Inaceitável na plenitude o Estado Democrático de Direito após tantas lutas e contribuições, negar ao advogado o voto direto. A advocacia, função essencial à justiça está entrelaçada à Democracia, pois esta não existirá se não houver advogado.

Eleições diretas para  conselho federal  OAB

A Ordem dos advogados do Brasil se destacou na defesa da Democracia em prol dos direitos populares.  

OAB sempre atuou para que a igualdade fosse respeitada em nosso Pais.  

Atuou bravamente para que as eleições fossem diretas para todos os cargos eletivos da nação, especialmente para Presidente da Republica.  

Os advogados que sempre lutam para que os direitos e garantia individuais e coletiva não sejam ameaçados onde opera a Democracia.   

Por ironia os advogados que tanto lutaram para que o povo tivesse direto ao voto para Presidente da Republica, mas não tem direito a votar diretamente no Presidente Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil e nos outros membros da Diretoria do Conselho  Federal da Ordem.  
             
Minas Gerais sempre valorizou a liberdade, a ética e a independência  através  de Tiradentes, Juscelino Kubistschek e Tancredo Neves ,para citar apenas alguns o Advogado mineiro é Combativo, defensor intransigente de direitos e garantias individuais e coletivas, tanto que nosso saudoso Presidente  CAIO MÁRIO DA SILVA PEREIRA declarou  “ A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL É LIVRE PARA SER O QUE ELA DEVE SER”.  

E Minas Gerais aflorou o descontentamento de todos com o critério de eleição indireta para o Conselho Federal. Por fim, eclodiu um grito de revolta ensurdecedor e unânime, hoje ouvido em toda a Gerais contra a malsinada redação do inciso IV, do artigo 67, da lei 8.906/94, que instituiu a eleição indireta.  

Assim, surgiu o “MOVIMENTO DO ADVOGADO MINEIRO PELAS DIRETAS JÁ”. Neste primeiro passo colhem-se assinaturas para provar que se trata de aspiração de todos, com fim de viabilizar Projeto de Emenda no Congresso Nacional e estabelecer eleições diretas para Presidente do Conselho Federal da OAB.   

Inaceitável na plenitude o Estado Democrático de Direito após tantas lutas e contribuições, negar ao advogado o voto direto. A advocacia, função essencial à justiça está entrelaçada à Democracia, pois esta não existirá se não houver advogado.  
  
THELIO FARIA diz  e  assino embaixo  

A sociedade brasileira, principalmente os advogados, não mais admitem eleições indiretas. Os causídicos têm hoje repulsa aos Colégios Eleitorais e a procedimentos que arranham a legitimidade de Dirigentes de instituições nacionais, como o atual processo eleitoral para a escolha da Diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil.  

Com certeza, os advogados, se consultados fossem, diriam, como fez toda a nação na década pretérita, que querem escolher diretamente seu líder maior - o Presidente Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, ficando aqui nosso protesto, em defesa daquela bandeira que certa feita a própria OAB levantou :  

"DIRETAS JÁ ! ! ! !"  

Fica aqui consignado o protesto, esperando que os principais dirigentes da Ordem dos Advogados do Brasil, reflitam e auscultem os advogados brasileiros, levando ao Congresso Nacional projeto de lei, para conferir nova redação ao Inciso IV do art. 67 da Lei nº 8.906/94, passando o mesmo a ter o seguinte conteúdo : "A eleição da Diretoria do Conselho Federal, que tomará posse no dia 1º de fevereiro, obedecerá às seguintes regras : IV - no dia 25 de janeiro, proceder-se-á, em todo território nacional, à eleição da Diretoria do Conselho Federal, pelo voto direto e secreto de todos os advogados inscritos, devendo o Presidente do Conselho Seccional comunicar, em três dias, à Diretoria do Conselho Federal, o resultado do pleito em seu Estado".  

Conclamamos a todos Presidentes de Subseções que venham aderir a este MOVIMENTO.

NÓS ADVOGADOS QUEREMOS VOTAR PARA PRESIDENTE OAB FEDERAL.


 

Sérgio  Furquim



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso