Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Marcos Bertoli
    09/06/2011 19:36

    Meu pai abriu uma caderneta de poupança Bradesco em meu nome em 13/10/1976, com depósito inicial de CR$50,00. Nunca mais se mexeu nisso. Gostaria de saber se ainda existe, como procurar, como obter maiores informações. Na agência Bradesco de minha cidade não me deram muita atenção, como se não existisse mais nada.
  2. Paulo Insfran Perciany
    11/06/2011 17:38

    Notícia de 17 de Janeiro de 2002!

    BC abre prazo para correntista resgatar conta inativa
    O Banco Central informou ontem que os correntistas têm prazo até o dia 31 de dezembro deste ano para resgatar suas contas inativas. Os depósitos em 1,4 milhão de contas não recadastradas somam R$ 360 milhões. Após este prazo, o correntista não poderá mais reaver o dinheiro.

    Os clientes de bancos que se esqueceram de contas antigas, que não foram recadastradas, têm até o dia 31 de dezembro deste ano para reclamar os valores. Para isso, eles precisam encontrar algum documento que identifique o número da conta, a agência bancária e o nome do banco. Com esses dados é possível pesquisar se existe algum saldo na conta no próprio site do Banco Central ou ir diretamente à agência bancária.

    "Só o nome e o CPF não são suficientes", explicou o chefe do Departamento de Cadastro e Informações do Sistema Financeiro (Decad), do Banco Central, Sérgio Lima. Ele explicou que são justamente esses os
    dados que faltam nas contas e que, por isso, se o cliente não tiver alguma informação mais consistente será impossível localizar a conta no sistema financeiro.

    O prazo para a identificação dos correntistas já foi prorrogado pelo governo várias vezes, mas o BC tem como data final o mês de dezembro desse ano. "O prazo final está na Lei nº 9.814", disse Lima. O chefe do Decad informou que o dinheiro das contas não recadastradas já foi transferido para o Tesouro Nacional. Até o prazo dado, quem reclamar e provar que é o titular da conta terá o dinheiro de volta.

    O valor das 1,5 milhão de contas não recadastradas, que somavam R$ 460 milhões, foi transferido para o Tesouro Nacional em dezembro de 1997. De lá para cá, 117 mil contas foram identificadas, com cerca de R$ 100 milhões retornando ao bolso dos clientes. Restam ainda 1,4 milhão de contas com saldo total de R$ 360 milhões.

    O BC informou que o saldo médio das contas é de pequeno valor, não ultrapassando a R$ 300. O dinheiro que ficar no Tesouro Nacional a partir do prazo final será usado pelo governo para a reforma agrária e no apoio à pequenas e médias empresas via Fundo de Garantia para a Promoção da Competitividade.

    :
  3. Rech
    17/06/2011 01:52

    Bem, em 1994, minha vó fez uma conta poupança na caixa economica estadual para mim, o ultimo movimento foi em 1996, depois disso ela nao mexeu mais. eu tenho extratos que comprovam a existencia da conta, tenho a senha, o numero da conta, enfim, tenho todos os dados possiveis. Teria como resgatar esse dinheiro com todo o rendimento de juros existentes ao longo desses anos? Ou pelo menos retirar esse dinheiro aplicado?
  4. Desalvador
    18/09/2011 23:17

    Encontrei uma poupanca aberta por meu avo e em nome de minha mae, que eh viva, na caixa economica federal de sao paulo em 1939. Eu gostaria de pedir ajuda ao associados para que me orientem em que banco eu devo consultar, pois nao encontro na internet qual banco sucedeu a caixa fedeal de sao paulo. Pelo que vejo na caderneta original, foinfeito um deposito de 90 mil reis em 1939 e posteriormente alguns depositos. Fico grato pelo ajuda. Ou seria melhor eu contratar um advogado? Alguem saberia converter esses valores para os dias atuais?
  5. DICAÇADOR
    22/09/2011 23:08

    Minha mae abriu uma conta poupança na associaçoa de poupança e emprestimos de santa catarina (apesc). O ultimo deposito foi em02/03/1984 e desde entao ela nao movimentou a conta nem taopouco resgatou.
    Ela tem direito ao resgate desses valores? Se tem, a quem ela deve procurar ja que a apesc nao existe mais. Por favor nos oriente como proceder pois temos a cadeneta que comprova os depositos so nao sabemos por onde começar.
    Obrigado
  6. Ferrão
    09/11/2011 16:36

    tenho uma caderneta de poupança antiga como recuperar minha caderneta porque para o banco esta como fechada e da caixa economica federal
  7. rodrigo_gs@hotmail.com
    16/11/2011 04:14 | editado

    O que se tem que observar primeiramente é de quem pertencia a conta, e se a mesma já faleceu. Nesse caso, quem tem poderes para realizar atos em nome do de cujus é o inventariante que responde pelo espólio em Ação de Inventário. Se não houve ainda inventário, tem que assim proceder.

    Daí, quem tiver dados mínimos como Agencia, Conta, CPF, e Extrato, o ideal é inicialmente fazer um requerimento administrativo diretamente a Agência. Se o Banco nada fizer, deve-se fazer uma Reclamaçao junto ao Banco Central, e se ainda assim, nada adiantar, procurar um Advogado e entrar com uma Ação de Exibição de Documentos, que assim o Banco fica obrigado a informar.

    Deve ser ressaltado que o valor só perderá a qualidade de herança se forem obedecidos requisitos de Lei destacado no Código Civil (Herança Jacente), senão, ainda pode-se requerer tranquilamente.

    Deve-se também ressaltar que quem tinha conta antiga, na época dos planos Collor, Bresser e verão (1987 a 1990) ainda dá pra recuperar as perdas, acessar o site do IDEC.

    R.Sade
    Brasília/DF
  8. Dr. Silvio José Sampaio Júnior
    18/06/2012 18:47 | editado

    Prezados

    Caso seja uma caderneta de poupança antiga, não há prazo limite para reclamar.
    A ação é imprescritível.
    Ajuizei em 2009 uma ação de prestação de contas, exigindo que o banco prestasse contas de uma caderneta de poupança aberta em 1959, quando do nascimento do cliente.
    Naquela época era comum presentear o recém nascido com uma conta poupança.
    Só havia um deposito de Cr$ 300,00 (trezentos cruzeiros).
    O banco foi condenado a devolver o valor corrigido.
    A contadoria judicial apurou que o valor atualizado é de 20 mil reais.
    Nada mal para um documento que estava jogado nos fundos de uma gaveta.

    Silvio Sampaio
    www.silviosampaio.adv.br
    silviosampaio@silviosampaio.adv.br
  9. marcio elizeu
    02/07/2012 20:22

    Senhores,eu tenho uma poupança e um valor razoável depositado, se acontecer alguma coisa comigo,o que acontecerá com essa importância? não sou casado e moro com minha mãe e irmãos. O que devo fazer para que eles ,em caso de fatalidade ,fiquem com esse dinheiro?
  10. Deusdedit Rodrigues
    Este usuário conecta-se ao Fórum usando uma conta do Facebook. Veja como fazer isso.
    04/07/2012 23:26 | editado

    meu pai abriu uma poupança no banco bradesco em reriutaba ceara
    mas perdeu os papel com o numero da conta
    o nome dele [...]
    eu queria saber se tem como descobrr o numero dessa conta
  11. Mª Luiza
    27/09/2012 15:12

    Boa tarde!!!

    Alguém tem mais dicas a respeito do fundamento legal para ajuizar ação nesse sentido??
    Qual se tem a caderneta há mais de 50 anos sem movimentação...

    Obrigada.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS