Mãe não cuida bem da criança que recebe Pensão Alimentícia Judicial

Sérgio Faustino perguntou Quinta, 29 de agosto de 2013, 22h54min

Olá Srs!

Venho por meio desta, expressar a minha indignação com a mãe de minha filha e seus familiares.

Tenho uma filha de quatro anos e seis meses de um relacionamento de quase 7 anos que morei junto com a mãe da minha filha. Não éramos casados no papel. Quando decidi me separar dela, minha filha tinha ± 1 aninho de idade. Sai de casa por várias questões que não vem ao caso, logo após ela entrou com uma Ação de Alimentos (Pensão Alimentícia), sabendo que eu ganhava bem e tenho uma boa profissão.

Obs.: Contratou uma Advogada particular sem ter condições de pagar. deve ter usado o próprio dinheiro de pensão que receberia para pagar a Advogada, pois ela não trabalhava.

Vou direto ao assunto da minha indignação durante esses anos que se passaram.

1) Pensão Alimentícia Judicial com desconto em folha de pagamento de 25% dos meus rendimentos líquidos, com horas extras, adicional noturno, 13º, férias e verbas rescisórias.

Minha filha recebe ± 930,00 reais de pensão por mês e quando chega férias com décimo terceiro e salário normal juntos minha filha recebe ± 2,500.

Minha filha tem convênio medico e odontológico pagos por mim.

Tivemos uma audiência e concordei com os 25%. Pois é um direito da minha filha e o meu dever de cumprir com minha obrigação de pai que ama, mesmo longe dela de dar o direito dela ter o sustento necessário para se manter. O direito a alimentação, saúde, educação, lazer entre outras coisas como roupas, calçados, etc.

Até aqui que escrevi está tudo tranquilho nesses anos que se passaram. Más de uns tempos para cá ando notando muitas coisas erradas por parte da mãe e sua responsabilidade e administração dos recursos de pensão que são dados a criança.

2) Nesse um ano que se passou quando pego minha filha percebo uma aparência nem sempre boa, quanto as roupas, sapatos, cabelo, etc. Várias vezes peguei minha filha com piolhos e lêndeas tendo que dar um trato nela sempre que eu á levava pra minha casa. Roupas sujas nos dias de eu ficar com minha filha. Roupas batidas de tanto usar, sapatinhos velhos e dos mais baratos, leite e achocolatados dos mais baratos, etc.

Já faltou a várias campanhas de vacinação da criança, e não leva regularmente a criança no pediatra....tudo era eu quem fazia

E a minha indignação estava aumentando...

Sempre estava cobrando um maior cuidado com minha filha por parte da mãe, sempre reclamando do valor que ela estava recebendo e a criança não estava sendo bem cuidada....E era discuções e mais discusões.

3) Minha filha entrou na escolinha no começo desde ano e quando ela foi matriculada tive que ficar cobrando a compra dos materias, livro que a escolinha pediu e uniformes. O livro ela só foi correr atrás quase no meio do ano e o uniforme demorou pra ela comprar e sempre eu cobrando....um mão sem compromisso e desleixada. Eu pra ajudar até estava levando minha filha na escolinha e quando eu dei um basta pra ver se ela se virava (Mãe), deixou de levar a menina na escolinha. Liguei e a diretora falou que minha filha já não estava frequentando as aulas haviam 2,5 meses...

E a minha indignação estava aumentando ainda mais...

E por fim o que aconteceu a seguir foi a gota d'água para eu buscar ajuda de especialistas e pessos que já passaram por isso.

Sei que existem mães zelosas mas também existem mães que se preocupam mais com os luxos e vaidades delas própria do que o bem estar de seus filhos. Gastam com cabelos, unhas, maquiagem, roupas, sapatos, bolsas e se esquecem dos filhos que estão em casa. Não que a mulher não mereça tanta vaidade, sim merece e muito, mas deve lembrar que uma criança de quatro anos necessita muito mais do que ela.

Bom, o que aconteceu realmente vou lhes contar agora, ocorrido dia 24/08/2013.

4) Fui buscar minha filha avisando antecipadamente, liguei as 10:00 da manhã e disse que pegaria ela as 11:30 da manhã de sábado. (Essas visitas não estão mencionadas na justiça porque decidimos por nós mesmos dos finais de semana eu ficar com minha filha. Passo a semana inteira longe dela e o final de semana não vejo a hora de ir buscá-la) Peguei minha filha toda descabelada, com as mesmas roupinhas batidas de sempre, com o narizinho sujo, sapatinho já bem usado...entrei no carro e não disse nada aceitando como sempre a situação. Más ao abrir a bolsa da menina, notei que nem uma roupinha nova tinha na bolsa pra ela sair comigo, passear. Tinham roupas bem usadas, uma calcinha, um litro de leite e um achocolatado pra mamadeira e um chinelinho, sendo que ela iria dormir em casa e também estava desprovida da mamadeira. Me indignei por isso e decidi reclamar ali na hora.

O que aconteceu?

A mãe da minha ex falou que se eu não saísse dali agora ela iria quebrar meu carro inteiro e depois a irmã da minha ex vei me agredindo arranhado meu rosto e tapas. Depois tirou minha filha a força de dentro do carro e disse que não iria mais levar a menina e minha filha saiu chorando chamando o papai, isso me cortou o coração. Não podia fazer nada nem revidar a agressão sofrida Me segurei firme e pensei em não fazer besteira batendo na minha ex cunhada. Fiquei com a bolsa da minha filha nas mãos, prova viva de que a mãe mau se importa com a filha. A mãe estava lá e nem se importou com a cena ocorrida, acho mais que eles queriam que eu agredisse a minha ex cunhada pra perder a razão.

Fui direto pra delegacia abrir um Boletim de Ocorrência registrando o acontecido...perdi meu sábado e o mais importante, a presença da minha filha pra dar amor e carinho pra ela.

Isso nada mais é do que Alienação Paternal, fora que me acusaram de usar drogas, etc.

Essa é a minha indignação contra essa mãe que usa o dinheiro indevido e não pensa na criança. Não me nego em pagar, mas quero que seja usado honestamente para o bem da criança e não pra sustentar as luxúrias da mãe e da familia dela.

Gostaria da ajuda de vcs!

Hoje sou casado, e tenho uma família. E o que mais busco é ter minha filha perto de mim sendo tratada com muito amor, cuidado e carinho.

Trabalho há 5,5 anos em uma empresa multinacional, tenho nível superior, formado em Tecnologia Mecânica.

Saudações,

Sérgio F.

Respostas

16

  • FJ Brasil

    FJ Brasil

    Sergio, como não tem a guarda nem as visitas regularizadas pela justiça, a mãe até esse momento só tem a guarda de fato... o melhor a fazer para sua filha, é você pegar ela no final de semana, e não devolver mais para a mãe...contrate um advogado, para ajuizar ação de guarda ... enquanto nada for decidido judicialmente a guarda provisória fica com você...porem é muito importante você ter provas...que a mãe é negligente com a criança... solicite junto a escolinha uma declaração que a criança não frequenta a escola...tenha testemunhas, que você é um pai zeloso e sempre cumpriu com suas obrigações, matérias e afetivas...
    após você conseguir a guarda, ai poderá solicitar a exoneração da pensão, e se desejar, solicitar que a genitora pague pensão para a filha...

    vejo que você tem grandes chances... mas lembre-se, tudo que você fizer daqui pra frente, não comente com ninguém....principalmente para mae da sua filha ou qualquer pessoa que tenho contato com ela...

    de um passo a frente, e não espere elea tomar uma providencia...
    contrate um advogado urgente...
    boa sorte

  • Sérgio Faustino

    Sérgio Faustino

    FJ...obrigado pelo seu comentário...

    Eu posso pegar minha filha e não devolvê-la mais e entrar com um pedido de guarda?

    Outras provas seriam a carteirinha de vacinação, o comprovante de matricula e frequencia na escolinha, a bolsa com as roupinhas que eu peguei na visita onde tudo ocorreu. Na bolsa tem as roupinhas usadas nas condições que eu disse.

    Eu tenho o BO da agressão da familia dela...posso usar como Alienção Paternal...

    E o que esqueci de comentar que: a mãe as vezes sai e deixa a minha filha sozinha na casa com as outras duas irmazinhas dela um de 10 anos e a outra de 11 anos.

    Uma vez peguei minha filha lá sózinha na casa com uma tesoura ponte aguda na mão podendo causar um acidente e com as outras irmazinhas dela sozinhas.

    A mãe descuidada já deixou a menina com um queimadura na mão esquerda com ferro de passar roupas, isso é uma evidência de descuido.

    No presente momento não tenho como pagar um Profissional da árae de advocacia, vou ter que recorrer a defensoria plública aqui de Sorocaba Sp.

    Obrigado.

  • FJ Brasil

    FJ Brasil

    Sergio,
    se você tem renda superior a mais de 3 salários mínimos, dificilmente vai conseguir pela defensoria publica...

    Contratar um advogado para ajuizar uma ação de guarda, você não vai pagar um absurdo, e muitos profissionais, parcelam os honorários...dentro das suas possibilidades...

    Além do mais, com advogado particular, normalmente o processo tem mais agilidade...

    Quanto aos fatos, você pode colocar tudo isso na petição...mas tudo que você falar, terá que provar...

    O que não pode é levar para o judiciário picuinhas...

    Se provar que a mae deixa a criança com outras duas menores, isso é bom para você..

    O ideal, é você pegar a sua filha, e não devolve-la para a mãe... mesmo que ela chamar a policia... você só devolve com ordem judicial... por isso é importante você pegar a criança e já na segunda-feira o seu advogado dar entrada na ação de guarda...

  • FJ Brasil

    FJ Brasil

    No seu caso, ainda não vejo como alienação parental...pois, você não tem nem as visitas regularizadas pela justiça... esta acontecendo fatos isolados, no qual a criança é quem mais esta sofrendo com a negligencia da mãe...

  • MSF F

    MSF F

    FJ...

    Fiquei meio confusa, a pensão alimenticia é judicial, quando foi acordado essa pensão, não ficou estipulado que a guarda era da mãe? Não é automatico isso?

    Sergio F


    Muitas mães fazem tudo isso que vc mencionou de propósito, mandar roupas velhas, roupas sujas, por pura pirraça, pra que se o pai quiser andar com a filha bonita, ele que compre, ele que se vire, sua filha pode até ter roupas novas, bonitas, mais a mãe guarda só pra sair com ela.
    Conheço bem isso, a mãe de minha enteada nas visitas, fazia questão de retirar até a chupeta da boca dela, ela so vinha pra minha casa com a roupa do corpo, e as vezes ainda era um pijama bem velhinho, tudo tinhamos que comprar aqui, fora a pensão.
    Hj, temos a guarda dela, e ela passa os domingos com a mãe, sempre faço questão de mandar ela linda, com roupas novas, sapatos novos, diferente do que a mãe fazia, mais ainda hj a mãe dela gosta de provocar, as vezes devolve ela com uma roupinha bem velha, daquelas bem desbotadas, mais é por pirraça.
    Quando conseguimos a guarda, ela se negou a entregar as roupas da filha, só entregou com ordem judicial, vieram em duas sacolinhas plasticas, só coisa que não servia, e roupas velhas, quando chamamos o conselho tutelar pra ver aquilo, foram cinicas em dizer que o que era bom pra nós, poderia não ser o bom que ela podia oferecer, que aquelas roupas, era o bom que ela podia oferecer pra filha, e aí, te pergunto, o que ela fazia com a pensão então????????

  • SulaTeimosa

    SulaTeimosa Suspenso

    "Peguei minha filha toda descabelada, com as mesmas roupinhas batidas de sempre, com o narizinho sujo, sapatinho já bem usado...entrei no carro e não disse nada aceitando como sempre a situação. Más ao abrir a bolsa da menina, notei que nem uma roupinha nova tinha na bolsa pra ela sair comigo, passear. Tinham roupas bem usadas, uma calcinha, um litro de leite e um achocolatado pra mamadeira e um chinelinho, sendo que ela iria dormir em casa e também estava desprovida da mamadeira. Me indignei por isso e decidi reclamar ali na hora. "

    Mano, não vai rolar.

    Nem negligência isso configura.

    Como disse o FJ, são fatos isolados. Relaxa, respira, e não use a criança de cabo de guerra. Vc vê as coisas de um jeito e ela pode ver de outro, vc gosta de tudo no lugar e ela tudo largado. É só isso.

  • Sergio F

    Sergio F

    Sula....respeito sua opinião!

    Más vc não está passando por isso, é muito dificil!

    Nunca usei minha filha como cabo de guerra!

    Sim com certeza a mãe é desleixada, diferente de mim que sempre fui organizado e cuidadozo. E isso foi um dos fatores porque não fiquei com a mãe dela. No começo era uma coisa, depois se tornou outra bem diferente daquilo que era.
    Talvez eu esteva vendo com um olhar mais crítico e ela nem tanto nesse caso, mas são vários fatores que mostram um mãe relaxada vamos dizer assim.

    Obrigado pela opinião!

  • Sergio F

    Sergio F

    MSF...

    A pensão é judicial más não falou nada sobre a guarda da criança, somente de pensão fala.

    Pretendo entrar com o pedido de guarda!


    Com certeza deve ser por pirraça da mãe tbém todas essas atitudes.

    Li o que vc escreveu e é o mesmo caso que estou passando a mesma experiência, dura de ver e passar!

    Agora que sou casado ela tenta de todas as maneiras tirar a minha paz!

    Belo exemplo que vc deu a mãe, sempre levando a menina com roupinhas novas para visitar a mãe. Nem mãe vc é da criança mas a trata como se fosse filha. Isso é um caracter e cuidado de pessoas que são zelosas.

    Obrigado por dividar essa experiência!

  • MLCta

    MLCta

    (Me desculpa por eu comentar, fiquei perplexa com o que li)




    Nossa....e eu que pensei que só fosse meu cunhado que passava por isso!!!!! Boa sorte meu amigo!!! Vc vai conseguir a guarda da sua filha!!! Coitada dessa criança com essa mãe nojenta! Fica com Deus!

  • Renato Casado

    Renato Casado

    Sergio,

    A julgar pelo escreveu até agora sou obrigado a plagiar a Sula e dizer que "não vai rolar". Seu texto confunde os institutos da família e isto, a meu ver, é uma constante neste ramo do direito. Vamos a alguns tais "desleixos" que você relata:

    "Várias vezes peguei minha filha com piolhos e lêndeas"

    Este é um fenômeno muito comum nesta idade. Não que seja correto que ela tenha piolhos, mas, não há criança no mundo que não tenha passado por isto. Eu passei, você também, Sula, Xuxa também, Faustão, enfim, é natural. "ah, mas a mãe não cuida". Não confunda guarda cm dever de cuidar. Quem não detém a guarda ainda tem pátrio poder e é também responsável pelo cuidado. Não consigo ver como absurdo se você cuidar da questão do piolho.

    "Roupas sujas nos dias de eu ficar com minha filha. Roupas batidas de tanto usar, sapatinhos velhos e dos mais baratos, leite e achocolatados dos mais baratos, etc."

    Nos dias em que sua filha fica com você é sua responsabilidade as roupas que ela vai usar. Não pense que pagar pensão lhe exime de cuidá-la, vesti-la e alimentá-la (com o achocolatado que ache melhor). Há uma falsa cultura de que pais que pagam pensão devem pegar os filhos limpinhos e bem tratados para passearem. Claro que isto seria maravilhoso, mas lembre-se, cuidar, vestir e alimentar nos seus dias de visita é tarefa sua.

    "Já faltou a várias campanhas de vacinação da criança, e não leva regularmente a criança no pediatra....tudo era eu quem fazia"

    Não vejo anormal que você leve sua filha ao pediatra e às campanhas de vacinação. repito, não ter a guarda não retira o poder familiar e uma das obrigações deste poder é cuidar do filho. Levar ao pediatra e campanhas de vacinação não é tarefa exclusiva de quem tem a guarda. se atrasou o dia é erro da mãe e seu também em não fiscalizar. lembre-se você tem poder familiar.

    "Eu pra ajudar até estava levando minha filha na escolinha e quando eu dei um basta pra ver se ela se virava (Mãe)"

    Você acha que "ajudava" ao levar sua filha à escola? Há milhares de pais que adorariam ter este "ônus". A mãe não se opõe que você leve a sua filha pra escola e você acha isto ruim? Isto me faz pensar que em alguns casos as mães têm uma certa razão em tolher algumas coisas, pois se a tal participação vai se transformar numa intensa prova de iso 9000 de cuidar dos filhos é melhor impedir que o tal "fiscal" fique te julgando o tempo todo.

    "Liguei e a diretora falou que minha filha já não estava frequentando as aulas haviam 2,5 meses..."

    Você visita sua filha sempre e só descobriu que ela não à aula agora? Claro que há negligência da mãe, mas a sua, pra mim é latente. Volto a repetir, guarda e poder familiar não se confundem, mesmo não tendo a guarda é seu dever cuidar para que sua filha vá à escola, e isto é, SEMPRE.

    "Tinham roupas bem usadas, uma calcinha, um litro de leite e um achocolatado pra mamadeira e um chinelinho, sendo que ela iria dormir em casa e também estava desprovida da mamadeira. Me indignei por isso e decidi reclamar ali na hora. "

    Você tem uma filha de 4 anos que visita sempre, que dorme na sua casa e não tem uma mamadeira em casa? Se a mãe não manda mamadeira ela fica sem comer? Você não tem roupas pra sua filha em casa? Não tem escova de cabelo, materiais de higiene pessoal pra uma criança? Me parece que você ainda não entendeu que tem uma filha e pensa que tem uma boneca que a vê aos finais de semana e a quer sempre limpa, cheirosa e com todos os apetrechos do pacote.

    "Fiquei com a bolsa da minha filha nas mãos, prova viva de que a mãe mau se importa com a filha. "

    Isto prova o que?

    "Isso nada mais é do que Alienação Paternal"

    Me desculpe mas não é. Uma mãe que não lhe impede de ver a filha, que lhe deixa levá-la ao médico, às vacinas, levá-la à escola é tudo, menos alienadora.

    "Eu posso pegar minha filha e não devolvê-la mais e entrar com um pedido de guarda?"

    Não deve. Isto é sorrateiro, é vil, é um modus operandi rapineiro e a meu ver, quem quer educar filho, antes mesmo de lhe proporcionar conforto e dinheiro deve lhe dar exemplo. Gente séria e honesta faz as coisas de forma clara e decente. Agir na surdina, definitivamente não é algo que se possa chamar de correto.

    "Eu tenho o BO da agressão da familia dela...posso usar como Alienção Paternal.."

    Pode usar mas não vejo como enquadrar a conduta em alienação parental. segundo você relata o que ocorreu foi um revide (de forma errada)a uma conduta sua.

    "A mãe descuidada já deixou a menina com um queimadura na mão esquerda com ferro de passar roupas, isso é uma evidência de descuido."

    Não, isto é uma evidência de acidentes acontecem. Claro que não deveria acontecer, claro que há uma dose de descuido, mas para se falar em reversão de guarda este descuido deve sair do campo do acidente. Se a filha ficasse com você o tempo todo veria que ela se machuca, cai, rala o pé, se corta, isto faz parte do crescimento humano. Não que eu concorde com o desleixo, mas pelo que você relata, o que existe é apenas rotina.

    Já fui acusado de ser defensor dos homens, das mulheres, enfim, os adjetivos surgem dependendo do quão satisfeitos ficam com a resposta. Não me importo com isto. Vejo em você um pai que se preocupa coma filha, que paga pensão demais (deveria tentar uma revisional para diminuir, sobretudo retirar as férias e 13º) e que a meu ver, ainda não sabe a diferença entre guarda e poder familiar. Mesmo não tendo a guarda é seu dever participar da vida da filha, levar pra escola, catar piolho, dar banho, trocar de roupa, levá-la ao shoping e comprar roupas, se sujar com ela, dar banho e penteá-la com a escova de cabelo da sua casa, dar mamadeira com a que você tem em casa, dar o achocolatado que você tem em casa, dar o leite da sua geladeira. Ser pai de pegar a menina limpa e cheirosa e devolver para a mãe cuidar não é exatamente ser pai.

    Quando você tiver mamadeira em casa, escova de cabelo em casa, achocolato, leite, creme dental, enfim, tudo isto em casa, verá que muitos dos motivos que aqui relata vão sumir. Quando você começar a ver o levar a criança à escola como algo legal, quando começar a curtir as tarefas de escola dela e participar disto, verá que outro problema que tem hoje com a mãe, na verdade não é problema.

    Quando você sentir prazer em levá-la ao médico e saber o diagnóstico antes da mãe, verá que outro problema se foi. Quando você tiver prazer em pegá-la suja e com roupas velhas e dar-lhe um bom banho, brincar de fazer bolhas de sabão no chuveiro, morrer de rir com as escolhas dela na compra de roupas, perceberá que mais um problema se foi. Quando você for brincar com ela no parque ou em qualquer outro lugar perceberá que ela cai e se machuca, se arranha, cria cicatrizes e verá que nem tudo é desleixo.

    Se, a mãe não cria problemas pra você estar com a filha, nem de longe se configura alienação parental. Por fim, os pais devem pensar primeiro na criança e deixar suas rusgas pessoais de lado. Levar o que você relata até agora ao judiciário não é algo que vá contribuir para a paz entre vocês.

    Seu caso é de pensão muito alta e o que deve fazer é pedir uma revisional.

    Boa sorte.

  • MSF F

    MSF F

    Dr. Renato...

    Me de uma luz com um desses seus maravilhosos textos...

    Olha só o que o destino tem nos pregado, em meio ao processo de revisão de guarda de minha enteada, e o Sr. deve se recordar da história, em que o padrastro agrediu e a mãe escondeu o fato do pai, se recorda???
    Então...a mãe deu entrada de revesão de guarda, já passamos por audiência de instrução e julgamento, ela angravidou durante esse processo, estão passando por psicólogos, tanto o pai, quando a mãe, e a pequena tbm, assim que esses laudos chegaram ao juiz, será aberto o prazo para alegações finais, e então ele dará a sentença.
    Aconteçe, que a mãe de minha enteada, foi ganhar neném esse fds, e a filha morreu ao nascer, por insuficiência cardíaca, Dr. estamos chocados, é triste, é cruel isso.
    Fico pensando qual o prósito de Deus em nossas vidas, e na vida da mãe, não consigo entender, como que vai ser agora??? todos se comovem, todos tem dó da mãe, e eu tbm tenho, já ouvi comentário de que deveriamos arrumar as malas de minha enteada, e entregar ela de uma vez pra mãe, pra amenizar o sofrimento dela. Mais como fazer isso??? como vamos entregar nossa pequena, que tanto amamos?? Vamos nós sofrer, eu, meu marido, minha filha, pra amenizar o sofrimento da mãe que perdeu a outra filha?? e tudo que já lutamos até aqui?? e toda as negligências dela?? e o bem da pequena?? todos se comovem com o sofrimento da mãe, e não pensam em tudo que essa minha enteada já passou, não pensam no quanto ela está bem conosco? tudo que fizemos, toda nossa luta, tudo em vão??
    eu estou comovida, eu estou sofrendo, não desejaria isso a ninguém, nem ao meu pior inimigo, tenho levado a pequena pra vê-la todos os dias, pra passar algumas horas com ela, mais aí as pessoas acharem que temos que devolve-lá....como se não tivessemos sentimentos...seria passar a dor dela pra nós....
    Estamos vivendo dias difíceis....

  • Renato Casado

    Renato Casado

    MSF F,

    Parece que Papai do Céu resolveu testar de verdade a capacidade de toda a família. De tudo que você me relata o que mais me interessa é a frase "não pensam no quanto ela está bem conosco?"

    Se ela está bem com vocês isto é bom, resta saber se ela está MELHOR COM VOCÊS que é o que realmente interessa. No caso que você me relata, tenho pra mim que esta mãe está com sua capacidade de criar a menina, pelo menos neste momento, comprometida. A dor porque está passando pode e com certeza fará com que tenha na filha uma válvula de escape.

    Acompanho seu caso e pelas suas narrativas é inegável que a genitora mudou para melhor seu comportamento, claro que está longe do ideal mas há de se reconhecer que há esforço neste sentido. Não sei o que você pensa disto mas para a filha isto é maravilhoso.

    Creio que seu advogado deve relatar o quão frágil está a mãe para assumir a guarda e ressaltar com letras garrafais o comportamento de vocês em vocês em ajudá-la, inclusive proporcionando a companhia da menina sempre que se faça necessário.

    Importante lembrar que a presença dela não deve ser tão constante assim haja vista que não é interessante para uma criança presenciar a mãe em estado de sofrimento tão gritante. É preciso poupá-la disto.

    Se somarmos o bom cuidado que ela tem hoje, o esforço do seu marido e seu também em proporcionar a participação da mãe na criação da menina, com o estado de fragilidade da mãe, tenho que a vitória na guarda é fato.

    Acho importante salientar também que vocês deveriam retirar do seu vocabulário expressões como "como vamos entregar nossa pequena, que tanto amamos?? ". Vocês jamais irão entregar a pequena porque ela jamais foi de vocês. Neste momento lhes compete educá-la e prepará-la para a vida, mas ela nunca foi de vocês e jamais será.

    "Vamos nós sofrer, eu, meu marido, minha filha, pra amenizar o sofrimento da mãe que perdeu a outra filha??" Se for o melhor pra ela não deve haver sofrimento, pelo contrário, saber que você educou e preparou alguém tão bem a ponto de que este alguém seja um suporte para outra pessoa não pode ser sinal de fracasso.

    "e tudo que já lutamos até aqui??" Vocês lutaram até aqui e seguirão lutando enquanto tiverem forças. não para que tenham a guarda, mas para que ela esteja bem. Não contabilize esta luta como algo a ser pago, no caso com a guarda, porque no futuro ela não vai dar muita bola pra sua luta e vai te trocar por um rapaz que ela conhecerá a muito menos tempo que vocês. Lutamos para prepará-los pro mundo e se, pra onde eles forem, hoje, amanhã, semana que vem ou daqui dois anos, tivermos a certeza de que inserimos no mundo uma pessoa que possa ser reconhecida como alguém de caráter, esta é nossa recompensa.

    Digo isto, porque sou de uma família que tem juízes, promotores e advogados e em casos como estes, este tipo de frase passa a impressão de egoísmo, o que na verdade existe mesmo. Eu, você e todos que temos filhos somos um pouco egoístas mesmo.

    Tenho dois e me policio todos os dias para disfarçar a sensação de posse que infelizmente tenho sobre eles. Isto é do ser humano, ocorre que quando deixamos isto tão evidente, sobretudo em uma audiência, pode ser que a interpretação não seja favorável.

    Por fim, a julgar pelo seu relato de agora e os relatos anteriores, tenho pra mim que a guarda será de vocês, a propriedade, jamais. Com a guarda, não deixem de influenciar a filha a estar com a mãe, falem sempre bem da mãe, pra filha e pras pessoas próximas, lembre-se filhos,m têm nos pais seus ídolos, e é uma crueldade derrubar um destes ídolos ainda na idade infantil.

    Grande abraço e sucesso. Estou torcendo por vocês.

  • MSF F

    MSF F

    Obrigada Dr. Renato...

    Era só isso que eu queria mesmo, que as pessoas pensassem no que é melhor para a pequena, e não o que é melhor para a mãe.
    É óbvio que nesse momento de dor, ter a filha por perto, é o melhor pra mãe, mais e pra pequena???
    Quando tudo aconteçeu a mãe me ligou, me pediu pra que não contasse pra pequena, que ela mesma queria contar, e que eu não deixasse ninguém contar...eu entendi, e fiz conforme ela me pediu, e ontem quando levamos a pequena lá, pra que ela contasse, e pequena chorou, sofreu junto com a mãe, ela estava empolgada com a nova irmanzinha, mais depois...todos os familiares queriam que ela ficasse lá com a mãe, pra fazer a mãe mais feliz, ela não quis, pediu pra vir embora, queria o pai, porque lá tava todo mundo muito triste, e ela não queria ficar lá.
    Agora, como posso achar que é melhor pra ela, ir embora pra outra cidade, com a mãe em um estado depressivo, onde só poderemos ve-lá a cada 15 dias, e que pra isso, teremos que percorrer 300 Km?
    Eu penso todos os dias, que Deus está moldando essa mãe, (da forma mais cruel) que essa mãe pode ter mudado, que ela pode realmente querer a filha por perto, que ela vai ter mais amor pra dar, que vai cuidar melhor, que não vai querer nos afastar dela, mais o meu outro lado egoísta, esse que o Sr. relatou, não aceita, que o pai, e que nós tenhamos que sofrer com a ausência da pequena em nossa casa, porque isso é fato, se ela for morar com a mãe, nós vamos sofrer a ausência dela, esse meu lado egoísta não aceita isso, sendo que até o momento não fizemos nada de errado, pra que isso aconteça, sendo que até agora, tudo que fizemos foi pensando no melhor pra vida dela, e eu não consigo até agora, enxergar que o melhor pra ela é ir embora com a mãe.
    To tentando trabalhar muito isso, mais não tá fácil, tenho pensado todos esses dias, o que posso fazer pra amenicar o sofrimento que essa mãe tá passando nesse momento, eu sou mãe, e poddo imaginar o quão difícil seja passar por isso. Penso que posso levar a pequena todas as tarde lá, pra dar um abraço, um beijo na mãe, ficar algumas horas lá com ela, penso que posso ligar e chama-lá pra ir junto comigo levar a filha no parquinho, penso que queria mostar a ela que eu não sou e nem quero ser uma inimiga, que eu não preciso esperar que ela emplore pela presença da filha, que eu sei antes que ela me peça que isso é necessário, mais eu só penso, minhas atitudes são muito limitadas, temos que ter cuidado, não pude até agora nem chegar perto da mãe pra ao menos dizer a ela o quanto sinto por tudo, sempre que vou lá levar a pequena alguém da familia vem, eu disse a ela somente pelo telefone, o quanto eu sentia, e que era de coração, mais ela não pode ver isso nos meus olhos.
    Nesse momento, é muito difícil, todo estarão comovidos, e ninguém vai pensar no que pe melhor pra pequena, e sim o quanto isso vai ser bom pra mãe.

  • Sergio F

    Sergio F

    Renato...

    Li seus comentários...em partes tens razão mas em outras não entendes o que estou passando!

    Sim é claro tenho tudo em casa pra ela, do pente de cabelos à mamadeira...de roupas à um quarto somente para ela!

    Sempre dou um trato nela quando vai para a minha casa...banho, cabelos, dou uma olhada na cabecinha dela para ver se tem intrusos...pesseio com ela e acima de tudo dou muito amor carinho e atenção pra ela. Más o que me deixa mais frustrado é esse descuido da mãe em relação a tudo isso!

    Estou cansado de cobrar tudo da mãe! E penso desta maneira que o dinheiro não está sendo bem usado com a criança!

    Faço o meu melhor sempre para a minha filha!

    A questão é...só passando por isso pra entender o problema...

    Más muito obrigado pelo comentário...estou adquirindo muito conhecimento e experiência com os comentários aqui expostos...e o seu comentário foi de grande aprendizagem para mim...

    Vamos ver o que vai dar...

    Até mais!