Uma análise sucinta do advogado em início de carreira e dicas que podem ajudar a melhorar o desempenho profissional.

Após 05 anos de intensa atividade acadêmica com direito a provas, leituras incansáveis de extensos livros e cansativas legislações, monografia, apresentação e enfim, eis que chega o grande dia da tão esperada formatura.

Para muitos esse “pequeno” processo é cansativo e doloroso, para outros, nem tanto. Porém, nada mais temido do que o nosso grande amigo Exame de Ordem.

Por muito tempo acreditei que o Exame de Ordem era o meu grande inimigo, embora tivesse boas notas durante a graduação, não fui daquelas estudantes abençoadas que passaram de primeira no exame.

Nossa, como foi sofrida essa tal “vermelhinha”! E olha que eu achava que depois da aprovação todos os meus problemas estariam resolvidos. Mal sabia eu que esse era o menor dos meus problemas.

Passei na OAB e agora?

Quando fui aprovada no exame eu trabalhava em um escritório de advocacia como estagiária. E, para minha sorte, quando voltei ao escritório fui contratada como advogada. Ponto para mim!

Contudo, a dúvida por dias permaneceu em minha mente. Sempre sonhei com a Procuradoria. Amo a advocacia e meu desejo é poder conciliar a advocacia pública com a advocacia privada. Sonho de muitos eu sei!

Sendo assim, passei meses perdida, sem saber se me dedicava aos estudos ou me jogava de cabeça a fim de captar cada vez mais clientes. Difícil decisão.

Assim como você que hoje lê esse texto, eu, um dia, busquei muito pela internet soluções ensinando como conquistar mais clientes e obter sucesso profissional.

E para ser sincera nunca encontrei um texto bom, bom mesmo! Provavelmente por não existir receita mágica para o sucesso. E se existir ninguém vai querer repassar. Ou no mínimo a pessoa já estaria rica vendendo a informação.

Você vai percebendo que as coisas irão acontecendo e que sim, você precisa dar um empurrãozinho, mas na maioria das vezes se você se desesperar você perderá o controle.

De certo que algumas atitudes eu considero relevante para ajudá-los nesse início de carreira e, consequentemente alavancar sua carreira:

1 – Estudar, Estudar e Estudar

Clichê? Bem, parece. Mas a minha intenção é alerta-los de que na advocacia você precisará estar em continuo estudo. Primeiramente para que não esqueça daquele assunto estudado há 05 anos ou até mesmo para reciclar e adquirir novos conhecimentos. Ademais, um advogado que detém um conhecimento jurídico não terá medo de atender um cliente e desconhecer o assunto ou ficar inseguro em atende-lo (sim, ocorre).

2 – Planejamento Estratégico

Talvez poucos conheçam essa modalidade que tanto cresce atualmente. Mas o planejamento tem sido a base de grandes sucessos dos grandes escritórios. Saber aonde você quer estar amanhã e como conseguirá realizar é fator decisivo para que não ocorra deslizes e despreparo no decorrer do exercício da sua atividade.

3 – Cativar os Clientes

Essa é uma dica que com o passar dos meses vocês começarão a entender. Vocês precisam amar seus clientes, seja ele o mais rico ou o mais pobre. Tratar bem o cliente é fundamental para o Marketing de “boca a boca”. Por muitas vezes cativar esse sentimento será difícil. Aliás, não será fácil receber ligação do seu cliente às 23h apenas para saber se houve alguma movimentação. É difícil, mas com o tempo vamos ficando habilidosos.

4- Não tenha vergonha de cobrar pelos seus serviços

Regra fundamental, lembre-se sempre do seu valor profissional. Não aceite migalhas. Se você não valoriza seu trabalho, quem vai? Sabemos que advogado em início de carreira quer ganhar e as vezes aquele dinheirinho que parece fácil (e pouco) pode não lhe gerar muito lucro. A advocacia passa por uma grande crise no que tange ao pagamento de diligências e advogados correspondentes. Lembre-se, se todos nós nos recursamos a valores ínfimos eles irão pagar pelo valor justo.

5- Envie e-mail para amigos e familiares

Sabe aquele tio que ainda lhe vê como o bebê da casa? Pois é, ele precisa saber que você cresceu e que está advogando. Envie um e-mail particular para pessoas próximas, comunique-os que agora você está advogando, trate cada um com sua particularidade. Isso pode ajudar muito! E na maioria dos casos nossos primeiros clientes são nossos amigos e familiares.

6 – Apareça

Ficar sentando 12 horas por dia na sala do seu escritório não facilitará muito, bem como você não será notado. Seja social. Participe de grupos ou até mesmo Comissões. Aumente seus laços profissionais. E principalmente o advogado deve saber o que ocorre em sua comunidade local.

Tentei ser mais sucinta possível e como disse acima, não existe receita mágica, não existe receita de bolo e nem equação. Sei que assim como eu você terminou de ler o texto e continuou confuso. Mas a principal intenção do texto é tranquiliza-lo e acredite, você não é o primeiro e nem será o último a se sentir perdido achando que não está no caminho certo. Tenha calma e não esqueça: ESTUDE SEMPRE!


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria