Quando a crinça começa a passar o final de semana na casa do pai

Olá.. Boa Noite. Meu filho tem 01 ano e 04 meses. Mas ele nasceu de 07 meses,fez uma cirurgia, teve um quadro de infecção e anemia, forte precisando tomar sangue. Aos cinco meses, fez uma outra cirurgia. Hoje, graças a Deus, ele está bem, é uma crinaça normal e perfeito. Mas ainda tem acompanhamento do médico cirurgião, cardiologista, ainda faz teste da orelhinha (na verdade, acompanhamento,pq tomou antibiótico por muito tempo). O pai sempre vem ver o filho, e agora, determinei que seja uma vez por semana. Quando ele realmente começa a ter direito de pegar o garoto para sair com ele e pernoitar? Pq ele disse que vai no juiz, solicitar visita externa. Não quero acordos, no caso a visita é de 15 em 15 dias mesmo? O mínimo obrigatório. Muito Obrigada,

Respostas

6

  • Insula  Ylhensi

    Insula Ylhensi Suspenso

    Stork, não existe mínimo obrigatório, não há regras fixas para todos os casos de regulamentação de visitas. Cada caso é um caso, segue de acordo com suas próprias peculiaridades.

    Ocorre um erro muito grande entre os genitores que julgam as visitas como um direito deles, dos pais/mães, mas na verdade é um direito DA CRIANÇA, ela merece poder conviver com seus ascendentes e familiares, conhecer sua história e origem.

    Quando ocorre uma separação entre o casal com filhos menores ou o genitor e seu filho já tem um relacionamento, um bom tempo de convívio, a tendência é que a justiça firme um acordo onde as visitas são mais frequentes, afinal, a criança já está ambientada ao pai. Em se tratando de criança menor de 2 anos o direito aos passeios costumam já serem regulados de princípio.

    Mas se a criança nunca conviveu com o pai e, principalmente está em fase de amamentação ou carece de cuidados especiais, os passeios não são regulados de primeira, mas sim as visitas que podem ser reguladas no máximo de 15 em 15 dias, mas se o pai tem tido acesso à criança com maior frequência pode ser que as visitas sejam fixadas 1 vez na semana, ou até 2 vezes.

    Tmb pode acontecer de regular visitas livres onde o pai pode ir visitar o filho no(s) dia(s) que puder, mas isso requerer o mínimo de bom relacionamento com a mãe que detém a guarda da criança, pois será na casa em que a criança reside onde se realizarão as visitas.

    Caso ainda não tenha definida judicialmente a guarda de seu filho sugiro que o faça, assim como a pensão (caso ainda não a tenha, a sentença judicial irá garantir a cobrança em caso de atraso, caso contrário somente poderá acionar a justiça pra cobrar a partir da decretação da sentença). Vc tmb pode pedir a regulamentação das visitas, seu advogado pode oferecer justamente de 15 em 15 dias, mas aguarde a negativa por parte do pai que irá contestar e solicitar maior frequência.

    Enfim, vc deve procurar um advogado de família o mas rápido possível e tomar as devidas providências . Caso não tenha condições de pagar vc pode procurar a Defensoria Pública ou algum Escritório Modelo de Práticas Jurídicas mantido por Faculdades de Direito, é gratuito.

    Boa sorte!

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Como a Dra disse acima, cada caso é um caso, mas vou relatar o que geralmente acontece em casos como o seu, onde a criança é menor de 2 anos e requer cuidados especias. Nesse casos, geralmente o pai tem direito a visitas quinzenais na casa da genitora, podendo ser ate mesmo semanais, por algumas horas. Apos 3 anos, 3 anos e meio de idade, começam os passeios curtos, sai de manha e devolve a tarde. Apos os 4 , 5 anos, comecam as pernoites, viagens... mas tudo isso depende da relacao que pai e filho teem.

  • Julianna Caroline

    Julianna Caroline

    Vamos combinar que ver o pai 2 vezes por mês é insuficiente, não é?
    Se a cça tem costume e bom relacionamento com o pai, O QUE QUE CUSTA deixar que ele receba a visita do pai toda semana, ou sempre que o pai pode?
    Será q o sentimento de posse fala tão alto assim??

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Eu acho muito pouco 1 vez na semana, imagina a cada 15 dias...Ja fui ameacada varias vezes de ser tirado do caso por tentar convencer essas maes, de que a convivencia com o pai é a melhor coisa para a criança.

  • Julianna Caroline

    Julianna Caroline

    Pois é, Dra... Tem mães que acham que seus óvulos valem mais,e por isso tem mais poder sobre a cça.
    Esquecem que AMBOS fizeram e AMBOS tem poder familiar sobre a cça, da mesma maneira.
    Não é apenas um ou outro que manda na cça, ou que determina as coisas pra ela.
    São ambos, em acordo!
    As mães deviam permitir que os filhos recebessem os pais todos os dias.
    Tem mãe que reclama q o pai não visita os filhos, e aquelas que os pais querem ve-los todo dia reclama tbm!
    Afinal, querem o que da vida???
    Abraço**

  • carl0910

    carl0910

    Concordo com todas!!!

    No meu caso eu gostaria muito que o Pai de meus filhos vie-se visitar os filhos.

    Por raiva que sinto jamis vou proibir meus filhos de ver e te o Pai sempre presente na vida deles.

    Mas na vida dos meus filhos isso não é realidade, pois o Pai já deixou claro que não quer saber das crianças e sim só paga pensão por obrigação para ir preso.

    Desculpem Doutoras o desabafo!!!

    Abraços!!!