Colaboração jurídica.

É correto afirmar a competência (local da apreensão da droga) do Juízo Federal processar e julgar crimes de tráfico internacional de entorpecentes, sob o fundamento do inciso V do artigo 109 da Constituição Federal. Aqui a droga é "importada".
Contudo, no caso se a droga foi postada no Brasil, considera-se o local da remessa o ato consumado do delito, independentemente do destino da apreensão. Inteligência do §1º do Artigo 70 do Código de Processo Penal, corroborada pela Jurisprudência:
"Em caso de exportação ou remessa de droga do Brasil para o exterior via postal, a consumação do delito ocorre no momento do envio da droga, juízo competente para processar e julgar o processo, independentemente do local da apreensão. Inaplicabilidade da Súmula 528 desta Corte Superior, na espécie." (STJ - CC: 146393 SP 2016/0112716-2, Relator: Ministro FELIX FISCHER, Data de Julgamento: 22/06/2016, S3 - TERCEIRA SEÇÃO, Data de Publicação: DJe 01/07/2016).
Portanto, é o local da remessa postal o Juízo de Direito da Vara Criminal competente para processar e julgar, independente da apreensão da droga, pelas razões fundamentadas supracitadas.
É o teor.

Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso