Apresentação de quesitos em demanda cujo objeto é discutir insalubridade de fonoaudiólogo(a).

QUESITOS:

 

1 – Queira o Sr. Perito descrever o local ou locais de trabalho da Reclamante, bem como, as atividades por ela desenvolvidas.

 

2 – O local periciado era o mesmo local de trabalho em que a Reclamante presta/prestava seus serviços quando do ajuizamento da ação?

 

3 – Caso o questionamento 2 seja negativo, o local periciado guarda alguma semelhança com o local em que a Reclamante presta/prestava seus serviços?

 

4 – Em não sendo o local de prestação de serviços da Reclamante, foi invocado o artigo 473 do CPC, em especial o § 3º?

 

5 – Descreva as tarefas executadas pela Reclamante.

 

6 – A Reclamante, no desempenho de suas atividades, mantém contato com pessoas potencialmente portadoras de doenças infectocontagiosas, nos termos do Anexo 14 da NR-15 da Portaria n. 3.214/78?

 

7 – A Reclamante está enquadrada na hipótese do Anexo 14 da NR 15?

 

8 – A Reclamante está/estava exposta à agentes insalubres?

 

9 – A Reclamante labora com habitualidade em condições ambientais insalubres?

 

10 – A Reclamada reconhece a existência de agentes insalubres no ambiente de trabalho?

 

11 – Constata-se a presença de agentes biológicos no ambiente de trabalho da Reclamante?

 

12 – Caso sim, a presença de agentes biológicos e a transmissão de doenças por agentes biológicos caracteriza exposição à agente insalubre?

 

13 – Caso não, é possível alegar que a presença de agentes biológicos, especialmente os de via aérea, por meio de perdigotos suspensos no ar NÃO caracterizam exposição à agente insalubre?

 

14 – No exercício da função de fonoaudióloga, considerando que a Reclamante trabalha com comunicação humana, estará exposta com secreções orais de seus pacientes?

 

15 – Pela simples comunicação com seus pacientes ou por meio de atividade de reabilitação, que exigem a emissão de sons por parte do reabilitando, é possível dizer que está a Reclamante exposta a secreções orais?

 

16 – A Reclamante, na função de fonoaudióloga está/estava também exposta a outros agentes biológicos habitual e intermitente tais como cerumem e saliva, e até mesmo objetos contaminados por esses mesmos agentes?

 

17 – No exercício da função da Reclamante, atuava a mesma com audiologia? Caso sim, estava/está exposta à agentes biológicos habitual e intermitente como cerumem e objetos contaminados por esses mesmos agentes?

 

18 – No exercício da função da Reclamante, atuava a mesma na área de linguagem oral e escrita, voz, fluência, articulação da fala? Caso sim, esta/está exposta à contaminação habitual e intermitente por via aérea, por meio de perdigotos suspensos no ar?

 

19 – No exercício da função da Reclamante, estava exposta à riscos biológicos, em virtude à um contato mais íntimo com os pacientes? Tais como contaminação por via aérea, por meio de perdigotos suspensos no ar, exposição a secreções e fluídos corpóreos, entre outros?

 

20 – A Reclamada fornece/fornecia EPI’s? Se positiva a afirmação, os equipamentos apresentados seriam suficientes para neutralizar os agentes insalubres aos quais a Reclamante está/estava exposto?

 

21 – Os EPI’s apresentados no momento da realização da perícia técnica são novos, como se nunca tivessem sido usados?

 

22 – Havia troca periódica de EPI’s?

 

23 – As trocas eram efetuadas dentro do prazo de validade do EPIs?

 

24 – Houve treinamento para a utilização dos EPI’s?

 

25 – Havia fiscalização da utilização dos EPI’s?

 

26 – Os EPI´s utilizados pela Reclamante devem ser trocados com qual regularidade?

 

27 – As pessoas que acompanharam a vistoria trabalham com a Reclamante?

 

28 – Houve indagação às mesmas, se as condições de trabalho anteriores são as mesmas de agora?

 

29 – A Reclamada juntou nos autos o PPRA, PCMSO e LTCAT?

 

30 – Tendo a Reclamada juntado nos autos os documentos acima informados, estes faziam previsão dos equipamentos de proteção que elidiriam eventual agente nocivo?

 

31 – Estes equipamentos, inclusive o seu CA, condizem com os entregues à Reclamante?

 

32 – Haviam palestras ministradas na Reclamada com o intuito de conscientização dos empregados ao uso de EPIs?

 

33 – Faz jus a Reclamante ao adicional de Insalubridade? Em qual grau?

 

Autoria de Beatriz Cristina Barbieri Büerger.

 


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso