Trata-se de modelo de petição de reclamação trabalhista: reclamante bancário despedido sem justa causa.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA___ VARA DO TRABALHO DA REGIÃO DO XXX.

NEYMAR, nacionalidade XX, estado Civil XX, Bancário, portador da carteira de identidade de N° XX E CPF N° XXX, CTPS N° XX e Serie XX, PIS XX, não possui endereço eletrônico, residente e domiciliado a Rua XX, N° XX, Bairro XX, Cidade XX, CEP  XX, por intermédio do seu advogado que este subscreve, vem respeitosamente perante a Vossa Excelência propor RECLAMAÇÃO TRABALHISTA em face de xxx, pessoa jurídica de direito privado, CNPJ de N° XX, situada na Rua XX, Bairro XX, cidade de xxxx, Cep XX, o que faz de acordo com fundamentos fáticos e jurídicos a seguir expostos:

JUSTIÇA GRATUITA

Cumpre salientar que o requerente não possui condições financeiras de arcar com as custas processuais e honorários advocatícios sem prejuízo ao seu próprio sustento requerendo, desde já, os benefícios da justiça gratuita, amparado pelo Art. 98 CPC.

FATOS

O reclamante foi admitido pela empresa no mês de Julho de 2015, para exercer atividade de bancário, cujo vencimento e de R$: 2.800,00 (Dois mil e oitocentos reais).

O requerente cumpria uma jornada de trabalho de oito horas de segunda à sexta, iniciando do período matutino de 09 horas ás 12 horas, e a tarde das 13horas até 17 horas.

Ocorre que, apesar da relação de emprego ser inegável, a reclamante suprimiu uma série de direitos do empregado, como horas extras não efetuaram os depósitos a título de FGTS relativo ao período trabalhado.  

No mês de Julho de 2017, o reclamante foi dispensado sem justa causa, sem receber, contudo, nenhuma verba rescisória a que possui direito de acordo com a legislação laboral pátria.

DIREITO

Tendo em vista a inexistência de justa causa para a rescisão do contrato de trabalho, surge para o reclamante o direito ao aviso prévio indenizado, uma vez que o Ar. 487, da CLT, estabelece que a não concessão de aviso prévio pelo empregador dá direito ao pagamento dos salários do respectivo período.

FÉRIAS VENCIDAS EM DOBRO

O empregador que não conceder as férias para o empregado, ou que o fizer fora do período concessivo, é obrigado a pagar o valor equivalente em  dobro, conforme os Art.134 e 137 CLT.

MULTA DO FGTS

Por conta da rescisão injusta do Contrato de Trabalho, deverá ser paga uma multa de 40% (Quarenta por cento) sobre o valor total a ser depositado a titulo de FGTS de acordo com Art. 18 da lei 8036.

MULTA DO ART. 477 s 8 CLT

Ocorrendo a rescisão do contrato de trabalho, tanto o empregador quanto o empregado devem estar atentos aos prazos determinados para o pagamento e quitação das verbas rescisórias, e homologação do termo de rescisão de contrato de trabalho, pois a desobediência incidira em multa.

LIBERAÇÃO DA GUIA DO SEGURO DESEMPREGO

O seguro-desemprego" data-type="category">seguro desemprego é para o trabalhador que foi dispensado sem justa causa, pois garante a subsistência dele e de sua família. Quando o trabalhador deixa de receber o benefício por culpa exclusiva do empregador, este pode ter arcar com uma indenização substitutiva, motivo pelo qual passa a requerer tal liberação.

 DAS HORAS EXTRAS

O reclamante, durante o pacto laboral, trabalhou na realidade mais de seis horas diárias e trinta semanais, perfazendo uma média de 03 horas extras por dia. Portanto, devem ser computado como extras as excedentes da sexta hora de trabalho.

PEDIDOS

A) Que seja deferido o benefício da justiça gratuita ao reclamante, pois não possui condições de custear o processo, sem prejuízo próprio.

B) A notificação da reclamada para comparecer à audiência a ser designada, para, querendo, apresentar a contestação a presente reclamação sob pena de revelia e confissão.

C) Pagar o aviso prévio indenizado, o 13° Salário proporcional, os pagamentos das férias não gozadas.

D) Liberar as guias do seguro-desemprego ou indenização correspondente.

E) Julgar procedente todos os pedidos.

Protesta provar o alegado por todos os meios no direito permitidos, a oitiva de testemunhas e depoimentos pessoal.

Dar-se à a causa o valor de R$ XXX

Neste termo, pede e espera Deferimento.

Cidade XXXX

28/08/2017

Advogado

OAB/XX N° XXX



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autors. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria