Capa da publicação Governança ambiental e social nas relações empresariais
Capa: DepositPhotos
Artigo Destaque dos editores

Abraçando o futuro: a importância dos atos de governança ambiental e social nas relações empresariais

03/11/2023 às 19:12
Leia nesta página:

À medida que a sociedade se torna mais consciente da conexão entre as práticas empresariais e os desafios globais, a adoção de princípios ESG torna-se essencial para as empresas que pretendem prosperar no século XXI.

INTRODUÇÃO

O foco em boas práticas de Governança Ambiental e Social no ambiente de trabalho (ESG) ganhou força nos últimos anos em várias organizações multinacionais. ESG representa uma abordagem holística para avaliar o impacto de uma empresa no meio ambiente, a sua responsabilidade social e a eficácia das suas estruturas de governança. À medida que a sociedade se torna mais consciente da conexão entre as práticas empresariais e os desafios globais, a adoção de princípios ESG torna-se essencial para as empresas que pretendem prosperar no século XXI. Este artigo explora os principais objetivos das práticas de Governança Ambiental e Social e destaca o potencial transformador que isso representa para as empresas e a sociedade em geral.


1. CONCEITO

ESG é um acrônimo para Environmental, Social, and Corporate Governance, em inglês, e representa a importância de identificar, avaliar e reformar as atividades das empresas relacionadas à emissão de carbono, sustentabilidade, ética no local de trabalho, diversidade e inclusão. O foco em ESG tem crescido em importância para investidores preocupados com os efeitos ambientais e socias das relacões de negócios.

As práticas de ESG envolvem três pilares:

1.1. Responsabilidade ambiental

As ações que a empresa realiza em prol da sustentabilidade e das interações ambientais, incluindo o controle de emissões de carbono, uso de energia e compromisso ambiental.

As praticas ambientais refletem o impacto das operações de uma empresa no planeta. Isto inclui enfrentar as alterações climáticas, reduzir as emissões de carbono, conservar os recursos naturais e promover práticas sustentáveis. A adoção de fontes de energia renováveis, a otimização das cadeias de abastecimento e a minimização dos resíduos são alguns exemplos da contribuicao das empresas para um ambiente mais saudável.

1.2. Compromisso social

Envolve a cultura e a ética no local de trabalho, incluindo a satisfação dos funcionários, a diversidade nas contratações e a saúde e segurança dos funcionários. Um local de trabalho saudável melhora o desempenho da empresa e é visto como um melhor investimento.

Os fatores sociais abrangem as conexões de uma empresa com os seus funcionários, clientes e a sociedade. A ênfase em práticas laborais justas, na diversidade e inclusão, nos direitos humanos e no envolvimento da comunidade demonstra um compromisso com a responsabilidade social. Criar ambientes de trabalho seguros, promover o bem-estar dos funcionários e apoiar ações de beneficência são componentes vitais de uma organização socialmente consciente.

1.3. Governança corporativa

Este pilar está relacionado à liderança da empresa. Envolve ética, transparência e responsabilidade, traduzidos em salários adequados, respeito aos direitos trabalhistas e empresariais e compromisso com a igualdade no local de trabalho.

Os fatores de governança dizem respeito às estruturas internas, objetivos e processos decisórios de uma empresa. Uma governança forte garante transparência, responsabilidade e práticas éticas. A composição eficaz do conselho, a remuneração dos executivos, a gestão de riscos e as medidas anticorrupção contribuem para estabelecer a confiança dos investidores e promover a sustentabilidade a longo prazo.


2. CALCULANDO O ESG DE UMA EMPRESA

Uma pontuação ESG é uma medida objetiva de uma empresa com respeito ao seu desempenho ambiental, social e de governança. As pontuações ESG são calculadas por empresas específicas utilizando as suas próprias metodologias para quantificar a classificação ESG. Como não existe um processo uniforme, diferentes empresas têm a sua própria forma de determinar a classificação ESG.

Normalmente, as pontuações ESG são classificadas de 0 a 100, com pontuações acima de 70 consideradas boas avaliações. Outras empresas utilizam um sistema de pontuação baseado em letras, com C significando uma pontuação ruim e A a melhor pontuação ESG. Estes cálculos ajudam os investidores e o governo a avaliar a sustentabilidade, o compromisso ambiental e as condições de trabalho das empresas.

Investidores comprometidos com ESG buscam investir o seu dinheiro em empresas responsáveis ​​e sustentáveis, comprometidas com um local de trabalho saudável e ética nas relações de negócio. As empresas com pontuação ESG elevada apresentam menor desperdício, custos de energia mais baixos e uma força de trabalho mais produtiva, tornando-as mais atrativas para investidores de longo prazo.


3. A IMPORTÂNCIA DE GOVERNANÇA SOCIAL E AMBIENTAL PARA INVESTIDORES

3.1. Diminuição dos riscos

Ao abordar proativamente as ações de governança social e ambiental, as empresas podem identificar e mitigar riscos potenciais. Isto inclui evitar multas regulatórias, danos à reputação e a erosão do valor da empresa para os acionistas. Além disso, as organizações orientadas para Governança Social e Ambiental tendem a ser mais resilientes e adaptáveis e melhor preparadas para desafios emergentes, como a mudança nas preferências dos consumidores e a evolução das regulamentações.

3.2. Melhor desempenho financeiro

As iniciativas ESG tendem a impulsionar o desempenho financeiro, melhorando a eficiência operacional, reduzindo custos e atraindo investidores. Estudos recentes tem demonstrado que práticas sustentáveis ​​podem impactar positivamente a lucratividade a longo prazo e o desempenho das ações das empresas. Os investidores buscam cada vez mais integrar critérios ESG nos seus processos de tomada de decisão, reconhecendo o potencial para uma maior lucratividade associada a um impacto social positivo.

Fique sempre informado com o Jus! Receba gratuitamente as atualizações jurídicas em sua caixa de entrada. Inscreva-se agora e não perca as novidades diárias essenciais!
Os boletins são gratuitos. Não enviamos spam. Privacidade Publique seus artigos

3.3. Vantagem Competitiva

As empresas orientadas para ESG estão melhor posicionadas para atrair e reter os melhores talentos. Os melhores trabalhadores são geralmente atraídos por organizações que se alinham com os seus valores pessoais e possuem um compromisso com a sustentabilidade e o envolvimento social. No mesmo sentido, os consumidores dão preferencia crescente a empresas que priorizam responsabilidade ambiental e social.

3.4. Inovação e Oportunidade

A adoção de princípios ESG estimula a inovação e abre novos caminhos para o crescimento da organização. As empresas que adotam práticas sustentáveis ​​abrem oportunidades para o desenvolvimento de produtos e serviços ecológicos. Ao alinharem-se com os desafios atuais da sociedade, as empresas podem explorar os mercados emergentes e alcançar melhores resultados financeiros.


4. O RISCO ESG DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

A pandemia do Covid-19 provocou perturbações significativas nos mercados financeiros mundiais. De 20 de fevereiro a 23 de março de 2020, o índice de ações MSCI World sofreu um declínio considerável, perdendo aproximadamente 34% do seu valor global.

No entanto, através de intervenções graduais de governos e bancos centrais em todo o mundo, a volatilidade diminuiu gradativamente, levando a uma recuperação crescente dos mercados de ações. Progressivamente, mais da metade das perdas iniciais foram recuperadas.

Estudos realizados durante a pandemia do Covid-19 indicam que o risco ESG continuou a desempenhar um papel importante para os investidores durante este período, com preferência por fundos com baixos riscos ambientais e de governança.

Estes resultados demonstram que empresas com baixos riscos ESG (Ambientais, Sociais e de Governança) tiveram um impacto positivo no influxo de investimentos em fundos de ações, especialmente durante a crise do Covid-19, quando os mercados sofreram uma desaceleração significativa.

O fato de os riscos ambientais manterem a sua importância mesmo quando as empresas estavam sob pressão sugere a força duradoura das preferências ambientais e sociais. Isto reafirma a percepção de que a sustentabilidade serve como um recurso valioso durante períodos difíceis, conferindo proteção contra circunstâncias adversas.


CONCLUSÃO

As práticas ESG apontam uma mudança transformadora na maneira como as empresas operam e interagem com a sociedade. Ao incorporar considerações ambientais, sociais e de governança nas suas estratégias, as organizações podem impulsionar mudanças positivas, melhorar o desempenho financeiro e garantir a sua viabilidade a longo prazo.

O poder das ações ESG reside não apenas no seu potencial para criar um futuro mais sustentável e equitativo, mas também na sua capacidade de remodelar empresas, promover a inovação e contribuir para o bem-estar da sociedade como um todo. À medida que os investidores exigem a adoção de práticas responsáveis, a implementação de ações ambientais, sociais e de governança passa a ser um imperativo para as organizações dispostas a prosperar economicamente no século XXI.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Daugaard, D. (2020). Emerging new themes in environmental, social and governance investing: a systematic literature review. Accounting & Finance, 60, 1501–1530.

Steinhaeuser, I. (2022). How regulations are moving ESG into the risk and compliance field. In: https://www.thomsonreuters.com/en-us/posts/investigation-fraud-and-risk/esg-regulations-compliance/

Gillan, S. L., Koch, A., & Starks, L. T. (2021). Firms and social responsibility: A review of ESG and CSR research in corporate finance. Journal of Corporate Finance, 66, 101889.

Umar, Z., Gubareva, M., Tran, D. K., & Teplova, T. (2021). Impact of the Covid-19 induced panic on the Environmental, Social and Governance leaders equity volatility: A time-frequency analysis. Research in international business and finance, 58, 101493.

Assuntos relacionados
Sobre a autora
Ana Clélia Freitas

Médica, poetisa e escritora. Tem trabalhos publicados na imprensa e em revistas acadêmicas de Medicina e Direito. Especialista em Cirurgia Geral e Dermatologia. Especialista em Biodireito. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SBNeC), International Brain Research Organization (IBRO), Canadá, Associação Brasileira de Psiquiatria Biológica (ABPB), World Federation of Societies of Biological Psychiatry e União Brasileira de Escritores (UBE). Medical doctor, poet and writer. Published works in the press and in scientific and academic journals. Specialist in General Surgery and Dermatology. Specialist in Health Law. Member of the Brazilian Society of Dermatology, International Society of Dermatology, Brazilian Society of Neuroscience and Behavior, International Brain Research Organization (Canada), World Federation of Societies of Biological Psychiatry, and the Brazilian Union of Writers.

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

FREITAS, Ana Clélia. Abraçando o futuro: a importância dos atos de governança ambiental e social nas relações empresariais. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 28, n. 7429, 3 nov. 2023. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/106954. Acesso em: 18 abr. 2024.

Publique seus artigos Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!
Publique seus artigos