Ser Presidente de Subseção em Comarca pequena e muito desgastante e estressante. Temos que indispor com Juízes, Promotor, Delegados e demais autoridades, Só quem sai desgastado e o Presidente da Subseção.

ADVOCACIA – PROFISSÃO ESTRESSANTE.

Estamos sendo tratado de forma diferenciada por lutar em prol da nossa classe e também por cobrar que os processos tenham um desfecho rápido. Ocorre que em muitas comarcas os despachos levam cerca de 04 a 05 meses isto sem falar em sentenças.

De que adianta cobrar junto à corregedoria – CNJ uma atitude para que esta situação possa mudar. A resposta sempre e a mesma acumulo de serviço.

Estamos com as mãos atadas, pois não temos a quem recorrer.

Recorremos a OAB na qual sempre nos atende de pronto, mas não resolve a situação porque a Corregedoria também não atende a OAB.

Todas as reclamações são arquivadas.

Ser Presidente de Subseção em Comarca pequena e muito desgastante e estressante.  Temos que indispor com Juízes, Promotor, Delegados e demais autoridades, Só quem sai desgastado e o Presidente da Subseção.

OAB deve criar uma comissão para atuar junto a Corregedoria e CNJ.

Esta comissão terá as seguintes atuações junto ao TJ e Corregedoria e CNJ.

1- Receber reclamações em relação aos andamentos processuais que estão parados mais de 60 dias.

2. Receber reclamações em relação a juízes e servidores e demais autoridades

3. Receber sugestões para que o judiciário possa ter uma celeridade nos processos.

Recebendo os pedidos tanto dos advogados como das subseções para que sejam averiguados procedimentos processuais parados mais de 60 dias a comissão deve deslocar até a Comarca e pedir esclarecimento ao Juiz.

A comissão deve provocar o CNJ ou a Corregedoria para seja estipulado um prazo para a expedição de alvarás alimentares – Não podendo ser superior a 30 dias.

Com a criação da comissão a classe dos advogados contara com uma atuação atuante que certamente vai beneficiar tanto a classe dos advogados como os jurisdicionados que estão à espera de uma decisão por parte da justiça que ainda anda a passo de tartaruga.

Nós advogados vivemos de honorários temos que mendigar para expedir um alvará.

Fica aqui minha sugestão para que seja colocado em pauta na reunião do Conselho Estadual da OAB.

            Sérgio Furquim



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria