Inovacao

Se discorre tanto sobre inovação que chega a ser chato as pessoas dizendo que viver não é preciso, mas inovar é preciso.

Fala-se de inovação dando a entender que sempre deve ser algo novo, inédito, algo que realmente somente um gênio pode produzir, algo distante dos reles mortais.

Entretanto, aprofundando um pouco o tema, percebemos que inovar é algo corriqueiro e deve ser assim tratado, a iniciar pelo meio de trabalho a ser empregado.

Não pretendo escrever um artigo sobre como inovar e seus meandros práticos, há centenas de livros para isto.

O cerne da ideia que tenho sobre inovação é o título deste post:

Inovar é…

Sabe, inovar é extrair do seu dia a dia as commodities e trabalhar com o que realmente importa de diferente.

Para muitos advogados, inovar está atrelado a peças processuais. Sinceramente? Com um judiciário cada vez mais político e de lobbys, com súmula vinculante e com leis feitas por vereadores, deputados e senadores da estirpe dos mais bem votados do país (leia-se Tiritica e Cia), peticionar é uma commoditie clara nos dias de hoje.

Passar horas e horas em cima de uma peça para a mesma ser lida pelo estagiário do juiz, julgada conforme uma lista de teses que o estagiário tem ao lado e corrigida (?!) pelo juiz para ser publicada uma decisão que no recurso passa por algo similar é incongruente.

Agora, dedicar tempo para estratégia de atuação do cliente, de como o tempo pode ser relevante para a decisão, de como fazer com que a outra parte sinta-se acuada com o processo ou suas nuances, isto é estratégico e, portanto, merece ser inovado, pensado e debatido.

Se você tirar aquilo que é o padrão e que vai sair padrão (como peticionar, com raras exceções), você pode começar a pensar em inovar.

Para inovar não é necessário criar coisas mirabolantes ou que vão revolucionar o mundo, o que é realmente necessário é a mudança.

Inicie pela mudança.

Comece a pensar em como fazer diferente algo que é feito da mesma forma todos os dias.

Inicie pelos processos internos do seu escritório.

Os documentos e fluxos vão para um lado? E se fossem para o outro, como seria? Qual o resultado diferente de se fazer diferente?

Não há mágica em inovar.

Inovar é tirar aquilo que se faz sem pensar e pensar a respeito de como fazer de outra forma o que sempre se fez da mesma forma.

Enfim,

A minha forma de inovar, foi com definições do meu livre pensar sobre o tema. E você? Como vai inovar a partir de agora?

#FicaaDica


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria