Tenho um processo de pedido de pensao por morte a beneficiaria e minha mãe, viuva 82 anos ela recebe uma pensão de morte do marido valor 1 sal. minimo. então morreu seu filho que não deixou dependentes diretos, ele morava com ela, quando dei entrada no pedido foi negado alegando falta de provas de dependencia economica em relação a mãe. então apresentei mais documentos, contas de luz, compr. mesmo endereço etc. foi encaminhado o processo para 12 junta de recursos, entao foi solicitado uma J.A. apresentadas 4 testemunhas os depoimentos foram favoraveis. então a 12 junta julgou o processo favoravel a solicitante. processo nb-01439557788 NA INTERNET APARECE CONHECER O RECURSO E DARLHE PROVIMENTO POR UNANIMIDADE.

MINHA PERGUNTA PODE O INSS AINDA RECORRER A UMA DECISÃO DA JUNTA DE RECURSOS?

Respostas

4

  • 0
    A

    andrezao Domingo, 28 de fevereiro de 2010, 20h01min

    sim eles podem recorrer nao sou advogado mas entrei com recurso em uma aposentadoria e a junta votou a meu favor dando provimento e reconhecendo o mesmo que aconteceu com sua mae meu recurso foi julgado em novembro como era fim de ano eles nao podia recorrer ai o inss entrou com pedido de revisao e envio meu recurso de volta pra mesma junta que votou a meu favor,a junta indeferiu o pedido de revisao .22/2/2010 INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE REVISÃO ENCAMINHADO A SEÇÃO RECONCHECIMENTO DE DIREITOS .agora eu deicho uma pergunta o inss tem ainda como recorrer desta decisao ou tem que acatar e me aposentar .

  • 0
    J

    Joao Celso Neto/Brasíla-DF Domingo, 28 de fevereiro de 2010, 20h27min

    Olha, minha experiência foi um pouco diferente. O INSS acatou sem reclamar a decisão administrativa desfavorável.

    O INSS normalmente só recorre na esfera judicial, mas não na administrativa (seria uma espécie de "insubordinação", talvez).

  • 0
    J

    JULIOCEZARSENRA Quinta, 04 de março de 2010, 17h55min

    Art. 497. É vedado ao INSS deixar de dar efetivo cumprimento às decisões do Conselho Pleno e acórdãos das JR ou CaJ, reduzir ou ampliar o alcance dessas decisões ou executá-las de maneira que contrarie ou prejudique o evidente sentido nelas contidos. (O QUE DIZ NESTE ARTIGO O INSS NÃO PODE NEM SEQUER RECORRER DA DECISÃO), "E AGORA QUEM PODERÁ NOS DEFENDER........"

  • 0
    J

    JULIOCEZARSENRA Quinta, 04 de março de 2010, 17h58min

    Tem algum advogado previdenciario que saiba responder???????

Essa dúvida já foi fechada, você pode criar uma pergunta semelhante.

Receba os artigos do Jus no seu e-mail

Encontre um advogado na sua região