A apreensão do veículo por falta de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) dá direito à indenização por danos morais e materiais ao proprietário.

A apreensão do veículo por falta de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) dá direito à indenização por danos morais e materiais ao proprietário.

A fiscalização do IPVA é um exercício legítimo do Estado, que tem o objetivo de garantir o pagamento das obrigações tributárias. Porém, a apreensão do carro configura abuso de autoridade.

Importante destacar que, de acordo com a Constituição Federal, vivemos em um Estado Democrático de Direito, não cabendo ao Poder Público utilizar-se de maneiras abusivas para receber os tributos devidos, tomando para si, de forma ilegal e confiscatória, a propriedade do devedor.

As apreensões relacionadas à falta de pagamento do Licenciamento são legítimas, uma vez que visam a segurança da coletividade ao impedir que um veículo não autorizado transite pelas vias públicas. Entretanto, se o bloqueio do automóvel acontecer, exclusivamente, pela falta de recolhimento do IPVA, está configurado o abuso de poder.

Nesses casos, é possível ingressar com ação por danos morais e materiais contra o Estado, na qual o contribuinte deverá comprovar o dano material que a apreensão lhe causou. Um exemplo de comprovação são recibos de táxi, utilizado pela ausência do automóvel.

Automóveis comerciais

Os veículos utilizados para atividades comerciais também têm direito à indenização quando apreendidos por falta de pagamento do IPVA. A paralisação da atividade comercial poderá ser alvo de ação por danos morais e eventuais lucros cessantes contra o Estado. Outra possibilidade é o ingresso de ação por danos materiais, no caso da necessidade de alugar um outro veículo para a manutenção das tarefas da empresa.

Vale destacar que a Fazenda Pública possui meios próprios para a cobrança de débitos tributários. Diante disso, não cabe ao poder de polícia do Estado efetuar a apreensão do veículo por falta de pagamento do IPVA.

Para evitar problemas futuros, o correto é que o contribuinte mantenha em dia o pagamento dos impostos e, em qualquer situação que configure abuso de autoridade por parte do Estado, poderá procurar um profissional do Direito para a orientação necessária.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria