A partir do filme Germinal, faz-se uma abordagem relacionando a realidade vivida pelos personagens com a face exploradora e desigual do capitalismo, assim como o despertamento daqueles para tentar mudar a condição social vigente.

            “Abençoados proletários do mundo, arranquem da burguesia demoníaca o que é seu de direito.” (Émile Zola)

            O filme Germinal foi inspirado em um romance, de mesmo título, escrito pelo autor Émile Zola e tem enfoque na luta de classes. Todo o enredo se passa em meados do século XIX, porém a problemática social pode ser assimilada com os tempos atuais. Na obra é retratado, ainda, o poder que o ambiente social exerce sobre as relações familiares e a possível existência de uma nova organização social que trouxesse mais igualdade entre as camadas da população.

            O nome do romance faz referência ao primeiro mês da primavera, de acordo com o calendário da Revolução Francesa, portanto, subtende-se que o autor faz essa alusão para associar as sementes das novas plantas a um possível florescimento da transformação social, na qual a mudança germinaria.  Pode-se dizer também que a obra é um espelho da realidade, pois Zola trabalhou durante dois meses em uma mina de carvão, afastando-se do conceito da “sociologia de gabinete”, então, por meio dessa real interação, foi descrita na obra a vida política e social da época.

“O sistema feudal ou corporativo, sob o qual a produção industrial era monopolizada por corporações fechadas, já não bastava mais para a demanda em crescimento dos novos mercados.” (Karl Marx) O romance se passa numa sociedade pós-feudalismo, vivendo a insurgência do modelo de exploração do proletariado, serviu ainda como meio de crítica e denuncia, na medida em que ressalta as péssimas condições de trabalho dos operários, a miséria, a fome e a falta de higiene.

Engels descreve um pouco da situação inóspita vivida pelos trabalhadores, situação essa também relatada na obra de Zola, “os homens que iniciam sua vida laboral precocemente nas minas não atingem o desenvolvimento físico, muitos morrem ainda jovens vítimas de tuberculose e outros na meia idade; é comum o envelhecimento precoce, que torna os homens ineptos para o trabalho entre 35 e 45 anos; [...] contraem inflamações agudas nas vias respiratórias que levam habitualmente a consequências fatais.” (Engels)

            É notável a estratificação social presente em toda a obra – escrita e filmada – pois de um lado estão os trabalhadores que dispõem apenas de sua força produtora e do outros os que dispõem dos instrumentos e recursos necessários para que se instaure a produção e, consequentemente, a exploração. “A sociedade burguesa moderna, que brotou das ruínas da sociedade feudal, não aboliu os antagonismos das classes, novas condições de opressão, novas formas de luta no lugar das antigas.” (Marx e Engels, 1998, pp.09-10)

Germinal nasceu como um longo panfleto a favor do movimento operário francês, tendo, consequentemente forte engajamento social. Lantier é o personagem militante que organiza os demais trabalhadores em prol de uma revolta contra a fome, as doenças e as condições degradantes em que se encontravam. Aos poucos a manifestação contribui para deflagração de uma greve que começa a tomar grandes proporções e alcança as outras minas, após vários mineiros declararem apoio à revolta, os detentores do capital convocam tropas, que, por sua vez, deixam os confrontos ainda mais acirrados e violentos. Infelizmente, houve muitas mortes entre os proletariados, o que corroborou ainda mais para a derrota dessa classe.

            No entanto, para Zola, a revolta não foi derrotada totalmente, pois agora os trabalhadores finalmente tinham descoberto o seu poder e força para mudarem a condição social vigente. Esse pensamento se associa claramente com as ideias defendidas por Marx, nas quais os pertencentes das classes mais baixas deveriam despertar de seu estado de alienação, imposto pelos dominantes, e, unidos, lutarem por mudanças.

REFERÊNCIAS

Material da Internet e de Filme

< GERMINAL. Direção: Claude Berri. Renn Productions, 1993>

< http://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=11307>

< http://historiabadaro.blogspot.com.br/2013/11/analise-do-filme-germinal-luz-do.html?m=1>

<http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/04/1265381-critica-germinal-de-emile-zola incita-proletarios-contra-a-burguesia.shtml>


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria