É inviável a compensação de créditos tributários entre empresas do mesmo grupo econômico.

COMPENSAÇÃO DE TRIBUTOS ENTRE EMPRESAS DO MESMO GRUP                                    

                                      O instituto da compensação contém restrições no que diz respeito a sua aplicação no âmbito do cenário tributário.

                                      O Código Tributário Nacional (CTN) autoriza a compensação de créditos tributários do sujeito passivo contra a Fazenda Pública, nos termos do se Art. 170, in verbis:

“Art. 170. A lei pode, nas condições e sob as garantias que estipular, ou cuja estipulação em cada caso atribuir à autoridade administrativa, autorizar a compensação de créditos tributários com créditos líquidos e certos, vencidos ou vincendos, do sujeito passivo contra a Fazenda pública.”

                                      No caso está em jogo o conceito de sujeito passivo da obrigação tributária que não abrange todo o grupo econômico.

                                      O artigo 74 da Lei 9.430/96 alterado pela Lei 11.051/2004 proibiu em seu § 12, a) do inciso II, a compensação em que o crédito seja de terceiros.

§ 12. Será considerada não declarada a compensação nas hipóteses:    (Redação dada pela Lei nº 11.051, de 2004)

I - previstas no § 3o deste artigo;    (Incluído pela Lei nº 11.051, de 2004)

II - em que o crédito:    (Incluído pela Lei nº 11.051, de 2004)

a) seja de terceiros;    (Incluída pela Lei nº 11.051, de 2004).

                                     Não há, portanto, lei que autorize a compensação entre empresas do mesmo grupo econômico

                                     O Superior Tribunal de Justiça – STJ comunga dessa assertiva, a exemplo da EMENTA aqui transcrita.

STJ - RECURSO ESPECIAL REsp 1232968 SC 2011/0019263-8 (STJ)

Data de publicação: 04/04/2011

Ementa: TRIBUTÁRIO. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. SUJEITO PASSIVO. RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA DE EMPRESAS INTEGRANTES DO MESMO GRUPO ECONÔMICO. ART. 30 , IX , DA LEI N. 8.212 /1991. COMPENSAÇÃO TRIBUTÁRIA. IMPOSSIBILIDADE.

1. Discute-se nos autos a legitimidade de empresas do mesmo grupo econômico para requerer em juízo compensação tributária.

2. O Tribunal "a quo" decidiu que não é possível "conferir interpretação extensiva ao artigo 74 da Lei nº 9.430 /96 nos moldes pretendidos pela autora, de modo a alcançar os débitos das pessoas que devam responder solidariamente pela dívida."

3. Inexiste lei que autorize a compensação pretendida, equiparando a pessoa jurídica que pagou a maior e tem direito à compensação com o grupo econômico ao qual ela pertence. O Judiciário não pode imiscuir-se na tarefa de legislador para criar uma nova forma de compensação de tributos.

4. Conforme já decidido pelo STJ "a Lei 11.051 , de dezembro de 2004, modificando o art. 74 da Lei 9.430 /96, passou a proibir, em seu § 12, qualquer hipótese de compensação de débitos próprios com créditos de terceiros". (AgRg no REsp 1077445/RS , Rel. Ministro CASTRO MEIRA, SEGUNDA TURMA, julgado em 23/04/2009, DJe 08/05/2009). Recurso especial improvido.

STJ. SOCIEDADES EMPRESÁRIAS. MESMO GRUPO ECONÔMICO. COMPENSAÇÃO TRIBUTÁRIA.

Fonte: Informativo de Jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça - Nº 0467 (grifamos).

                                      Entendemos, assim, que legalmente é inviável a pretensa compensação de crédito de INSS da empresa com empresa do mesmo grupo econômico, posto que inexiste em lei tal forma de compensação de tributos.

                                 


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria