ideias de software jurídico

Todos pensam em contratar um software jurídico.

Todos querem os benefícios de automatizar, sistematizar o escritório.

Todos dizem seguir a risca as funcionalidades do sistema.

Todos afirmam que usam o sistema.

Todos dizem que seu sistema é fraco e precisa ser trocado.

A realidade é que muitas vezes se implanta um sistema apenas por implantar.

Que se quer o benefícios do sistema sem em gestão pensar.

Se quer tudo funcionando sem treinamento adequado.

Se quer todos os benefícios sem sequer saber as funcionalidades existentes.

Software é apenas um meio e não uma finalidade.

Software serve e é útil se todos comprarem a sua verdade.

Software realmente funciona quando é planejado, gerido e pensado para a sua realidade.

Quer um software jurídico funcional?

E qual o software juridico ideal?

Para ser funcional e tornar-se ideial, devemos ter algumas premissas elementares:

Pense na gestão sua e da equipe primeiro, conheça o sistema por segundo e veja se a gestão sua e as funcionalidades do sistema podem se encaixar… A chance de ser o software certo começa a ventar.

Planeje a implantação, conheça sua equipe e funções, saiba como funcionará o sistema através da sua gestão e não da suposta gestão que o sistema traz.

Afinal, computadores somente executam o que a inteligência humana diz para ser feito.

Sem inteligência humana, máquinas são burras, inoperantes.

Se reclama da máquina, sistema ou tecnologia, pense bem: Pode ser a sua parte que não foi feita, neném.

#Ficaadica

#SoftwareJurídico


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria