Mentira ou verdade? Quem sabe a sua identidade! #GustavoRochaemEssência

1 de Abril, dia da mentira.

Nesta data tão específica, que hoje serve mais para brincadeiras do que para reflexões como foi a questão histórica do surgimento desta data, faço, sem nostalgias, a minha reflexão.

O que é efetivamente mentira?

Já disse o poeta Mario Quintana que mentira é a verdade que esqueceu de acontecer. Para tantas pessoas, quase um mantra esta frase em suas vidas.

Pessoas que esquecem de viver e deixam-se levar por falsidades, não necessariamente de outras pessoas, mas muitas vezes de suas próprias mentes e corações.

Pessoas que dizem que querem algo e fazem exatamente o oposto, como muito bem nos brindou Shakespeare:

“Você diz que ama a chuva, mas você abre seu guarda-chuva quando chove.
Você diz que ama o sol, mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha.
Você diz que ama o vento, mas você fecha as janelas quando o vento sopra.
É por isso que eu tenho medo. Você também diz que me ama.”
(William Shakespeare)

E, na maioria das vezes, assim agem por receio, por medo, e não um medo consciente, mas um medo de rejeição, de não participação e até mesmo um medo de falhar.

E, neste sentido de dizer algo e fazer outro, alguns prometem promoções a colaboradores e não fazem, promovem aqueles que são mais risonhos ao invés dos que realmente carregam o piano.

Neste sentido, criam e aprovam a criação de verdadeiros feudos dentro do seu negócio, que é defendido por determinado sócio, ao invés de ser unificado em prol do escritório/marca jurídica como um todo (muito comum entre áreas diferentes do escritório).

Neste sentido demitem e contratam com a mesma velocidade, procurando preço e qualidade, quando na verdade, na sua doce ilusão, conseguem apenas a salgada rotatividade.

Mentiras. 

Não há coisa pior que mentir pra si mesmo, já afirmou o poeta Renato Russo.

E na nossa vida, cada mentira cobra a sua verdade com o tempo. Seja na vida pessoal, seja na vida profissional.

Quer ilusões, mentiras e falsas entregas?

Quer verdade, honestidade e verdade no caminho a ser entregue?

A escolha é sua.

O dia pode ser da mentira, mas hoje pode ser o dia da sua verdade, ou não. Depende de você. Depende da sua escolha.

E aí, como vai ser? Qual a sua escolha?


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria