O SGSST tem como escopo, a busca pela eficacia na gestão dos riscos ocupacionais, e a otimização dos processos de trabalho.

Define-se sistema, como um conjunto de partes coordenadas, cuja finalidade é a realização de um conjunto de finalidades!

A cada ano que passa novas exigências legais, vêm adstringindo as organizações a adequarem seus processos de gestão, para que melhor possam atender as centenas de novas necessidades do mercado de trabalho contemporâneo.

Os sistemas de gestão, surgiram como uma relevante ferramenta de padronização de processos !

Administrar uma empresa sem ponderar minuciosamente todos os riscos de todos os processos de trabalho, nos dias de hoje, é um erro gravíssimo, capaz de comprometer até mesmo a subsistência da mesma.

O sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho é a definição, de um conjunto de ações, cujo propósito é o atendimento dos preceitos legais constituídos, onde sistêmicamente, protocolos, procedimentos e regras são implementadas visando elidir ou controlar os riscos ocupacionais.

Também pode ser entendido, como uma combinação de planejamentos, cujo foco é a melhora do desempenho das organizações, no que tange ao gerenciamento da segurança e saúde no trabalho.

Estas ações são dinâmicas e precisam acompanhar a evolução de novas exigências, dos desvios que vão surgindo ao longo dos anos, da adoção de novos processos de trabalho, das novas tecnologias, e da contratação de novos profissionais.

Para um sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho ser funcional é preciso definir o desempenho que a própria empresa quer obter, pois a proposta é criar meios para a melhoria contínua desse desempenho, o qual deve ser monitorado por indicadores e metas e revisado sempre que necessário para estar alinhado com os propósitos estabelecidos para a consecução dos objetivos.

 

 


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0