AO JUÍZO DA 80 º VARA DO TRABALHO DE CUIABÁ MT

Reclamação Trabalhista nº 1000/2018

Sociedade empresária Tecelagem Fio de ouro S.A, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o no..., com sede na Rua..., nº..., Bairro..., Cidade..., Estado..., CEP..., endereço eletrônico..., nos autos da Reclamação Trabalhista que lhe move Joana , já qualificado, vem, através de seu advogado abaixo assinado, procuração em anexo, com endereço profissional na Rua..., no..., Bairro..., Cidade..., Estado..., CEP..., eletrônico ..., apresentar sua

CONTESTAÇÃO

com base no art. 847, CLT c/c art. 336, CPC/15 c/c 769, CLT , pelos fatos e fundamentos a seguir expostos.

DAS PRELIMINAR

1. DA CAUSA DE PEDIR

O autor faz pedido de indenização por adicional de periculosidade, mas não apresenta causa de pedir. Assim, configurada a inépcia da petição inicial, nos termos do art. 330, § 1o, I do CPC, porque ausente causa de pedir. Requer a extinção do pedido sem resolução do mérito, com base no art. 485, I e IV do CPC, eis que ausente pressuposto processual.

2. DOS FATOS NÃO DECORRER LOGICAMENTE

O autor faz pedido de indenização por dano moral, alegando ser vítima de doença profissional, já que o mobiliário da empresa, segundo diz, não respeitava as normas de ergonomia. Assim, configurando a inépcia da petição, nos termos do art: 330, § 1, III do CPC, pois o diagnóstico do laudo médico apresentado pela reclamante atesta que a reclamante é portadora de doença degenerativa da coluna vertebral. Requer a extinção do pedido sem resolução do mérito, com base no art: 485, I e IV do CPC, eis que ausente pressuposto processual.

PREJUDICIAL DE MÉRITO

DA PRESCRIÇÃO QUINQUENAL PARCIAL

A Reclamante ajuizou a demanda no dia 15/10/2018. Assim, estão prescritos os pedidos anteriores aos cinco anos do ajuizamento da ação, nos termos do artigo 7º, XXIX da CRFB/88, artigo 11 da CLT e súmula 308, I do TST. Requer sejam extintos com resolução do mérito, nos termos do artigo 487, II, do CPC os pedidos anteriores a 15/10/2013.

DO MERÍTO

1. DAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS

Não procede a alegação da autora quanto às horas extras, pois os empregados não eram obrigados a participarem do culto na empresa, conforme art.: 5, VI e VII da CF, obrigar empregado a frequentar culto religioso gera dano moral. Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de horas extraordinárias, bem como de seus reflexos.

2. DO SLÁRIO IN NATURA

Não procede o pedido do autor, visto que, conforme artigo 458, § 2º, IV da CLT, assistência médica, hospitalar e odontológica fornecido pelo empregador não tem natureza salarial, não é salário in natura. Diante do exposto, requer a improcedência do pedido e reflexos.

3. ACÚMULO DE FUNÇÕES

As funções desempenhadas pela reclamante são definidas no momento da contratação, por meio do ajuste escrito ou verbal. O exercício dessas funções adere ao contrato de trabalho, não podendo ser alteradas quando implicar prejuízo a reclamante. Em caso de prejuízo, deve o empregado exercitar o seu IUS RESISTENTIAE ou promover a rescisão indireta do contrato de trabalho. Caso aceite a nova função, não terá direito de receber diferença salarial ou adicional por acúmulo de função, isso porque o ordenamento jurídico não prevê tal disposição para os trabalhadores em geral, porém o art: 456, § único da CLT, dispõe que a inexistência de cláusula expressa ou falta de provas, será compreendido como serviço compatível com a condição pessoal do empregado. Requer, portanto, a improcedência do pedido da reclamante quanto ao 30% por acúmulo de função, de acordo com a jurisprudência dominante.

4. NÃO CABIMENTO DE CESTA BÁSICA

A Reclamante requer pagamento das cestas básicas referente os meses de agosto e setembro, direito esse adquirido pela convenção coletiva. Ademais juntou copia da convenção coletiva que teve seu período de vigência de 1 de julho de 2016 a 1 de julho de 2018, embora não houvesse uma nova convecção coletiva que preside o pagamento de cesta básica aos colaboradores, sustenta o pedido em prorrogação automática da convenção. Durante a vigência a reclamada cumpriu com o pagamento, após a vigência há não continuação do pagamento do benefício está amparado pelo ART: 614, § 3 da CLT. Desta forma, requer seja julgado improcedente o pedido da reclamante, com base no art: 614, § da CLT.

5. DA INEXISTENCIA DA COAÇÃO

A Reclamante pugna pela anulação do pedido de demissão, pois alega ter sido coagida pela Reclamada, caso não fizesse seria demitida por justa causa. Entretanto, conforme o pedido de missão escrito a punho pela reclamante, e o documento com a quitação dos direitos da ruptura considerando um pedido de demissão não há o que se falar em coação. Incumbe á trabalhadora comprovar que sofreu coação moral, o que teria motivado seu pedido de demissão sendo que ela não comprovou qualquer fato neste sentido, conforme art.: 818, I da CLT e art.: 373, I do CPC usado subsidiariamente conforme o art. 769 da CLT. Diante o exposto, requer que seja julgado improcedente o pedido da reclamante.

DOS HONORÁRIOS

Não há que se falar em condenação da reclamada em honorários sucumbenciais. A reclamada que requer a condenação da reclamante aos honorários sucumbenciais no importe mínimo de 5% e máximo de 15% sobre os pedidos julgados improcedentes, nos termos do art. 791-A da CLT.

DAS DEDUÇÕES / COMPENSAÇÕES

Requer a reclamada, no caso de eventual condenação, seja deferida a dedução das parcelas pagas sob idêntico título, para que se evite o enriquecimento sem causa, bem como a compensação de valores que eventualmente tenham sido pagos, com base no art. 767, CLT c/c Súmulas 18 e 48, TST.

DAS PROVAS

Requer a reclamada seja deferida a produção de todos os meios de prova em direito, especialmente documental, testemunhal, pericial e depoimento pessoal do reclamante, sob pena de confissão.

DO PEDIDO

Diante do exposto, requer que: (Em média a banca atribuí de 0,10 a 0,20 para renovação de todos pedidos das preliminares)

a) Requer seja acolhida a preliminar de inépcia da petição inicial por falta de causa de pedir do adicional de periculosidade e da narração dos fatos não decorrer logicamente, disposto no art: 303, §1 , I e III do CPC, usado subsidiariamente, conforme o art: 769 da CLT e que os pedidos sejam improcedente sem resolução do mérito, conforme art: 485, I do CPC.

b) Requer a pronúncia da prescrição

c) Em relação ao mérito, sejam julgados improcedentes a totalidade dos pedidos formulados na petição inicial, tendo em vista a ausência de direito do reclamante, conforme já exposto.

e) Requer a condenação da parte Reclamante aos honorários advocatícios sucumbenciais, nos termos do artigo 791-A da CL

REQUERIMENTO

Em face do exposto, requer a reclamada, sejam acolhidas as preliminares e prejudiciais suscitadas e, no mérito, que seja a demanda julgada inteiramente improcedente, condenando o reclamante às verbas de sucumbência. Requer a condenação da parte Reclamante aos honorários advocatícios sucumbenciais, nos termos do artigo 791-A da CLT

Nestes Termos,

Pede Deferimento.

Local , Data

Advogado

OAB


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso