A peça se trata de um alvará judicial com duas requerentes.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO,, DA ____ VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES DA COMARCA DE XXXXXXXXX 

 

 

 

NOME E SOBRENOME, casada, brasileira, profissão, portadora do RG, n°xxxxxxxxx, inscrita no CPF n° xxxxxxxxxxxx, não possui endereço eletrônico, residente e domiciliada na rua xxxxxxxx, nº xxxxxxxxx, bairro xxxxxx cidade xxxxxxxx. NOME E SOBRENOME, casada, brasileira, do lar, portadora do RG n° xxxxxxxxxxx, inscrita no CPF, n° xxxxxxxxxxxxx, não possui enderenço eletrônico, residente e domiciliada na rua, xxxxxxxxxx, n°xxxxxxx, Bairro xxxxxxxxxxx, cidade. Vêm, respeitosamente, por intermédio do seu advogado (procuração em anexo) perante Vossa Excelência, promover o seguinte ALVARÁ JUDICIAL, face às razões de fato e de direito a seguir articuladas e mediante as seguintes cláusulas e condições:

 

  1. PRELIMINAMENTE


 


 

As autoras requerem, inicialmente, os benefícios da Justiça Gratuita por serem pobres na forma da Lei, conforme declaração de hipossuficiência anexa, nos termos do art. 98 e seguintes do CPC/15. Não dispondo de numerário suficiente para arcar com taxas, emolumentos, depósitos judiciais, custas, honorários ou quaisquer outras cobranças dessa natureza sem prejuízo de sua própria subsistência e/ou de sua família,requerem a assistência da Defensoria Pública com fulcro no art. 185 do CPC/15, tudo consoante com o art. LXXIV, da Constituição Federal.

 

2. FATOS


 


 

A senhora fulana de tal, mãe das requerentes, foi vítima de um infarto, vindo a falecer no dia 00/0x/0x, conforme certidão de óbito em anexo. A mesma residia com uma das suas filhas antes do falecimento, onde permanecia aos seus cuidados.


 

As requerentes estão impedidas de sacar o valor referente a um salários deixados pela de cujus no valor de xxxx (Valor ) juntos ao BANCO XXXXXX, desta cidade, o que se vê necessário o grifo do judiciário e devido alvará judicial para ter acesso.


 

O falecido não deixou quaisquer outros herdeiros, nem testamento, e o valor que está no referido banco, é de suma importância para arcar com os gastos provenientes do falecimento da de cujus e outras despesas.

 

3- DO DIREITO 

A pretensão das requerentes se encontra assegurada no decreto  85.845/81 no seu art. 1°, inciso V, que estabelece:

 

                                                                     Art.1: os valores discriminados no parágrafo único deste artigo, não recebidos em vida pelos respectivos titulares, serão pagos, em quotas iguais, aos seus dependentes habilitados na forma do artigo 2º

                                                          Inciso V:  - saldos de contas bancárias, saldos de cadernetas de poupança e saldos de contas de fundos de investimento, desde que não ultrapassem o valor de 500 (quinhentas) Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional e não existam, na sucessão, outros bens sujeitos a inventário. 

 

O código de processo civil traz o alvará judicial como um procedimento de jurisdição voluntaria, elencado no art. 725, inciso VII:   

Art. 725. Processar-se-á na forma estabelecida nesta Seção o pedido de:

VII - expedição de alvará judicia

 

4- DOS FATOS 

Diante o exposto e tendo em vista a situação de fato, considerando também que a pretensão da requerente encontra respaldo legal, requer:


A) O recebimento da inicial com a qualificação apresentada, consoante o art. 319, inciso II, e §§ 2º e 3º do CPC/15;

B) Os benefícios da justiça gratuita, vez que as demandantes declaram serem pobres nos termos da lei, conforme declaração em anexo.

C) O acolhimento do presente pedido, determinando-se a expedição de Alvará Judicial, autorizando as requerentes a sacarem junto ao banco XXXXX a quantia presente na conta: XXXXXX-X, agencia XXXX em nome XXXXXXXXX.

 

Dá-se o valor da causa R$ XXXXXXXX (VALOR )

 

Nestes termos,


 

Pede deferimento.


 


 

Cidade, data

 

 

 

 

 

 



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso