Os principais desafios do mercado jurídico brasileiro: Pessoas e Finanças

Este é um artigo que será publicado em Junho em uma revista especializada de gestão e marketing jurídico na Argentina e que particiono em 5 artigos menores para este nosso espaço.

Curta um artigo diferente sob o prisma dos desafios do mercado jurídico brasileiro!

Hoje, pessoas e finanças.

Pessoas

Fala-se muito de gerações e seus conflitos, mas o que podemos aprender rapidamente é que existem pessoas e pessoas.

Existem pessoas que querem emprego outras  que querem trabalho.

Existem salários adequados a funções e existem pessoas que ganham menos do que merecem, mas não sabem como mudar isto.

Para ter uma equipe boa, aprenda a dividir informações, trabalhe com criatividade, tenha canais de interatividade e não deixe toda a gestão em outra pessoa que não você. Se você é inacessível, alguém está ouvindo os problemas e pode repassar a você de uma forma branda ou com outra visão.

Tenha um canal aberto com seus colaboradores.

Além disto, aprenda que todos ganham salário e por isto devem trabalhar. Se querem aumento ou crescimento devem merecer isto e não apenas ganhar porque trabalham bem. Trabalhar bem significa ganhar o salário em dia todo mês. É obrigação.

Invista em ter um plano de carreira para que todos possam saber como crescer. Invista em treinamentos, cursos e foco em resultados.

Não existe um plano perfeito, mas em cada realidade podemos concluir que investir em pessoas vale a pena, sempre adequado a realidade fática de cada empresa.

Finanças

Em uma época de mercado recessivo, devemos compreender que mais ainda apertar os custos é necessário.

Não significa não contratar ou deixar de investir em cursos, treinamentos, etc, significa compreender os seus fluxos cada vez melhor e controlar gastos tidos como bobos que podem dar um belo rombo no final do mês.

Por exemplo, ao invés de dar aumento a todos, crie no plano de carreira percentuais, assim, se o negócio cresce todos crescem, se não cresce, todos continuam ganhando o que sempre ganharam ou pelo menos um fixo digno ao trabalho realizado.

Tenha um percentual de reinvestimento no negocio. Isto é fundamental.

Recorde-se que sócio rico e escritório pobre é sinonimo de escritório com problemas. Quanto mais o escritório for rentável, mais os sócios podem retirar valores e ter um crescimento sustentável.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria