Prezados, tenho interesse em aprimorar minha vida profissional e pontuar em concursos, além de contribuir para os demais colegas

PETIÇÃO DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTO

 [Modelo] Ação de Exibição de Documentos

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE.....CIDADE_/ESTADO 

( AUTOR), nacionalidade, estado civil, profissão, portador do documento de identidade RG nº __.___.___- SSP/--- e inscrita no CPF/MF sob o nº, neste ato representado por sua procuradora, que subscreve (mandato anexo), vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, nos termos do artigo 101 do Código de Defesa do Consumidor e art. 396 e art. 397 do Código de processo Cível, propor :

AÇÃO DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS

em face de.........................., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob o nº __.___.___/____-__, com sede na Avenida ________, nº ____ – bairro ______ – cidade/UF, CEP _____-___, pelos motivos de fato e de direito que passa a expor:

DOS FATOS

O Autor fez um contrato de seguro de um carro, na data ________, porém na data __________ veio a sofrer um grave acidente, em que teve seu carro praticamente destruído, foi levado o carro para a autorizada e foi dito por ela que para consertar o carro, precisaria da documentação, acontece, Vossa Excelência que a seguradora não emitiu contratos, mesmo tendo prometido que mandaria em 15 dias úteis para o e-mail do autor após assinatura, deste modo, o autor não pode deixar o automóvel na empresa autorizada , pois ela está pedindo o contrato para fazer o laudo , por esse motivo, o autor precisa desse contrato o mais rápido possível.

Diante disso, haja vista a recusa da Seguradora de fornecer o documento aos Requerentes, levando à impossibilidade de composição extrajudicial, não restou ao Autor a alternativa senão trazer a presente querela à apreciação do Poder Judiciário.

DA JUSTIÇA GRATUITA

Os Demandantes requerem a concessão da gratuidade da justiça, nos termos da Lei 1.060, de 5 de fevereiro de 1950, vez que são pessoas pobres, na acepção jurídica do termo, não podendo arcar com as custas e despesas processuais sem prejuízo do próprio sustento e de suas famílias (documentos comprobatórios anexos).

 DA APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

 

 Vossa Excelência, não restam dúvidas que se aplica, no caso tela, o Código de Defesa do Consumidor,  visto que a atividade comercial exercida pelas seguradoras é considerada de serviços, devendo-se, portanto, equipará-las a fornecedoras para os fins da Legislação Consumerista, posta, conceitualmente, no art. 3º do CDC.

Acerca da aplicabilidade do Código de Defesa do Consumidor às atividades securitárias, já decidiu o Tribunal de Justiça de Santa Catarina:

"A jurisprudência e a doutrina têm entendido, pacificamente, que o CDC é aplicável aos contratos de seguro, por estar configurada a relação de consumo, em observância aos arts. 2º e 3º do referido diploma legal." (TJSC. Apelação Cível n., da Capital. Rel. Des. Joel Dias Figueira Júnior, julgado em 12/5/2006).

 DO DIREITO DA EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS

A presente demanda de exibição judicial de documentos, possui amparo do nos artigos e art. 396 e art. 397 do Código de Processo Civil, cujo texto guarda a seguinte redação: O direito dos Autores está calcado, também, no art. 396 e seguintes do Código de Processo Civil. Vejamos:

“Art. 396. O juiz pode ordenar que a parte exiba documento ou coisa que se encontre em seu poder.

Art. 397. O pedido formulado pela parte conterá:

I - a individuação, tão completa quanto possível, do documento ou da coisa;

II - a finalidade da prova, indicando os fatos que se relacionam com o documento ou com a coisa.....................

Art. 398. O requerido dará sua resposta nos 5 (cinco) dias subsequentes à sua intimação.

Parágrafo único. Se o requerido afirmar que não possui o documento ou a coisa, o juiz permitirá que o requerente prove, por qualquer meio, que a declaração não corresponde à verdade.

 DA INVERSÃO DO ÔNUS DA PROVA

O reconhecimento da aplicabilidade do Código de Defesa do Consumidor à presente demanda impõe a análise quanto à possibilidade de inversão do ônus da prova em favor do consumidor, frente ao disposto no art. 6º, inciso VIII, desse Diploma:

“Art. 6º. São Direitos básicos do consumidor: (...)

VIII – a facilitação da defesa de seus direitos, inclusive com a inversão do ônus da prova, a seu favor, no processo civil, quando a critério do juiz, for verossímil a alegação ou quando for ele hipossuficiente, segundo as regras ordinárias de experiências”; Decorrente do disposto no artigo acima transcrito, necessário consignar que, no presente caso, a hipossuficiência técnica e financeira do Autor da demanda em relação à parte requerida é evidente. Isso porque no polo passivo da demanda encontra-se uma empresa, empresa de porte considerável que dispõe de um corpo jurídico organizado à sua disposição.

Além disso, sabemos que a parte consumidora, é a parte mais fraca, hipossuficiente e vulnerável, por isso, deve ser levado em consideração ao analisar o ônus da prova.

Diante de todo o exposto, requerem se digne Vossa Excelência:

a) Seja julgado totalmente procedente o pedido, para condenar a Seguradora à exibição da Apólice de Seguro/contrato, no prazo de 5 (cinco) dias, nos termos do art. 398, do Código de Processo Civil;

b) Seja citada a sociedade empresária Ré através de carta registrada e com Aviso de Recebimento;

c) Seja a Ré condenada ao pagamento de custas e despesas processuais, bem como dos honorários advocatícios a serem arbitrados por Vossa Excelência;

d) A inversão do ônus da prova com a determinação da exibição dos documentos supramencionados, nos termos do art. 6º do Código de Defesa do Consumidor, bem como do art. 355 da Lei 5.869/73;

e) Sejam concedidos aos Autores os benefícios da Justiça Gratuita, tendo em vista que o Requerente é pobre, na acepção jurídica do termo, não podendo suportar as custas e despesas processuais sem que importe em prejuízo do próprio sustento e de suas famílias.

Protesta por provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos.

Dá à causa o valor de R$ ( ..............), para fins fiscais.

Nestes termos, pedem deferimento.

Local e data.

ROSICLEIDE FELIPE RODRIGUES OAB 16163



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Regras de uso