Ao navegar, você aceita que o Jus use cookies e parcerias para personalizar conteúdo e anúncios. Política de Privacidade

Símbolo do Jus.com.brJus.com.br

Artigo

O piloto, a saúde mental e a aviação

Este artigo tem por objetivo discutir brevemente a questão da depressão entre aeronautas e seus impactos na segurança operacional.

Basta um acidente aeronáutico para que todos os holofotes se voltem para a aviação. Todos querem saber o que aconteceu e, por dias, se indagam se não poderiam ser eles naquele avião. E com o recente caso da Germanwings, onde tudo indica que o copiloto deliberadamente derrubou o avião, não foi diferente! Todos ficaram alarmados, tentando entender como isso seria possível, afinal, a ideia que a maioria tem é que pilotos tem uma saúde, física e mental, impecável, afinal, estão à frente de um avião e zelando pela vida de centenas de passageiros.

Com esse acidente, chegamos a uma triste conclusão, a depressão pode atingir qualquer um e, quando ela está voando junto com o piloto, o avião cai!

Essa é uma questão muito importante para os profissionais de segurança operacional, tripulantes e da sociedade como um todo, uma vez, que com a popularização da aviação, esta é cada vez mais presente em suas vidas.

A questão da depressão e ansiedade em tripulantes já foi objeto de alguns estudos e para aqueles que convivem no meio aeronáutico, isso não é novidade, contudo, para as pessoas em geral, aquelas que são apenas passageiros, ainda não tinham conhecimento da gravidade do assunto.

Apesar de todo o glamour trazido pelos filmes e séries de TV, a rotina dos tripulantes não é assim tão romântica quando se trata da vida real.

As longas jornadas de trabalho, variações de horários, falta de tempo hábil para adaptação do ciclo circadiano e homeostase, ou ainda fadiga do piloto, são pouco considerados como importantes em comparação com equipamentos e procedimentos de segurança operacional. Levando ainda em consideração o aumento de produtividade e competitividade entre as empresas aéreas, as escalas de trabalho se tornam cada vez mais desgastantes servindo como um complicador para a segurança.

No que se diz respeito ao piloto, pouca atenção é dada para sua saúde, principalmente a psicológica. Enquanto os procedimentos estão cada vez mais sofisticados e automatizados, são poucas as ações que visam o bem estar dos pilotos ou o monitoramente de sua saúde, a não ser quando dos exames periódicos exigidos pela regulamentação, ou ainda, quando anual ou semestralmente, de acordo com sua idade, o piloto de linha aérea renova seu certificado médico aeronáutico (CMA)

Hoje, lendo as notícias, me deparo com uma que corrobora exatamente isso. Um estudo realizado, pelo Bild, revela que a maioria dos pilotos, cerca de 60%, que sofre de depressão, esconde a doença da companhia, uma vez que um diagnóstico deste implicaria em afastamento do trabalho.

O diretor do Departamento de Medicina da Organização Civil Internacional da Aviação, Anthony Evans, datada de novembro de 2013, revela a existência de déficits graves no acompanhamento dos pilotos em matéria de saúde mental.

É urgente a necessidade da implantação de mecanismos, por parte das empresas, para o acompanhamento da saúde mental de seus pilotos, sendo não apenas as avaliações de rotina, bem como o incentivo para que estes contem se estão passando por algum problema. É importante, também, a análise de outros fatores emocionais, que são diminuidores da atenção e concentração, como a fadiga e estresse, para que novos acidentes não ocorram.

REFERÊNCIAS:

RIUL, Thaísa; VABONI, Aline Floriano; SOUZA, Fábio. Incidência de Sintomas de Ansiedade e Depressão em Aeronautas. Portal da Psicologia. Disponível em: <http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0649.pdf> Acesso em 06 de abril de 2015.

Agência Brasil. Maioria dos pilotos com depressão esconde doença das empresas. Disponível em: Acesso em 06 de abril de 2015.

LICATI, Paulo Roberto;PORTO, Paulo Horta Araújo; FELIPE, Marcia Martins, NOCE, Franco; MELLO, Marco Tulio de. Efeitos da Jornada de Trabalho nos Estados de Humor de Pilotos Comerciais. SITRAER, 2008.

Página 1 de 1
Assuntos relacionados
Sobre a autora
Fernanda Favorito

Estudante de Direito

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos
Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!