Quando há notícias sobre superávit público parece que algo de bom aconteceu, contudo há de ver como se deu o superávit.

"Em orçamentos públicos, o superávit é sempre quando há receita superior à despesa, decorrente de um aumento da arrecadação ou de um decréscimo dos gastos. Quando as despesas e pagamentos são maiores que a arrecadação ocorre um déficit orçamentário" (fonte: Superávit — Senado Federal - Portal de Notícias).


Quando há notícias sobre superávit público parece que algo de bom aconteceu, contudo há de ver como se deu o superávit. Será positivo à nação quando o superávit se deu por decréscimo de gastos dos agentes públicos - O salário dos políticos parece alto. É muito maior - Brasil - Notícia - VEJA.com – e não de arrecadações de impostos.

No Brasil, imposto é questão de discussões calorosas em bares, lares e onde se faz possível. O brasileiro, não agente público, não tem os serviços públicos como deveriam ter, ou seja, a altura das arrecadações tributárias. O brasileiro paga muito mais do que cidadãos de países de Primeiro Mundo, mas tem vida de país de Terceiro Mundo.

Apesar de algumas melhorias significativas, não representa a realidade quando se olha os milhões de brasileiros que vivem graças ao Bolsa Família. Ajudas sociais são sempre importantes, e constam como prerrogativas na CF/1988, mas, quando se compara as riquezas nacionais produzidas, as enormes vantagens de agentes públicos, principalmente os políticos, frente aos assalariados brasileiros (não agentes públicos) e aos que recebem Bolsa Família, não podemos esquecer que há uma desigualdade sem precedentes em nosso país.

Não se pode esquecer que as pesquisas apontando melhorias na qualidade de vida dos moradores de comunidades carentes – antes chamadas de favelas – não dizem sobre a quantidade de moradores que ainda não pagam IPTU, água e esgoto, luz. Ter vários eletrodomésticos e ser consumista não é dizer que tais moradores estão na posição de classe média – e se analisarmos profundamente, a antiga pirâmide de estratificação social, alta, média e pobre, não representa a realidade há muito tempo.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria