Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. O Melo
    29/10/2013 12:49

    O de cujos faleceu há 14 anos. Deixou 4 filhos, maiores e capazes. Deixou um único bem imóvel, uma casa resisencial onde reside sua filha, que é uma das herdeiras. Todos os herdeiros acordaram em abdicar da sua parte em favor da herdeira que jà reside na casa, considerando que ela que sempre cuidou da māe, e esta antes de falecer expressou o desejo de deixar a casa pra ela, a despeito de nâo ter feito trstamento. Também a herdeira nāo tem casa e fez todas as benfeitorias do imóvel. Seria feito inventário extrajudicial. Todos os herdeiros e conjuges estâo de acordo. Todavia, um dos herdeiros é casado, sob o regime de "comunhao de bens" (assim está escrito na certidâo de casamento, sendo assim o regime de comunhāo universal de bens)e a esposa disse nâo assinar, e está pedindo sua quota parte. Ocorre que eles estâo separados há cerca de 25 anos, apesar de nunca terem se divorciado. Ele tem outra família, mas nunca formalizou o divórcio. E ele está indignado diante dessa atitude dela. Pergunto:
    ela realmente pode impedir a decisâo dele, que é o herdeiro?
    Ela tem que assinar a renúncia junto com ele?
    O fato de estarem separados de fato há 25 anos ainda persiste a sociedade conjugal, de forma a ela ter que autorizar a renúncia da parte do herdeiro na herança?
    Agradeço antecipadamente a atençāo e ajuda.
  2. Paulo dos Reis
    29/10/2013 13:04

    Realmente, se ainda consta como casados, dependerá da assinatura dela.
    Mas ele pode resolver isso, promovendo o divórcio
  3. Sven
    29/10/2013 13:15

    Usuário suspenso

    Ele pode se divorciar ou pedir suprimento judicial da outorga. A ex nao tem mais direito a nada pois estão separados desde antes do falecimento.
  4. O Melo
    30/10/2013 00:15

    Como seria esse suprimento judicial da outorga? `E uma acao judicial a parte ou se processa dentro do inventario? O que 'e necessario para essa acao?
    `E mais rapido que o divorcio??

    Muito grato pela ajuda. Aguardo contato, mais uma vez.
  5. O Melo
    05/11/2013 15:00

    Aguardo esclarecimentos e agradeço a valiosa ajuda.
  6. Amaro Dewes
    05/11/2013 15:40

    Olá ! Correto quanto ao suprimento e este somente em feito autônomo, ação própria, porque a negativa de assinar a cessão (alienação) não diz para com os temas tratados no inventário e partilha. O seu advogado(a), ou o advogado do inventário, saberá como proceder. Além do suprimento judicial da assinatura, quem sabe não chegou a hora e resolver a situação do estado civil de ambos os separados e ali, na separação, tornar induvidoso do tempo da efetiva separação e aí não necessita do suprimento de assinatura.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS