiscais atuantes terão acesso as informações contidas na plataforma e por isso poderão surpreender as empresas ao chegarem nas mesmas com todas as irregularidades cometidas por elas em mãos...

É preciso se preparar bem para atender ao esocial no quesito segurança e saúde do trabalhador, pois, chegamos num momento onde as sub-notificações de informações e todas as irregularidades terão as devidas penalidades aplicadas !

Todas as empresas estão obrigadas a se ajustar, porém a dificuldade maior vai ser para aquelas desobrigadas de constituição de SESMT, pois é nessas empresas onde a cultura de fazer o errado esta mais enraizada..

A busca por parceria com BOAS consultorias e assessorias especializadas em segurança e medicina ocupacional será a solução tanto para atender, como para garantir o correto o envio das informações sobre os requisitos legais pertinentes.

O advento do esocial não acabou com as fiscalizações presenciais(In loco) como muitos pensam, pelo contrario, tornou-as mais eficientes e, diga-se de passagem, serão muito cobradas a apresentar resultados.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria