A petição traz um modelo de alvará judicial

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA (N°) VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES DA COMARCA DE (CIDADE)(ESTADO).

ALVARÁ JUDICIAL

(AUTOR DA AÇÃO), brasileiro, casado, comerciante, portador do RG nº XXXXXXX XX/UF, inscrito no CPF sob o nº XXX.XXX.XXX-XX, residente e domiciliado à (ENDEREÇO), n° XX, (BAIRRO), (CIDADE)/(UF), CEP: XXXXX-XXX, vem, respeitosamente, por intermédio de seu advogado infra-assinada, perante Vossa Excelência, promover o seguinte ALVARÁ JUDICIAL, face às razões de fato e de direito a seguir articuladas e mediante as seguintes cláusulas e condições:

DOS FATOS

O promovente é filho do senhor (FALECIDO), brasileiro, divorciado, aposentado, este falecido em (data do falecimento), tendo sua morte como causa decorrente de choque cardiogênico e infarto agudo do miocárdio, conforme consta na certidão de óbito inclusa.

    A falecida deixou bens a ser objeto do inventario, no entanto existem valores a serem levantados junto a empresa (NOME DA EMPRESA) inscrita no CNPJ sob o n° XXXXXXXX/XXX-XX, sediada na (ENDEREÇO DA MEPRESA), n° XXX, (BAIRRO) – (CIDADE)/(UF), referente ao CONTRATO DE VENDA E COMPRA PARCELADA DE BENS ENTRE FIRMA E PESSOA FÍSICA(em anexo) n° XXX, tendo como titular da conta o Sr(a). (FALECIDO)

            A requerente possui quatro filhos, maiores e capazes, o qual não se opõem ao recebimento integral dos valores pelo promovente, conforme declaração em anexo.

DO DIREITO

A pretensão da autora encontra fundamento na lei 8.213/91, in verbis:

Art. 112. O valor não recebido em vida pelo segurado só será pago aos seus dependentes habilitados à pensão por morte ou, na falta deles, aos seus sucessores na forma da lei civil, independentemente de inventário ou arrolamento.

                           Encontra fundamento, igualmente, no art. 1º da lei n° 6858/80.

Art. 1º - Os valores devidos pelos empregadores aos empregados e os montantes das contas individuais do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e do Fundo de Participação PIS-PASEP, não recebidos em vida pelos respectivos titulares, serão pagos, em quotas iguais, aos dependentes habilitados perante a Previdência Social ou na forma da legislação específica dos servidores civis e militares, e, na sua falta, aos sucessores previstos na lei civil, indicados em alvará judicial, independentemente de inventário ou arrolamento.

Tal fundamento se corrobora no §1º do mesmo artigo.

§ 1º - As quotas atribuídas a menores ficarão depositadas em caderneta de poupança, rendendo juros e correção monetária, e só serão disponíveis após o menor completar 18 (dezoito) anos, salvo autorização do juiz para aquisição de imóvel destinado à residência do menor e de sua família ou para dispêndio necessário à subsistência e educação do menor.

Cumpre-nos salientar ainda, que não há necessidade de abertura de inventário para que a Requerente seja autorizada a levantar as quantias ora depositadas, consoante dispõe o artigo 1.037 do Código de Processo Civil, in verbis:

Art. 1037. Independerá de inventário ou arrolamento o pagamento dos valores previstos na Lei número 6.858, de 24 de novembro de 1980.

DO PEDIDO:

EX POSITIS, requer se digne Vossa Excelência em:

  1. Deferir o pedido de justiça gratuita;
  2. Seja oficiado a empresa XXXXX e o BANCO XXXXXXX, a fim de que estas, informem a existência, ou não, de valores deixados pelo Sr(a). (NOME DO FALECIDO(A));
  3. A intimação do ilustre representante do Ministério Público para atuar no processo;
  4. Seja deferido o presente pedido de Alvará Judicial, por sentença, em nome do autor, autorizando o levantamento e posteriormente a liberação do saque de quaisquer valores depositados na (NOME DA EMPRESA) e (NOME DO BANCO) em nome do falecido deixando a disposição de (AUTOR DA AÇAO).

Dá-se à causa o valor provisório de R$ 0,00 (VALOR POR EXTENSO).

Nestes termos,

Pede Deferimento.

(CIDADE)/(UF), (DATA).

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Advogado

OAB xxxx



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso