desigualdade. ofensa a igualdade de todos , previsto na constituição federal . livre concorrência nos cargos públicos em geral ,através de prova em concurso público . fim do apadrinhamento e indicação subjetiva em diversos cargos públicos ,em todos os poderes em geral .Emprego público , a quem demonstrar maior aptidão nas provas do concursos públicos.

Sou a favor do concurso público para qualquer cargo público,inclusive para ministros e desembargadores dos tribunais de justiça,caso não tenham sido aprovados em concurso para magistratura ou similar,pois é muito fácil um advogado não ter sido aprovado em concurso para juiz,e depois ,por indicação(quinto constitucional),se tornar desembargador sem prestar o essencial concurso público. Muitos desses desembargadores e ministros,infelizmente são indicados,devido a algum grau de amizade e por indicações políticas... Ora,se para ser servidor público em geral,é necessário a realização do concurso público,por que não ser obrigatório para cargos tão importantes,como desembargadores , ministro,secretários em geral dos 3 poderes e outros mais. CONCURSO PÚBLICO PARA TODOS OS CARGOS PÚBLICOS,JÁ!!!!! FIM DO "APADRINHAMENTO" E INDICAÇÕES POLÍTICAS PARA CARGOS TÃO IMPORTANTES,JÁ!!!!FIM DAS NOMEAÇÕES,JÁ!!!

site jus advogado marcos fernandes : marcosrfgadv.jus.com.br

E VOCÊ OPINADOR DO FÓRUM ,É A FAVOR DO CONCURSO PÚBLICO PARA TODOS OS CARGOS PUBLICOS EM GERALOU NÃO?


Autor

  • ADVOGADO MARCOS FERNANDES

    Especialidade(s): cível criminal trabalhista tributário consumidor e outros. distribuição de processos e recursos eletrônicos em geral , para todos tribunais do brasil. recursos para Brasília (STF e STJ).habeas corpus. mandado de segurança. consultoria para empresas e pessoas físicas . orçamento gratuito. formado pela u.v.a em 1999. mais de 20 anos de experiência comprovada.

    Textos publicados pelo autor

    Fale com o autor

    Site(s):

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0