Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Danielle F.
    18/01/2012 18:58

    Sou parda, mais estudei em escola particular. Tb não tenho como comprovar baixa renda. Mais é um direito meu adquirido fazer parte das cotas para pardos, negros e indios da seleção para bolsistas nas faculdades pelo PROUNI?
  2. Guma
    18/01/2012 21:39 | editado

    Usuário suspenso

    não existe essas variantes... somos negros...ou brancos... ou amarelos... ou vermelhos... ou aborígenes... Essas variantes, como "morenos", é coisa de quem não assume a cor... outra coisa, não existem raças... a raça é a "humana". Continuo com o pensamento que negros são tão inteligentes como qualquer outra pessoa de pigmentação diferente. Ser agraciado com cotas, buscando igualdade é demagogia dos "politicamente corretos", e que algumas pessoas acham uma vantagem suprema... Ganhadores de cotas terão que ter cotas também nas notas? Terão que ter cotas na hora de arrumar emprego? Ratifico tudo que falei... Qualquer um tem capacidade... a tonalidade da pele não deveria ser motivo para ganhar algo... e enm para perder...
  3. Danielle F.
    20/01/2012 20:51 | editado

    RWSJr, vc sabe o que é o principio da isonomia?

    Artigo 5° da constituição federal de 1988.

    "Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros natos, estrangeiros residentes no país ou não, à pessoa juridica de direito público ou privado e aos apatridas: A invioabilidade, o direito a vida, à liberdade, à igualdade,à segurança,e a propriedade."

    Discriminação- finalidade: Quesitos discriminatórios em editais de concurso público, no qual as caracteristica fisicas sejam necessárias para o melhor funcionamento da função.

    O prouni, reservou em edital cotas para pardos. (Até então fui racista?). Entretando não encontrei a cláusula que somente pardos que tenham estudado em escola pública ou tanto faz se estudou em escola particular ( Estou sendo raivosa, por fundamentar meu comentário e dispensar sua opnião?).
    Foi exatamente isso que perguntei, se tenho direito ou não?

    Para vc que não sabe vou te explicar:
    Filho de negro com branco: mestiço, ou melhor pardo.
    Eu disse que sou morena, não me lembro de ter dito que sou morena clara, café com leite, nem lá nem cá ou cor indefinida. Disse apenas o que foi determinado para ser considerado pardo.

    Não meu querido, não quis dizer que pardo é mais inteligente que negro. Se vc não sabe fazer interpretação de texto eu não tenho nada a ver com isso. Apenas me referi ao fato de que se é um direito adquirido a negros, pardos e indiginas. Os brancos só podem lamentar pois não pensaram neles quando isso foi determinado, ou melhor dizendo, não foram incluidos na discriminação-finalidade.

    O que eu quero saber é fundamento, lei. concreto, clausula e não opnião, não serve nem para testemunho, inutil seu pensamento, claro que a todos é assegurado a liberdade de expressão.
    Caro RWSJr. , estou quase acreditando que vc quem está sendo racista e ignorante por não fundamentar sua opnião. Achismo não vale para provar nada.
  4. jcastro
    22/01/2012 12:17

    Segundo o site do MEC:

    Para concorrer a uma bolsa, o estudante deve participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na edição imediatamente anterior ao processo seletivo do ProUni, e obter a nota mínima nesse exame, estabelecida pelo MEC. Deve, também, ter renda familiar de até três salários mínimos por pessoa, e satisfazer a uma das condições abaixo:

    ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em escola privada com bolsa integral da instituição;
    ter cursado o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em escola privada com bolsa integral da instituição;
    ser pessoa com deficiência;
    ser professor da rede pública de ensino básico, em efetivo exercício, integrando o quadro permanente da instituição, e estar concorrendo a vaga em curso de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Neste caso, a renda familiar por pessoa não é considerada.

    O ProUni reserva, em processo seletivo, bolsas às pessoas com deficiência e aos autodeclarados pretos, pardos ou índios. O percentual de bolsas destinadas aos cotistas é igual àquele de cidadãos pretos, pardos e índios, por Unidade da Federação, segundo o último censo do IBGE. O candidato cotista também deve se enquadrar nos demais critérios de seleção do programa..

    http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=300&id=202&option=com_content&view=article

    Portanto, não pode. Errou de novo, Machadinha :)
  5. thalytaCrepald
    22/01/2012 12:51 | editado

    Nossa quanta discussão pra algo tão simples...

    Então, devido a ter estudado em escola particular...

    Infelizmente nao participa de "cotas" mesmo QUE VOCÊ TENHA A PELE "PARDA"
  6. Danielle F.
    22/01/2012 21:15

    jcastro, obrigada pela sua opnião.
    Eu não vou usar o sistema do prouni para esse tipo de cota, até pq não só estudei em escola particular como cursei quase todos os periodos da facul em facul particular. Meu objetivo era apenas saber se valeria fazer esse tal de enem, apenas nivel de curiosidade a faculdade está bem cara, derrepente conseguiria uma outra ou uma bolsa integral, sei lá. Já que todos comentam sobre esse tal sistemas de cotas e que muitos já se beneficiaram disso, só queria saber a fundo como funciona.
  7. qiejkdhfo
    27/11/2012 14:46

    Usuário suspenso

    Mais um argumento favorável à ilegalidade do sistema de cotas.

    Este sistema não prevẽ decência por parte de ninguém. Lei é Lei.

    Negro rico tem tanto direito quanto negro pobre.

    Branco pobre não tem direito algum.

    Esta é a lei demagógica que todos aplaudem de pé.

    A menina tem grana para pagar escola particular, já tem uma graduação e ainda que uma faculdade pública pelo sistema de cotas, e o pior, ELA TEM DIREITO!!!!!!! Tá tudo dentro da LEI!


    Brasil! Um país de TOLOS!

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS