Psicologia, Direito, atuação intra e extra forense.

Sabe-se que a justiça é proporcionada por uma diversidade de profissionais que atuam juntos, entre estes, temos o psicólogo. O psicólogo realiza visitas domiciliares e elabora pareceres técnicos, em relação a medidas protetivas de crianças e adolescentes, processos de curatela em relação a interdição, processos na vara de família (guarda,adoção).


Nas medidas de proteção, ele atua dentro dos abrigos – casas lares, conhecendo o contexto em que a criança/adolescente estava inserida, na inexistência do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) orienta sobre a elaboração do PIA (Plano Individualizado de Atendimento), realiza estudos de caso e produz relatórios técnicos.

Nos casos de curatela e interdição, faz visita domiciliar e analisa todo o contextofamiliar e social que a pessoa em pauta está inserida. Verificando se realmente existe a necessidade do procedimento, deixando seu parecer a disposição do Ministério Público e Defensoria Pública.

Nas violências físicas, psicológicas, sexuais, ajuda na escuta da criança, elabora o relatório do caso e encaminha ao atendimento psicológico clinico e médico (quando ainda não ocorreu), cuidando para que os impactos psicológicos não sejam mais potencializados.


Nos casos de guarda, verifica, quando solicitado, onde seria o melhor lugar para que a criança cresça, analisando não somente questões financeiras, mas tudo o que proporciona um melhor desenvolvimento físico e psicológico da criança/ adolescente.

Nos processos de adoção, verifica o contexto social da família candidata e também
a adaptação da criança ao ser inserida na rotina, fazendo o acompanhamento para que
sejam amenizados quaisquer impactos emocionais, e claro, nos casos em que a criança/adolescente e família não possuam entrosamento e a adoção não seja algo tranquilo e benéfica.

Destarte, podemos afirmar que o trabalho do psicólogo é essencial para auxiliarno estudo de todos os processos citados acima, sendo primordial para a justiça nastomadas de decisão, lembrando que todo trabalho é feito em conjunto, buscando sempreo melhor para a parte interessada (menor ou pessoa incapaz).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


GONÇALVES, Hebe Signorini; BRANDÃO, Eduardo Ponte. PSICOLOGIA
JURÍDICA NO BRASIL.- 3º ed.- Rio de Janeiro: Nau, 2011. 352 pg.: 23 cm (Ensino
de Psicologia).


HUSS, Mathew. FUNDAMENTOS DA PSICOLOGIA FORENSE. Porto Alegre:
Artmed Editora.2009.422 pg.


POKER, Rosimar Bortolini. Plano de desenvolvimento individual para o
atendimento educacional especializado. São Paulo : Cultura Acadêmica ; Marília :
Oficina Universitária, 2013 184p. ISBN 978-85-7983-393-9


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso